Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Euro

Ricardo Cabral

14 de Janeiro de 2018, 16:36

Por

Alemanha: Sinais de esperança ou mais do mesmo?

O acordo de grande coligação entre SPD, CDU e CSU era esperado e desejado por muitos. Mas será mesmo a melhor opção para a Alemanha e para a União Europeia? O medo das alternativas radicais de direita – Trump nos EUA, Le Pen em França, a aliança com a extrema direita na Áustria e o AfD na Alemanha –, faz com que a grande coligação na Alemanha pareça o mal menor. O acordo de 28 páginas ainda tem de ser… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

3 de Janeiro de 2018, 19:03

Por

Porque é que só se mudam procedimentos depois de casa roubada?

Soube-se nos últimos dias que na semana que precedeu a aplicação da medida de resolução ao Banco Popular, sete instituições portuguesas levantaram elevados montantes de depósitos. De salientar o IGCP – a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – que retirou 12 milhões de euros de depósitos daquele banco. O IGCP, como o nome indica, gere as disponibilidades do Tesouro. Se a medida de resolução tivesse sido aplicada mais cedo e se a autoridade de resolução europeia… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

31 de Dezembro de 2017, 12:08

Por

Aguardemos pelo presente do Dia de Reis

A síntese de execução orçamental de Dezembro, com dados até Novembro, revela que as contas públicas estão a evoluir muito bem. O surpreendente, neste contexto, é que a previsão do Governo para o défice público se tenha alterado tão pouco: da previsão inicial de 1,6% do PIB, de Outubro de 2016, para a actual “inferior a 1,3% do PIB”. Como já referido num “post” anterior, é bom comparar a execução das contas públicas em 2017 com os objectivos definidos no Orçamento do Estado daquele… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

20 de Dezembro de 2017, 17:53

Por

O regresso aos mercados: Um balanço no início do Acto II

Nesta altura em que o rating da República regressa novamente à classe de investimento por duas das três principais agências de rating, é difícil não ficar satisfeito. Ministério das Finanças e a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) têm razões para se sentirem satisfeitos e convictos de que as decisões que tomaram foram as melhores. Mas terão sido mesmo? E será o futuro um mar de rosas? O gráfico abaixo apresenta a evolução da dívida pública… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

17 de Dezembro de 2017, 17:09

Por

A continuada descida da taxa de juro da República

A subida do rating da República de Portugal em dois níveis, da classe “lixo” para a classe “investimento” pela segunda das três principais agências de rating, a Fitch, é uma boa notícia, que, pelo menos, sustentará as taxas de juro aos níveis actuais. É mesmo possível que possa resultar numa redução adicional da taxa de juro da dívida pública portuguesa. Note-se que a descida das taxas de juro da dívida pública portuguesa no último ano é surpreendente. Por exemplo, a… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

13 de Dezembro de 2017, 17:13

Por

Demasiadas certezas fazem mal à banca e à economia

Danièle Nouy, a presidente do Mecanismo Único de Supervisão (MUS) do BCE, instituição europeia responsável pela supervisão dos maiores bancos da zona euro e da União Europeia, deu uma entrevista ao Público esta semana sobre vários questões que afectam a supervisão e a actividade da banca europeia, em particular, a questão do crédito malparado. É uma entrevista que nos deve fazer reflectir, dado o poder da instituição que representa. O BCE submeteu a consulta pública uma nova proposta de “Orientações”… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo