Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Economia

Ricardo Cabral

21 de Janeiro de 2018, 21:20

Por

Mais uma proposta de reformas para a Zona Euro que não convence

Um grupo de especialistas franceses e alemães, sobretudo académicos, acaba de publicar um relatório onde são propostas reformas para a zona euro, nomeadamente sobre: União Bancária; dívida soberana dos países membros e regras e instrumentos da política orçamental; e governo da zona euro. Destacam-se seis medidas concretas: (i) aprofundamento da União Bancária com o objectivo de reduzir o “nexo causal” entre banca e soberanos, i.e., assegurar que uma crise de dívida soberana não afecte o sistema bancário doméstico e vice-versa; (ii)… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

17 de Janeiro de 2018, 20:33

Por

Preparar o debate europeu

Uma das questões chave abordadas no pré-acordo da coligação na Alemanha, como aqui já antes se referiu, assentou nos contornos sobre o futuro da Zona Euro e da União Europeia. Wolfgang Münchau faz apreciação positiva, mas com ressalvas, do acordo. Realça o facto do tema Europa aparecer em primeiro lugar e sublinha as alterações que entende significativas, nomeadamente a disponibilidade da Alemanha para aumentar a contribuição para o orçamento comunitário e o que Münchau interpreta como a aceitação, pela Alemanha, que… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

14 de Janeiro de 2018, 16:36

Por

Alemanha: Sinais de esperança ou mais do mesmo?

O acordo de grande coligação entre SPD, CDU e CSU era esperado e desejado por muitos. Mas será mesmo a melhor opção para a Alemanha e para a União Europeia? O medo das alternativas radicais de direita – Trump nos EUA, Le Pen em França, a aliança com a extrema direita na Áustria e o AfD na Alemanha –, faz com que a grande coligação na Alemanha pareça o mal menor. O acordo de 28 páginas ainda tem de ser… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

7 de Janeiro de 2018, 15:13

Por

Combater ou não combater as bolhas especulativas … eis a questão!

Pela terceira vez em três décadas, coloca-se a questão sobre se as autoridades devem ou não reagir a bolhas especulativas: no final dos anos 90, a bolha das acções da internet (“dotcom”) e do Nasdaq; em 2004-2009, as bolhas do imobiliário e do sector financeiro; na actualidade, bolhas de mercados de acções, de moedas digitais e de grandes empresas da economia digital, acompanhado pelo aumento do endividamento do sector privado não financeiro, nomeadamente na China. A resposta ao colapso de… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

3 de Janeiro de 2018, 19:03

Por

Porque é que só se mudam procedimentos depois de casa roubada?

Soube-se nos últimos dias que na semana que precedeu a aplicação da medida de resolução ao Banco Popular, sete instituições portuguesas levantaram elevados montantes de depósitos. De salientar o IGCP – a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – que retirou 12 milhões de euros de depósitos daquele banco. O IGCP, como o nome indica, gere as disponibilidades do Tesouro. Se a medida de resolução tivesse sido aplicada mais cedo e se a autoridade de resolução europeia… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

31 de Dezembro de 2017, 12:08

Por

Aguardemos pelo presente do Dia de Reis

A síntese de execução orçamental de Dezembro, com dados até Novembro, revela que as contas públicas estão a evoluir muito bem. O surpreendente, neste contexto, é que a previsão do Governo para o défice público se tenha alterado tão pouco: da previsão inicial de 1,6% do PIB, de Outubro de 2016, para a actual “inferior a 1,3% do PIB”. Como já referido num “post” anterior, é bom comparar a execução das contas públicas em 2017 com os objectivos definidos no Orçamento do Estado daquele… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo