Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Dezembro 2016

Francisco Louçã

23 de Dezembro de 2016, 17:25

Por

A questão do Salário Mínimo e o poucochinho do país

“Chave de ouro”, assim disse o primeiro-ministro sobre o pacto do Salário Mínimo. Será boa notícia para o governo, qualquer acordo isola o PSD e o CDS e reforça a percepção de que tudo corre sobre rodas. Tranquilidade contra o diabo, essa é a equação que todos os dias dá a vitória de Costa contra Passos e Cristas. Enquanto a direita se agitar com divindades e reis magos, ou com óculos e soros da verdade e outras garotices, o governo… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

22 de Dezembro de 2016, 07:46

Por

A cultura da não-violência

A Síria, o Afeganistão, o Iraque, o Iémen ou a Somália ou o que resta de todos eles, entre outros cantos do Mundo, estão longe de nós e, por isso, “convivemos” injustamente com a devastação humana que por lá vai acontecendo a cada dia. Mas acordamos sobressaltados quando a violência nos chega à beira da nossa casa. Neste ano de 2016, senti isso profundamente na porta da minha consciência: estive 10 minutos antes no exacto local da devastação terrorista em… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

21 de Dezembro de 2016, 17:24

Por

A cura pode matar?

O BCE impôs ao Monte dei Paschi o prazo de 31 de Dezembro de 2016 para realizar um aumento de capital de 5 mil milhões de euros. O banco procura obter esse capital junto de investidores privados. Se não conseguir, como parece provável, o governo italiano intervirá realizando, na prática, uma injecção indirecta de capital público, de uma forma que aparentemente contorna as regras da União Bancária, dando a Comissão Europeia a entender que essa intervenção não seria considerada ajuda… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

20 de Dezembro de 2016, 08:59

Por

Em Alepo está uma fronteira da humanidade

Em Alepo, a devastação da cidade lembra outros crimes desta dimensão e talvez por isso suscite estes momentos de emoção: isto é o que já vimos ou de que nos lembramos. Alepo é Faluja, ou os campos palestinianos de Sabra e Chatila, ou Grozni, ou Srebrenica, ou Gaza, ou também Varsóvia ou Guernica, os lugares onde um manto de bombas destroçou a vida das populações, alvos e reféns da guerra mais suja. Mas Alepo é também a nossa contemporânea Mosul,… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

19 de Dezembro de 2016, 08:34

Por

Optimismo e pessimismo. E Alepo…

Neste tempo de apressada e simplista etiquetagem por tudo e por nada, há uma bem velha, mas sempre presente classificação: optimismo versus pessimismo. E com uma tal dose de dualismo absolutista, que não há lugar intermédio para o optimista-pessimista e para o pessimista-optimista. William George Ward chamava sabedoria a esta equidistância, quando escreveu que “o pessimista reclama do vento, o optimista espera que ele mude, 0 sábio ajusta as velas”. Por norma, o poder é o ponto de acumulação do… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

18 de Dezembro de 2016, 15:36

Por

Resolução para o Ano Novo: mais nenhuma “Resolução” de improviso!

Nicolau Santos apresenta num excelente artigo a resenha dos principais factos que atingiram o BES e o Novo Banco nos últimos dois anos e meio, e que culminam num novo processo de venda desse banco, no mínimo, prejudicial para a imagem do próprio banco e do País. O que transpira do processo de resolução do BES é que foi arbitrário e improvisado. Explico-me. Após meses em que o Governador do Banco de Portugal assegurou ao País que o BES estava… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo