Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

29 de Abril de 2016, 07:07

Por

E a malta que tinha condenado Dilma Rousseff, onde anda ela?

Tudo começou em Portugal com um tumulto. Perguntava-se: como é que é possível que haja quem não se levante para condenar Dilma? Afinal, tudo corrupção de esquerda e de direita, tudo ao molho e fé em Deus! Como é que é possível que os calculistas se esquivem a uma sentença imediata e exemplar, se atrevam a pedir provas, desconfiem dos trejeitos de juízes brasileiros, suspeitem uma manigância política dos derrotados das eleições que deram a Dilma Rousseff a maioria absoluta que a fez Presidente? Ora, tanto tumulto extinguiu-se por artes mágicas no tempo de um fósforo.

Já reparou que quem escreveu a definitiva condenação moral, quem exigiu coro afinado porque no caso em apreço a dúvida seria um expediente dilatório, esses comentadores (e comentadoras), analistas e condenadores, tudo agora se cala, certamente atentos ao que foi a vergonha da sessão do congresso de deputados para iniciar o impeachment? O tal do “baixo clero” foi tão acintoso que ninguém se quer ver na sua companhia (aqui está o inventário que The Economist fez sobre os motivos declarados para o voto “sim”; ou leia a BBC sobre o assunto).

Mas talvez se possa ir um pouco mais além do que este silêncio embaraçado entre os apoiantes lusos do impeachment. Podemos perguntar o que vem a seguir. Já se sabe a ementa: é o Senado que agora vai suspender a presidente por um prazo até 180 dias, entregando o governo a Michel Temer, e depois decidirá em votação final se a presidente é demitida ou não.

Quanto à primeira decisão, não há grande dúvida sobre o que vai acontecer. Dos 21 membros da Comissão que faz a recomendação, 16 já se declararam pela suspensão. Desses, metade são investigados ou réus perante a justiça brasileira. Aqui está a lista:

Zezé Perrela [PTB]: O Ministério Público acusa-o de enriquecimento ilícito. Um helicóptero da empresa da sua família foi apreendido pela Polícia Federal com 445 quilos de cocaína em 2013 e o seu filho é acusado do crime.

Aloysio Nunes Ferreira [PSDB]: Denunciado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa de ter recebido financiamento ilegal para a sua campanha eleitoral. Diz o Ministério Público Federal que há indícios de que possa estar envolvido em crimes de corrupção passiva, além de lavagem de dinheiro.

Cássio Cunha Lima [Líder do PSDB]: É investigado no Inquérito 3404 por crimes contra a ordem tributária e formação de quadrilha. Já foi demitido do cargo de governador da Paraíba em 2009 por abuso de dinheiro público.

Fernando Bezerra [PSB]: Investigado pela Operação Lava Jato no Inquérito 4005 pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Investigado também nos inquéritos 39584064 e 4139 por crimes contra a Lei de Licitações, peculato (desvio de dinheiros públicos), corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Gladson Cameli [PP]: Responde no Inquérito 3989, da Lava Jato, pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e formação de quadrilha.

Ronaldo Caiado [DEM]: Acusado por um ex-senador do mesmo partido, de ter recebido doações ilegais numa campanha eleitoral.

Simone Tebet [PMDB]: Investigada no Inquérito 4053 por “crimes de responsabilidade”.

Wellington Fagundes [Líder do PR]: 
Investigado no Inquérito 3496 por peculato.

A lista não é bonita. Como nenhum está condenado em última instância, não sabemos nem podemos avaliar estes casos. Mas percebe-se a afobação: segundo a imprensa brasileira, uma amnistia para o caso Lavajato estaria na forja assim que Dilma seja afastada do poder, ou, de qualquer modo, o caso poderá ser encerrado até ao final do ano. Porquê a pressa? Pois a resposta não é difícil de adivinhar.

E o silêncio dos apoiantes portugueses da demissão até dói, pois sabem que o seu argumento morreu no momento em que se apresentaram a público os mandantes e os jagunços da intentona.

Comentários

  1. “Cássio Cunha Lima [Líder do PSDB]: É investigado no Inquérito 3404 por crimes contra a ordem tributária e formação de quadrilha. Já foi demitido do cargo de governador da Paraíba em 2009 por abuso de dinheiro público.” Realmente o Cássio foi afastado do governo da Paraíba; nesse caso houve alguma malta que decidiu seu impeachment? Desde 2000, mais de 200 mandatários da política nacional foram afastados por diversos ilícitos. Quem não pode ser afastada é somente a Dilma Roussef; essa velha está metida em várias falcatruas na Petrobras, Casa Civil (Erenice Guerra, sua parceira, está numa reportagem extensa de uma revista nessa semana, com delação e tudo), uso de dinheiro roubado na campanha eleitoral (conforme delação do casal João Santana), etc. e tal. Na política brasileira não há santos, mas nem todos os políticos enfeixam a corrupção ideológica como o lulopetismo (apelo racial em horário eleitoral, antiamericanismo, Foro de São Paulo, uso do Itamaraty e outros para apoiar ditaduras esquerdistas mundo afora, como o caso do Porto Mariel em Cuba, feito com dinheiro de tributos de brasileiros e com empréstimo avalizado pelo Ministério da Fazenda; entrega da planta industrial da Petrobras na Bolívia para o índio Evo, o qual foi eleito com o apoio do petismo; aumento no preço da energia de Itaipu repassada para o Paraguai de Lugo, apesar de acordo legal sobre valores, fazendo prejuízo à nação brasileiro em bilhões de dólares; etc. e tal), a corrupção administrativa (deixar de fazer o que é premente como metrôs, rodovias, portos, hospitais, etc. e tal, e fazer Copa do Mundo e Olimpíadas, por exemplos) e a corrupção moral no roubo do dinheiro público, empreguismo, tráfico de influência, venda de MPs, etc. e tal. O petismo só pode ser defendido por absoluta desinformação ou por má fé em material intelectual pago também com dinheiro público (procurem os blogs Conversa Afiada, Carta Capital, 247, ou a TV Brasil criado pelo Lula, estatal e especialista em defender o governo, etc.). É verdade que o pedido em tramitação do impeachment da Dilma está preso na questão orçamentária, mas no protocolo feito por Janaína Paschoal está também o Petrolão e a Lava Jato. Nos EUA a Dilma caminha para ser ré em um processo movido por acionistas da Petrobras, por gestão fraudulenta (detentores das ADRs), visto estar ela ligada legalmente a empresa. A gestão comandada pela Dilma e o Lula fizeram uma dívida de R$ 500 bilhões na Petrobras; olhem o tamanho da encrenca comparando com o PIB de Portugal de R$ 707 bilhões (2015).

  2. Essa malta continua com a mesma opinião que esconde ou disfarça para não perder o pé cá onde também são corruptos, amigos e apoiantes da corrupção nos lugares de topo do Estado e podendo fariam o mesmo que os do congresso brasileiro.

    1. Sou português e estou no Brasil a trabalhar a cerca de 8 anos. Conheço bem e estou atento o que se está a passar. No inicio admirei o governo lula pelo desempenho. No entanto, com o passar do tempo verificou-se que esta gente é do pior que existe. Por detrás da capa dos trabalhadores, criaram uma seita criminosa associada aos grandes empresas construtoras, que arruinou a economia, criou o maior desemprego dos últimos anos, tx. Inflação elevada, empresas a fechar, dependência total do governo da populacao mais desfaborecida através da bolsa familia sem qualquer perpetiva de vida, hospitais públicos e escolas com degradação ano a ano que passa sem qualquer investimento, quebraram a maior empresa publica, … tudo do pior que se pode imaginar. Quanto ao impedimento a presidente está o rito previsto na constituição e foi validado pelo STF, não é golpe não. A presidenta durante 2014, ano de eleições, não pedindo autorização ao congresso ( que tinha maioria a absoluta dos deputados!!!) utilizou dinheiro de bancos públicos para pagar despesas e assim falciar o orçamento em ano de eleições. Posteriormente o TCU não aprovou as contas. A presidenta a luz dá constituição cometeu crime de responsabilidade. Não à volta a dar vai perder o mandato. Aliando a ruína a que levou o Brasil e a roubalheira que se aproveitou disto, de que o PT foi o chefe da quadrilha, é bom que se forme um governo de salvação deste magnífico pais que tem tudo para ser uma potência mundial. Mas isto vai mudar muito e ainda bem que o poder judiciário está a funcionar independente do poder político. Quanto ao congresso não existe muito a criticar, pois é representativo da população brasileira, que infelizmente ainda tem muito atraso cultural, devido ao não investimento na educação, mas isto é usual nas “democracias” de esquerda, quanto mais burro for o povo e o tornando dependente de esmolas melhor se consegue dominar.

  3. O processo do impeacheman da Dilma tem sua tramitação aprovada pelo STJ.A população brasileira, mais de setenta por cento não atura mais um dia de governo petista.A Petrobras, era a maior empresa brasileira. Hoje está quebrada.Comprou a refinaria de Passadina nos Estados Unidos por um valor vinte V.ezes o q valia. A Dilma nessa época era presidente do Conselho da Petrobras. NÃO SABIA DE NADA.,igual ao Lula q NÃO SABIA DE NADA. Na votação do impeacheman,no senado,foi perguntado ao defensor de Dilma que só dizia que era golpe, porque não entravam no STJ PARA IMPEDIR ESSE “GOLPE”? NINGUÉM DO GOVERNO RESPONDEU.

    1. Temos de convir que, o mesmo povo que a elegeu, tem também o direito de retirá-la. Se “o poder emana do povo”, que deixem o povo brasileiro se movimentar, e levantar às questões necessárias.Acredito, que os políticos que sobraram não são de natureza melhor que a de Dilma, pelo contrário. Mas dada a incapacidade desta Senhora de reconduzir a economia, sem sangrar mais a nação, é melhor mesmo que saia – falta-lhe muita competência política e principalmente administrativa.

  4. Ler sobre a politica brasileira hoje em dia dá para deprimir mesmo os mais otimistas, mas talvez os brasileiros possam encontrar algum consolo olhando para o que se passa na Venezuela. Quem precisava de ser “impeachado” e com toda a urgencia era Nicolas Maduro mas esse temo que ainda se vá aguentar mais uns tempos até esgotar por completo a paciencia dos venezuelanos e entao tavez acabe impeachado como Ceausescu.

  5. Dos cocktail com sombrinha o “impechement”
    é dos que gosto mais.
    Não posso é beber muitos porque fico
    rapidamente tonta.

  6. É deveras bizarro ler esta coluna e (re)verificar que é fácil errar falando do que não se sabe… Desta feita não me dei ao trabalho de estabelecer as percentagens de senadores da posição e da oposição com pendências na justiça brasileira, mas fiz o mesmo relativamente aos deputados (congressistas) que compuseram a Comissão especial do Congresso para abertura do processo: 59% dos deputados da posição (contra o impeachment) e 52% dos deputados da oposição (a favor do impeachment) têm pendências com a justiça. As pendências estão de tal modo distribuídas que perto de 60% dos 513 congressistas têm pendências com a justiça. Apesar dessas pendências, foi a eles que coube a decisão de prosseguir com o processo para o Senado – tal como está definido na Constituição Federal.
    Os congressistas não tinham de justificar legalmente / juridicamente a sua posição, apenas tinham de se posicionar a favor, contra ou absterem-se durante a votação. Já no Senado o processo torna-se necessariamente jurídico (tanto é assim que no plenário a presidência das sessões será assegurada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal – e fique desde já descansado que este é um notório defensor de Lula, de Dilma e do PT). O Eduardo Cunha é corrupto? Talvez seja, mas a história recente brasileira mostra que a justiça é bem atuante: o presidente do Congresso nos tempos do impeachment de Fernando Collor de Mello foi condenado na CPI dos Anões do Orçamento. A presidente Dilma é acusada, sim. Caso contrário nem sequer haveria o processo de impeachment.
    Sobre se a direita portuguesa se reconhece ou se ficou envergonhada com aquilo que se viu na votação no Congresso (e nada de diferente se passou relativamente ao impeachment de Collor de Mello), qual é a relevância? Uma coisa lhe posso garantir: os congressistas nunca tinham sido tão verdadeiramente representantes do povo brasileiro. De resto, repetiram palavras de congressistas em 1992 aquando do impeachment de Collor de Mello. Veja aqui uma reprodução do voto nesse processo de 1992 do atual ministro Jaques Wagner (que recentemente saiu da Casa Civil para dar lugar a Lula, mas que por enquanto está impedido de tomar posse): https://www.youtube.com/watch?v=VD0CwALjQU4 – pais. filhos, Copa, final de campeonato… O Brasil é assim!
    Analisar à distância esta realidade e usar lentes de esquerda que impedem a visão global dos processos políticos e jurídicos brasileiros é um exercício de desonestidade intelectual.
    Os factos não jurídicos (e que não estão em causa no processo) são: economia a afundar quase 8% em dois anos, índices industriais, de serviços e comerciais e decrescer em valores semelhantes, quase um quarto de milhão de lojas a encerrar em 2015 e 2016 e uma taxa de desemprego que foi em 2013 de cerca de 5% para os atuais 10,9% (e a crescer todos os meses).

    1. A jutificação de que “o Brasil é assim” é a peça mais notável que vi nestes comentários do defensores do golpe. Se não conseguem ter vergonha da exibição de vazio e de reaccionarismo, se não os incomoda o orgulho da homenagem a um torturador, é porque não sabem o que é a decência.

  7. Quem não sabe que toda a mídia brasileira come na mão da esquerda? Afinal, o que seria dos jornais mais populares, que vendem o mesmo número de exemplares que vendiam a 30 anos, sem os anúncios milionários das empresas estatais como a Petrobrás, o Banco do Brasil, etc.? Quem não sabe que no Brasil as redes de televisão são concessões públicas e que, portanto, estão de mãos amarradas? Talvez o povo português acredite no tal “golpe” dado pela nossa “elite burguesa branca capitalista reacionária homofóbica racista”, afinal, é assim que a mídia brasileira vende o peixe para a nossa presidente (ela se diz “presidenta”, contrariando a própria língua). Mas um jornalista português falar em “golpe” no Brasil… hummm. Só para informar ao público lusitano, ontem mesmo (dia 29), nossa ilustre vítima de golpe, em edição extra do Diário Oficial liberou R$ 100 milhões para propaganda da Presidência. Sabemos que “propaganda” se faz de muitas maneiras. Mas amnahã mesmo (dia 1 de maio) 10 milhões de golpistas que perderam seu emprego no último ano comemorarão o Dia do Trabalho.

    1. Ainda bem que há alguém que fala em nome de todos os desempregados, percebeu-se bem pela declaração dos deputados que era mesmo essa a sua preocupação.

  8. O que está acontecendo no Brasil, foi descrito por Bakunin no seculo XIX!
    “Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Essa minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e pôr-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana.”

  9. Sim Louçã, e eles ainda não viram a atuação de Janaina Paschoal, a heroína do golpe… O que mais preocupa é a inércia do Supremo Tribunal Federal diante de casos óbvios de corrupção como o de Eduardo Cunha, da Assembleia de Deus. Isso nos leva a pensar que esse Tribunal, que tem em suas mãos o futuro do país, não está à altura da sua missão. Ora diante das lacunas da Constituição, nomeadamente no que se refere ao papel do Vice-Presidente durante o afastamento do Presidente até à sua eventual destituição – pode nomear novo governo? – , é de recear que o STF siga o caminho da inércia cúmplice aceitando um tecido de casuísmos para preservar o statuo quo, ou seja o golpe das elites corruptas. Acessoriamente um lembrete humorístico: F. H. Cardoso conseguiu maioria no Congresso para alterar a Constituição e ser de imediato ele mesmo beneficiado com um segundo mandato, o que à luz do direito é singular. Só podemos concluir que Dilma está a ser afastada não por ter cometido qualquer delito, mas muito pelo contrário por não ter pago ao Congresso o “preço da paz”.

  10. FALTA DE…TUDO!

    O que me “dói”, usando as palavras do senhor (Francisco Louçã), é que esta mente brilhante se dê ao desplante de, invocando os crimes dos outros, pretender ilibar os crimes da President(A)! A defesa da President(A) baseia-se, não em mostrar que ela não cometeu crime algum, ou que não está ligada a dezenas de situações escuras, mas mostrar que os outros também os cometeram! Mau de mais para acreditar que alguém tenha a sem vergonha de escrever uma coisa destas!

    Já agora, dizer que o senhor se esqueceu de nomear os Deputados/Senadores e pessoas da área do PT que estão constituídos arguidos ou detidos e alguns já condenados, também! Mas como a honestidade intelectual está totalmente arredada deste artigo de opinião, é compreensível!

    É isto que nós temos como “exemplo” de comentador/opinar/doutrinador nas nossas televisões e jornais!

    Lista de políticos implicados (actualizada há cerca de 1 mês):
    http://especiais.g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/lista-do-janot/

    Senador Delcídio Amaral detido e a falar! SÓ era o representante do Governo Dilma no Senado! https://www.youtube.com/watch?v=GV7VFaIabv4

    1. Uma destituição ou tem fundamento legal ou não tem. Dilma não é acusada. A quadrilha que votou o impeachment está acusada. A coisa parece simples.

    2. 1.º Obrigado pela resposta e pela possibilidade de o confrontar com as suas afirmações!

      2.º A Dilma só não está acusada porque, como sabe, o processo de investigação da Presidente cabe ao STF!
      Mas pelo pouco que o processo do Lula pôde demonstrar, aquele que levou muitos a dizer que andavam a escutar a President(A), para tentarem impedir a actuação da Justiça (quando foi a President(A) quem se “atirou” para as escutas do Lula, ou não tivesse sido ela a contactá-lo para lhe dar “salvo-conduto”), há muito já teria sido “caçada”! Ou pensa realmente que o Senador Delcídio, número 1 do Governo no Senado, braço direito da Dilma até então, está a mentir ou a inventar tudo aquilo que disse?

      3.º Relativamente à base legal da sua destituição, onde está o impedimento? O senhor, como economista, deve conhecer muito melhor que eu o que disse o TCU e ela própria! Ela própria disse que cometeu “pedaladas fiscais tal como todos os outros governos antes dela”!

      MAS nenhum usou os valores extraterrestres dela, nem para os motivos que ela utilizou: a sua reeleição! Ela recorreu aos bancos dos Estado, com a desculpa de apoios sociais, à educação, etc, para usar esse dinheiro dos Brasileiros para se reeleger! Está dito por mais que uma pessoa próxima dela! Qual a parte que não quer ver/acreditar?

      4.º Eu estou pouco importado se o que está em causa afecta a direita ou a esquerda! O que não posso é aceitar que o senhor diga que os que a estão a destituir não o podem fazer porque também estão acusados de algo! Isso, além de bizarro, é intelectualmente pouco honesto!

      Por que razão/ões se esqueceu de nomear PROPOSITADAMENTE altas figuras do PT apanhadas na Lava-Jato, por exemplo, também acusados de corrupção e que votaram contra o impeachment? Esse é o ponto fundamental que me leva a pensar que, ao escrever este artigo, o fez de forma condicionada e de forma a condicionar! E, por isso, sabendo perfeitamente o que estava a fazer!

      E os altos quadros da Petrobras?

      E para o senhor há “quadrilha que votou o impeachment”, mas já não há quadrilha quando mataram um “prefeito” do PT, para o calarem sobre a distribuição de verbas ilícitas!? Com gente ligada ao Lula detida por esse caso…E depois nomearam a mulher dele para Ministra do Planeamento para a manter calada? Ou a quadrilha que destruiu a Petrobras! Ou a quadrilha que pagou o porto construído em Cuba com dinheiro dos brasileiros! Ou a quadrilha que comprou a refinaria nos EUA por valores sobrefacturados, …

      Para onde foi esse dinheiro todo? Para obras de carácter social?:)

      Conclusões: o senhor é muito mais inteligente e muito mais sério do que aquilo que escreveu no seu texto!

      E não é por o senhor dizer/repetir que a senhora não está acusada de algo, ou dizer/repetir que não há bases legais para o seu “impeachment” que isso passará a ser verdade! Isso é apenas desinformação!

      Sabia que um dos subscritores do “impeachment” é o Dr. Hélio Bicudo, um FUNDADOR DO PT? Não lhe diz nada? Eu informo-o, se quiser ouvi-lo num vídeo muito curto:

      https://www.youtube.com/watch?v=6BtpxWEn5TI

      Vou ficar a pensar que o senhor acordou num dia mau antes de escrever o seu texto…apenas isso!

      Informação para quem quiser saber de que está a President(A) acusada:
      http://mercadopopular.org/wp-content/uploads/2015/10/pedaladasfiscais.png

      http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/06/veja-os-13-pontos-questionados-pelo-tcu-nas-contas-do-governo.html

      Decisão UNÂNIME DE TODOS OS JUÍZES do TCU, no chumbo das contas de 2014, prestadas pela Presient(A):
      http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2015/10/07/tcu-contas-governo-dilma.htm

    3. …e é assim que se manipula a opinião pública! A minha resposta à sua resposta não foi publicada! Até agora! Onde lhe mostrava as 13 razões pelas quais há razões para o impeachment! Ditas pelo TCU! É a sua “Democracia de ter a última palavra” que vale! :) Se assim fica contente…seja!:)

      Nota: reforço o que dizia na mensagem não publicada: SE os elementos da oposição que estão indiciados/acusados de corrupção não poderiam ser a favor do impeachment, o que me diz sobre os outros, os do PT, que estão também indiciados/acusados (8 pelo menos!)? Esses já poderiam votar normalmente? :)

    4. Vc. não entende nada da constituicao brasileira. A presidenta cometeu crime de responsabilidade por ter emitido medidas provisórias, à beira das eleições de 2014, a liberar dinheiro de bancos publicos sem a aprovação do congresso. Por isso as contas não foram aprovadas pelo TCU. De outro lado o pedido de impedimento foi solicitado ao congresso por 3 cidadaos brasileiros, validado processualmente pelo STF e aceite pelo congresso. Tudo de acordo com a constituicao. Vc. está a alegar que foi aceite o impedimento por corruptos, mas eles até estão mais no PT e laranjas a eles associados, pelo menos se contando os que já estão a cumprir pena efetiva (para cima de 30!!!)

    5. …ainda um dia virei aqui lembrar ao senhor Francisco Louçã os disparates que num (péssimo!) dia escreveu…

      Este é apenas o início do caminho no julgamento da criminalidade PENAL da President(A), como lhe disse em comentário anterior!

      Pois os crimes FISCAIS inerentes ao exercício do seu mandato estão já a ser julgados pelo Senado, de ACORDO COM A CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA!

      Cada tiro, cada melro, meu caro CONSELHEIRO DE ESTADO!

      http://www.jornaldenegocios.pt/economia/mundo/americas/detalhe/brasil_pgr_apresenta_denuncia_sobre_lula_e_pede_investigacao_de_dilma.html

    6. “Salieri
      4 Maio, 2016 às 11:10
      …ainda um dia virei aqui lembrar ao senhor Francisco Louçã os disparates que num (péssimo!) dia escreveu…”

      E esse dia está a chegar!

      Como lhe disse antes, a President(A) só não está ainda acusada na Lava-Jato porque ela goza de imunidade (“Foro privilegiado”)! Mas parece que isso também está a acabar, porque o único órgão que poderia permitir a investigação à President(A) (STF) deu provimento à possível situação de obstrução da Justiça praticada pela senhora!

      http://www.jornaldenegocios.pt/economia/mundo/americas/detalhe/dilma_e_lula_investigados_por_alegada_obstrucao_a_justica.html

      E esta é a gravação da conversa que está na origem da investigação, para lhe poupar tempo na procura:

      https://www.youtube.com/watch?v=0-h5wDWo8l0

      E acabando o “impechment”, acaba a imunidade! E aí é que vão ser elas!

      Não precisa de se retratar já…ainda tem uns tempos!:)

  11. Caro Sr. Louçã,

    Obviamente não perco nem 10 segundos a lê-lo, mas para tudo existe um tempo; e o tempo agora é de ir arquivando a sua desonestidade intelectual bem como os disparates do seu grande amigo Rui Tavares e de Alexandra Lucas Coelho, que deve ter sido correspondente do Público no Foro de São Paulo e não no Brasil porque ‘viaja na maionese’ em grande (mas esse é um problema de quem lhe pagou o ordenado, não meu).
    Como sou de boas contas daqui por uns tempos haveremos de discutir as suas tonterias a respeito dos seus bandidos de estimação uma por uma. Caso se justifique, comprarei com prazer uma página no Público usando uns trocos do dinheiro que poupei em juros que me foram oferecidos pela presidanta Dilma via BNDES.

    Personagens como você valem algum esforço para serem desmascarados.

    A presto!

    1. Eu adoro que nem sequer lê o que foi escrito mas já acusa pessoas de desonestidade intelectual. É um bocado irónico não acha?
      E dizer que o Louçã é amigo do Rui Tavares mostra bem que não está a par da política atual e como tal completamente desinformado.

      Personagens como você levam menos de 30 segundos a ser desmascarados.

    2. Os homens mais inúteis são grandes mestres em achar inutilidade nas coisas.

  12. Lá como cá é apenas questão de vontade para se destapar a manta do PODER dos corruptos. Todos embrulhados. MAS lá pelo menos o sistema de justiça revela uma coragem , uma competência, uma autonomia e uma determinação que por cá não se vê – basta pensar nos casos abertos, nem UM concluído! Tudo à espera da prescrição da ordem…

  13. O estardalhaço que se fez sentir em terras lusas foi no sentido de executar sumariamente o sistema judicial brasileiro. Sistema judicial esse que implicou toda a classe política brasileira, à esquerda, à direita, por cima, por baixo, e que seria o bastante para convidar qualquer pessoa de bom senso a escusar-se a tomar partido na coisa, porque há razões bastantes para desconfiar que não há inocentes e que o regime está podre de corrupto. Mas por cá foi a esquerda que logo tratou de sentenciar que a actuação da justiça era um golpe da direita. Não vi ninguém de direita em Portugal a escrever que a actuação da justiça brasileira era um golpe de esquerda contra a direita. Esse foi o estardalhaço que me dei conta.

    1. “Não vi ninguém de direita em Portugal a escrever que a actuação da justiça brasileira era um golpe de esquerda contra a direita.” – Hello… onde você vive, em Marte? Ahahahahahahahahahahahaha…. Trate-se, homem.

  14. Esta gente não aterrou no Brazil de repente, sairam de entre os brasileiros. Os paises, incluíndo Portugal, têm os governos que na generalidade os cidadão merecem.

  15. Os grandes analistas politicos internacionais- isentos e crediveis – não excluem a hipótese de uma intervenção em profundidade do poder politico norte-americano no plano de sabotagem da frente de direita carioca contra Dilma, sendo a PR das raras personalidades do PT isenta de qualquer acusação de corrupção. O método serviu para neutralizar e afastar Cristina Kirchner, a ex-PR da Argentina, e tem sido usado com sucesso noutros países latino-americanos, constituindo o ” caso ” venezuelano um objectivo perseguido desde há anos a esta parte. com as peripécias e rocambole que se conhecem…

    1. Niet, verdadeiramente não conheces nossa realidade, os motivos para o impedimento são de natureza jurídica, previstas em lei e pela nossa constituição, os problemas vividos pelos outros sul americanos são frutos da incompetência de cada um.

    2. Eu sei. Ouvi os deputados a invocarem Deus e a filha como motivos para a destituição.

  16. Caro Louça
    É a democracia a funcionar, não esta escrito na constituição brasileira?
    Cá no burgo quem ganhou tb não é governo
    é a democracia é o 25 de abril
    é a democracia
    é a democracia

    1. Se não for pedir muito, tente saber antes de falar. A Constituição brasielira não prevê destituição por nenhuma das razões invocadas por aqueles tais de deputados. Em Portugal, governa quem tem apoio do Parlamento. É a democracia! Tome um comprimido.

  17. Felizmente os brasileiros vão conseguir livrar-se de um sistema incompetente e evitar chegar à mesma situação em que se encontra a Venezuela. Seria interessante saber o que pensa FL acerca do que se passa neste paraíso socialista. Ou vai fazer como a direita para não prejudicar os Portugueses que lá vivem?

    1. Seria era interessante que comentasse o artig, oh Albuquerque!!!

      Não me digas que tb estás indiciado pela lava jacto!? A Dilma, sei que não está…

    2. Por quê cita a Venezuela e não um país europeu que, capitalista, fez políticas públicas de cunho socialista? Mesmo se o Partido dos Trabalhadores brasileiro fizesse do Brasil uma Suécia tropical em 12 anos, os mesmos grupos desejariam o extermínio da esquerda, para sustentar seus privilégios (anticapitalistas?).

  18. Hoje concordo consigo. É uma grandessíssima pouca vergonha que, tendo Dilma ganho as eleições, os opositores, sem terem ganho as eleições, servindo-se de uma habilidade parlamentar e sem realizarem novas eleições, se preparem para usurpar o poder.

    1. pimentinha ha uma deferência entre estar primeiro nas votações e ganhar as eleições, no Brasil existe para isso uma segunda volta, porque é um regime presidencialista, por ca a constituição diz que tem que ter maioria parlamentar para governar, não necessariamente maioria absoluta, como aconteceu com Cavaco em 1985, Guterres em 1995 e 2000, Sócrates em 2009. A direita teve maiorias parlamentares em 2002 e 2011 depois de fazerem coalizões, nas eleições de 2015 tiveram maioria relativa, mas no parlamento tiveram minoria, é isso que acontece num regime representativo, não ha uma votação directa no governo, olhe para Espanha, ganhou o PP mas nem chegou a ter uma nomeação de formar governo, nem o Rei nomeou e o próprio PP não se exporia a esse fracasso, apenas ofereceram uma grande coalizão. Mas em Portugal e na Espanha deu indicações claras, não mais austeridade. Se tivermos governo PSD-CDS teriam interpretado a vontade popular desse modo, não, obviamente não. Teria Pimentinha ficado contente, se calhar sim, mas 60 % dos portugueses que votaram seriam contra. As coisas por aqui continuam difíceis, complicadas, mas ao menos a austeridade paga pelos salários e pensões é menor, e como as expectativas são realistas pelo meu lado, já é algo, o fardo da Dívida é demasiado, precisávamos recursos para investimento e não ha, o PSD-CDS defenderam sempre que era o sector privado a investir, tiveram apoio para isso, descida de salários, descida de IRC, diplomacia económica, etc, e nada, o pais é o que é, sem um empurrão de gasto público não vamos la, mas aqui agita-se o passado despesista do PS, que como sabe a Mota Engil e irmãs agradecem vivamante. Aconselho a pensar mais em concreto as questões, incluindo o seu bolso.

    2. Caro mario olivares, o meu comentário não é sobre o caso português. É sobre o artigo de Louçã que é sobre o caso brasileiro. Eu sei que o regime brasileiro é presidencialista e que a eleição de Dilma lhe dá particular legitimidade política. Por outro lado, a constituição brasileira também prevê o “impeachment” e atribui ao congresso, que também foi eleito e tem legitimidade política, a competência para isso. Assim, se Dilma for destituída e Michel Temer for presidente durante o tempo que resta do mandato, estaremos perante uma decisão legítima e não um golpe de estado.

      Contudo, uma decisão legítima à luz da constituição e das leis pode ser de duvidosa legitimidade política. Independentemente, de acharmos que a justificação para o impeachment é correto ou não ou de não termos opinião sobre isso, devemos reconhecer que uma tal decisão provavelmente não será puramente jurídica e terá uma carga política. Como, em democracia, a atribuição da legitimidade política pertence ao povo, o impeachment deveria ser seguido de eleições. A menos que fosse consensual para os brasileiros que a decisão teria sido puramente jurídica, o que claramente não é o caso.

      Também tenho opinião sobre o caso português, mas não escreverei sobre isso aqui.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Tópicos

Pesquisa

Arquivo