Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

António Bagão Félix

16 de Fevereiro de 2015, 08:00

Por

Humanitário?

No contexto de globalização e de “torre de Babel” linguística em que se vive, a usura das palavras e expressões segue a um ritmo alucinante. E, em paralelo, a língua portuguesa vai servindo de barriga de aluguer de outros tantos vocábulos (mal) importados.

Há uma catadupa de vocábulos assimilados pela epiderme e digeridos pela iliteracia, às vezes pretensamente snobe. Por exemplo, em vez de se dizer “supõe-se que o homem não se apercebeu como o projecto foi realizado”, diz-se agora profusamente “é suposto que o homem não realizou como o projecto foi implementado”.

Mas o que me traz agora à escrita, é o indevido uso da palavra humanitário que talvez advenha de uma distorcida importação do inglês humanitarian. Enquanto adjectivo, significa que “proporciona ou promove o bem-estar humano e social”. Por isso se pode falar de valores humanitários, ajuda ou auxílio humanitários, programa humanitário, cooperação humanitária ou acolhimento humanitário.

O que está errado é usar o adjectivo em situações que são tudo menos humanitárias. Por exemplo, catástrofe humanitária, tragédia humanitária, desastre humanitário, crise humanitária. Ou será que a tragédia é humanitária, em vez de humana ou social?

Franz Kafka disse um dia que “ uma das coisas que devemos sempre respeitar é a língua, porque ela nos une”. Por mim, sei que não posso evitar todos os erros, mas vou tentando e corrigindo.

Comentários

  1. Infelizmente, o mau uso de «humanitário» não é filho único; os casos multiplicam-se. Outro termo que está na moda usar erradamente é o neologismo «austericida».

  2. Este artigo fez-me lembrar as muitas personalidades muito solidárias, de esquerda e de direita, que apoiam, através de manifestações e manifestos, excelentes projetos solidários para serem pagos com o dinheiro dos outros.

    1. Muito obrigado. Aproveito para lhe agradecer o verdadeiro serviço público que nos oferece através do Ciberdúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Tópicos

Pesquisa

Arquivo