Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

António Bagão Félix

22 de Novembro de 2014, 08:00

Por

UEFA, geografia e política

UEFAO número de países inscritos na UEFA aumentou pela implosão da URSS (são agora mais 10, além da Rússia: Ucrânia, Bielorrússia, Lituânia, Letónia, Estónia, Arménia, Azerbaijão, Moldávia, Geórgia e Cazaquistão), da divisão da Jugoslávia em 6 países (Eslovénia, Croácia, Sérvia, Bósnia-Herzegovina, Montenegro e Macedónia) e da Checoslováquia em 2 (R. Checa e Eslováquia). No tempo da União Soviética bem se poderia afirmar que a Europa do futebol ia até aos confins da Ásia. Agora estão sob a jurisdição da UEFA cinco novos países que estão na chamada e discutida Eurásia e só parcialmente (ou mesmo muito parcialmente) estão na Europa (Federação Russa, Arménia, Geórgia, Azerbaijão e Cazaquistão). Além da Turquia que só é europeia em permilagem e de Israel que, desde 1991 está na Europa do futebol, apesar de fazer parte de outro continente. Na geografia uefeira há desde as selecções desejadas em qualquer sorteio (Malta, Liechtenstein, São Marino, Andorra) até às selecções que não correspondem a países. A situação mais antiga é a do Reino Unido que fornece quatro equipas: Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales. E que este ano passou a ter a quinta, Gibraltar, já admitida como membro de pleno direito, o que contribui para acirrar o diferendo entre Espanha e Grã-Bretanha. Outro caso curioso é o das Ilhas Feroé, território com autonomia ligado à Dinamarca e 48.000 habitantes …. Já a Groenlândia com o mesmo estatuto (e 57.000 habitantes) não está na UEFA, ainda que aí a geografia nos diga que já pertence ao continente norte-americano. Há Estados europeus que não estão na UEFA: o Vaticano por óbvias razões e o Mónaco que joga em França… E o Kosovo por enquanto. Chipre representa apenas parte da ilha (exclui a autodenominada Rep. Turca de Chipre do Norte). Ainda há os candidatos a candidatos, como a Catalunha que lá vai fazendo uns joguitos amigavelmente provocatórios. UEFA, geografia e política: para todos os gostos!

Comentários

  1. A Europa comporta actualmente 48 países. Um deles, o Reino Unido, fornece 4 equipas. Mas, por outro lado, o Vaticano como país não tem representação futebolística. Temos de subtrair o Mónaco e considerar a Dinamarca com duas representações(Dinamarca e Ilhas Feroé). A Groenlândia não existe como país europeu. O Cazaquistão é considerado país asiático.

    O Mónaco é o país de maior densidade populacional do mundo: 2 Km2 e 18.000 habitantes. O Mónaco tem duas cidades: Mónaco(1300 habitantes) e Monte-Carlo(15.000 habitantes).

    O Vaticano também tem dados de elevada densidade populacional: compreende-se, numa pequena área agrupam-se fortes núcleos populacionais, pela natureza da constituição como Estados.

    A quantificação da riqueza per capita, pelos mesmos motivos, também coloca os pequenos países em posições de relevo no contexto mundial(Mónaco; Liechtenstein, Luxemburgo, São Marino).

    O país de maior área é a Rússia(Europeia e Asiática), mais de 17 milhões de Km2.

    Aprecio os pequenos países que deram grandes futebolistas ao mundo e cujas equipas cintilam no panorama internacional: Holanda sobretudo e também, em menor grau, a Bélgica.

    O país mais qualificado no contexto europeu e futebolístico é sem dúvida a Holanda. Duas vezes vice-campeão mundial e no passado com grandes equipas na Champions(Ajax sobretudo). Alguns dados da Holanda: tem 41.000 Km2, alguns destes conquistados ao mar; é um país plano(a maior elevação tem cerca de trezentos metros, o monte Vaalserberg); 17 milhões de habitantes, não muito “interior” para habitar, ao contrário de Portugal com muito “interior” despovoado; é claro a densidade populacional é superior a 400 hab/Km2 e a portuguesa anda pelos 120 hab/Km2.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Tópicos

Pesquisa

Arquivo