Eu vinha tão con­tente a che­gar a Bom­baim

Eu vinha tão contente a chegar a Bombaim. Na carruagem das mulheres, portas abertas para a cidade. A que parece mais uma cidade, com Índia e mais mundo. causewayGrande, confusa, quente, húmida. Vinha tão contente, sempre gostei do nome Bombaim. O último ponto da viagem. Ainda por cima, faço anos amanhã. Faço anos no último dia da viagem e em Bombaim. Vinha tão contente, as portas do comboio abertas para a cidade. Ainda por cima, vamos comer um bife de vaca nos meus anos. Todos os 12/12 repito que gosto de cá estar e que isto continua a ser o melhor sítio para se comer um bife, uma frase que não é minha e que fica mais engraçada na Índia. Vamos lá comer um, há bife de vaca em Bombaim. Vinha tão contente, Bombaim é um nome redondo, tem música. Vinha tão contente e depois cheguei a Bombaim e a primeira coisa que vi, pela segunda vez nesta viagem, foi mais uma notícia triste sobre os jornais no meu país. Um nome tão cheio, os meus anos. Vinha tão contente, mas é o jornal onde trabalho.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>