O que está a dar no Luxemburgo é a Alemanha


Ou a França, ou a Bélgica ou mesmo a Holanda. Não se pense com isto que o Luxemburgo nos passa ao lado – muito pelo contrário. Mas uma das suas mais-valias incontornáveis é a proximidade com tantos países, o que dá a oportunidade a qualquer viajante de conseguir uns quantos “carimbos” em cerca de meia hora de condução para qualquer ponto cardeal.

“A centralidade do Luxemburgo é um dos nossos trunfos”, afirma Cathy Giorgetti do Turismo do Luxemburgo. Afinal, para quem quiser “ficar aqui uma semana” pode conhecer de uma assentada cinco países.

No nosso caso, não era que nos faltasse fazer um “visto” na Alemanha. Mas é irresistível experimentar a sensação de, num saltinho, ir ao “estrangeiro”. Por isso, quando nos chega a proposta para visitarmos a feira de natal de Trier, histórica e velha cidade alemã, a cerca de 40km da Cidade do Luxemburgo, temos logo o “Sim” na ponta da língua.

Contando com o trânsito da entrada em Trier, demoramos à volta de 40 minutos de caminho. Miguel, a viver no Luxemburgo há quatro anos, conduz-nos ao mesmo tempo que nos explica que o acesso via auto-estrada não só é fácil como barato: “Não há portagens.” E o combustível, verificamos na bomba de abastecimento a parcos metros da fronteira, está entre os mais baratos na Europa: diesel a 1,21€.

Em Trier, tida como a mais velha cidade da Alemanha (a sua fundação remonta ao séc. I a.C.), um mercado de Natal que se divide em vários, pelos quais abundam luzinhas, enfeites coloridos e muitas prendas para trocar a 25 de Dezembro. Não faltam ainda as barraquinhas de vinho quente, nas quais muitos se recolhem, iguarias locais e o presépio tradicional, montado numa espécie de moinho. Tudo enquadrado entre casinhas perfeitamente alinhadas (uma das quais onde nasceu Karl Marx), como se se tratasse de um cenário tirado de um filme da Disney.

Uma hora (e uma salsicha) depois, e já estamos de volta ao Luxemburgo.

______________
Carla B. Ribeiro (texto) e Miguel Madeira (fotos) viajam a convite da Easyjet e do Turismo do Luxemburgo

 

4 comentários a O que está a dar no Luxemburgo é a Alemanha

  1. Trier é de longe a cidade mais interessante num raio de 50km do Luxemburgo, Metz (em França) também vale a visita, mas a distância já chega aos 65/70km.

    Quanto ao Luxemburgo ser uma boa base para visitar a região eu tendo a discordar. Vale a pena sim, se se tiver familiares que possam alojar e emprestar um carro. Se não, nem por isso. Os voos para cá são mais caros, o alojamento também, e as ligações em transporte público para a região envolvente deixam muito a desejar (as cidades de interesse na Bélgica ficam todas a mais de 2h de comboio, na Holanda a mais de 6h).

    De qualquer forma é um destino que vale por si e preenche muito bem um fim de semana prolongado, onde a visita a Trier deve estar incluída (há comboios frequentes). Em vindo no Inverno, uma tarde deve ser investida num dos vários centros spa públicos, onde por um preço muito acessível se pode recuperar na sauna a energia perdida na borrasca. Mas até agora Dezembro tem até sido muito ameno :)

    Responder
    • Miguel, obrigada pelas dicas :) . Quanto aos valor dos voos, foi essa a razão que nos levou a viajar ao Luxemburgo (a estreia de uma rota de baixo custo Lisboa – Luxemburgo – i/v desde cerca de 60€). E, por esse motivo, o Turismo do país está confiante de que haverá mais gente a procurar este destino até como forma de chegar a outros. Também achei que o Luxemburgo vale por si para uma escapada.

      Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>