Na montanha mágica entre Deus e os carrosséis

Nos olhos temos toda a Barcelona e arredores, mar, montes e vales. Nas costas sente-se a bênção de um Cristo-Rei colocado no topo dos topos da igreja do Sagrado Coração. Por todo o lado, sente-se a animação de feira popular, miúdos e graúdos entre esplanadas e restaurantes, carrosséis, montanha-russa, roda gigante ou avião em voltas circulares. É mais um dia na “montanha mágica” de Barcelona, Tibidabo de seu nome, a mais alta das redondezas e, aqui do alto dos seus 512m, tem mesmo o seu quê de magia, tanto pelo que permite à vista alcançar, miradouro global, como pelo cenário entre religião e diversão, que aqui parece mesmo um casamento feito no céu.

O parque de diversões, centenário, é um dos mais antigos do mundo e permite quase uma viagem no tempo graças a atracções com o seu quê de nostalgia – há ali um avião em voos circulares sobre o vazio que não nos sai do olhar -, com as alturas a darem verdadeiras vertigens a clássicos como a montanha-russa. Um Caminho do Céu garante um passeio belíssimo com toda a cidade aos pés.

Da feira popular a Deus são só uns degraus até ao Templo Expiatório do Sagrado Coração de Jesus, um contraste que dá que pensar. O complexo foi construído ao longo do séc. XX e pode-se subir em elevador e umas escadinhas até ao cimo, para o caso das vistas do nível do parque de atracções não ser suficiente para lavar os olhos. Temos a sorte de chegar à basílica a meio de uma celebração dos 50 anos de colocação da estátua de Jesus a coroar a igreja e por isso o passeio torna-se ainda mais especial, ao som de um Requiem (o de Rutter) pelo coro da Universidade de Barcelona.

Como passamos por cá só a ver as vistas, não nos demoramos por outras magias do Tibidabo, mas fica a nota: pela montanha, pode passear-se pelo parque, visitar-se (ou pelo menos ver de todo o lado), a torre de comunicações desenhada por Norman Foster, a Torre de Collserola, ou o observatório astronómico. No sopé, ainda avistamos o Museu de Ciência LaCaixa, mas ficou para a próxima visita.

Mas estar no topo da montanha é só parte da experiência turística, a outra é lá chegar. Nos transportes públicos, há um autocarro directo da praça da Catalunha mas há também a versão mais relaxada: ferrocarril até à avenida de Tibidabo, seguido de eléctrico, um clássico e elegante Tranvía Blau (azul), o único em funcionamento na cidade (só aos fins-de-semana, alternativa: um miniautocarro), e, cereja no bolo, funicular até ao topo. Mas isto é se tiver paciência como nós, que entre filas, multidões e esperas, o passeio pode demorar. Preços e toda a info do Tibidado estão aqui.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>