Rio, praia e rock

Como eu 315 mil turistas rumam para o Rio para os concertos do Rock in Rio que começam esta sexta-feira. Foram 14 horas de viagem, com escala em Madrid, e horas a mais na bagagem.

Mas a recompensa está aí: entre praia do Leme e praia de Copacabana, 21h30, quinta-feira, dia 22 de Setembro vista da janela do hotel Windsor Atlântica – o antigo Méridien (famoso pela cascata de fogos-de-artifício do réveillon) que acaba de ser remodelado.

E o Rock in Rio, que se prolonga pelos próximos dois fins-de-semanas com dezenas de estrelas da música, está mesmo a provocar uma enchente na cidade, elevando a 100 por cento a ocupação dos hotéis cariocas. Um recorde que ninguém esperava.

Pela janela semiaberta de frente para o mar, do 28.º andar, entra a brisa marinha e o som de um violão, vindo de um dos quiosques do Calçadão. Não há dúvidas, chegamos ao Rio. Que venha agora o rock.

[Simone Duarte viaja a convite da Embratur – Instituto Brasileiro de Turismo]

Os comentários estão fechados.