O baptismo das dunas

[6º dia, 5 de Setembro]

Hoje foi o nosso baptismo de jipe nas dunas. Felizmente não nos tocou andar de pá em punho, a desatascar carros. Por manifesta falta de força e de conhecimentos técnicos de mecânica, ninguém nos pediu ajuda ou opinião. Felizmente. Talvez por isso tivéssemos adorado andar dentro do jipe em subidas e descidas malucas. Foram gentis – andar com a cabeça ao sol a tirar os carros que ficam presos na areia é mesmo para amantes convictos do todo-o-terreno. Mas é disto que este pessoal gosta, do desafio, de mostrar a sua arte, o alcance da sua máquina.

Subir aquelas dunas altíssimas é bem mais difícil do que parece, mas quando se consegue, vale a pena. “Pessoal, há que conduzir com garra!”, diziam uns aos outros quando algum jipe não respondia e ficava com as rodas a plissar na areia.

Foi cansativo. O sol estava impiedoso. Quando chegámos ao hotel Kasbah Sirocco, em Zagora, fomos todos (ou quase todos) directos para a piscina. Neste momento, já passa da meia-noite e o calor continua a não nos dar sossego.

[fotos de Marco Vilela]

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>