A noite é mesmo noite, o silêncio é mesmo silêncio

Daqui a meia hora, estaremos na estrada a caminho de Marraquexe. Nos últimos dois dias, não actualizámos o blogue, porque o deserto foi mais forte do que nós e desligou-nos do mundo, pelo menos por uma noite.

Acampámos em Erg Chegaga: havia tendas, música, comida e uma meia-lua intensa à nossa espera. Claro que, no meio daquelas dunas que têm uma textura difícil de definir, havia o silêncio. É impossível fugir disto no deserto: ali, a noite é mesmo noite e o silêncio é mesmo silêncio.

Hoje escrevemos esta nota no hotel Club Hanane, em Ouarzazate, onde chegámos ontem, depois de um dia inteiro de estrada em que a temperatura deverá ter rondado os 45 graus, talvez mesmo mais…

Agora, é Marraquexe que nos espera. Vamos arrumar a mala e fazermo-nos, mais uma vez, à estrada. Pelo caminho, vamos visitar o mausoléu do poeta Al-Um’Tamid.

(fotos de Marco Vilela)

 

Um comentário a A noite é mesmo noite, o silêncio é mesmo silêncio

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>