Borboleta-caveira (Acheronthia atropos)

A borboleta-caveira (Acheronthia atropos), da família Sphingidae é uma das maiores e mais pesadas borboletas que se conhece. Na zona do tórax possui um desenho idêntico ao de uma caveira, daí o seu nome vulgar. Esta é uma espécie migratória que tem a sua origem em África migrando periodicamente até ao continente europeu. Esta borboleta gosta de calor e habita em vales baixos e locais soalheiros, não sendo muito fácil de encontrar uma vez que está a sua maior atividade ocorre de madrugada. Voa de maio a setembro e apresenta duas gerações por ano. As Lagartas são inicialmente verdes, depois amarelas com riscas transversais azuis. Podem também ser castanhas-acinzentadas, manchadas de branco na zona dorsal perto da cabeça, mas sem as riscas transversais. Alimentam-se de uma grande variedade de plantas, entre as quais batateira, oliveira, Lantana camera, etc.. No final do seu desenvolvimento a lagarta escava um buraco vários centímetros abaixo da superfície do solo, para aí se transformar em crisálida. Por vezes na colheita das batatas, é comum observar as grandes crisálidas de cor castanha avermelhada, que aparecem à superfície juntamente com as batatas. Na fase adulta e quando se sente ameaçada emite um som muito característico. Ao contrário da maioria das outras borboletas que sugam o néctar das flores, esta borboleta é também gulosa por mel. Está bem adaptada para invadir as colmeias de abelhas e sugar o mel diretamente do favo através da sua forte espirotrompa. Para isso, e para não ser atacada pelas abelhas emite o tal som que por algum tempo consegue tranquiliza-las. Quando as abelhas se apercebem da sua presença, a borboleta-caveira tenta defender-se mas por vezes cai, ficando agarrada ao mel e acabando por morrer. No canal do Youtube está disponível um vídeo polaco de Adam Grochovalsky onde é possível acompanhar o ciclo de vida desta espécie.

bc9bc10bc11bc4 bc5 bc6 bc7 bc8    bc12bc13

7 comentários a Borboleta-caveira (Acheronthia atropos)

  1. Minha filha encontrou uma lagarta caída no piso aqui no Rio de Janeiro. Deixamos protegida por alguns dias, consegui filmar ela se transformando em casulo. Foi bem interessante pois dava alguns pulos quando as crianças balançavam sem querer. Hoje ela saiu do casulo e é linda. Estou preocupada pois a asa parece estar torta para dentro. Alguém sabe quanto tempo ela precisa pra se estabelecer e conseguir voar?

    Responder
  2. Achei um casulo desse aqui em casa , em Manaus Am , eu fui mexer e ele se mexeu , vim aqui atrás de mais informações pra ajudar o casulo no processo
    Já que o mesmo estava caído em um chão reto de cimento

    Responder
  3. Por quê ninguém percebeu que a efígie nas costas dela não representa uma caveira? Trata-se da imagem de uma abelha, compreendendo a cabeça com antenas, olhos e bico, seguido pelo tórax com duas patas dianteiras. Esta imagem, juntamente com o zunido que ela emite com as asas, possivelmente faz as abelhas pensarem que se trata de uma delas

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>