Os compradores de políticos

O Reino Unido está a braços com um escândalo de financiamento partidário que já levou à demissão do principal tesoureiro do Partido Conservador, no poder. É de resto mais um escândalo numa matéria (o financiamento dos partidos) que é motivo habitual de controvérsia no Reino Unido.

O caso ilustra a opacidade e os conflitos de interesses que minam o sistema político britânico, onde as doações aos partidos, sem limite legal, servem muitas vezes para prósperos doadores comprarem acesso privilegiado aos decisores políticos e responsáveis governamentais; ou ganharem benefícios indevidos – de que foi exemplo, há poucos anos, o famoso caso dos títulos nobiliárquicos trocados por dinheiro.

Chandu Krishnan, da Transparency International UK, recorda como estes casos estão a arruinar a confiança que os cidadãos devem depositar nas instituições políticas. “A necessidade de mudanças urgentes é palpável”, diz o ativista.

Importa seguir este debate. O financiamento partidário é das áreas mais opacas da vida pública, mesmo nos países mais democráticos. Em Portugal, a última lei de financiamento dos partidos e campanhas eleitorais veio piorar um sistema já de si com várias falhas, como na altura apontou a TIAC. É a hora de colocar em cima da mesa iniciativas claras e sólidas para, com a participação indispensável da sociedade civil, melhorar o nosso sistema de financiamento político.

5 comentários a Os compradores de políticos

  1. Pingback: A ler: “Os compradores de políticos” | Economia e Finanças

Responder a Claudinei Santos Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>