Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Europa

Ricardo Cabral

25 de Maio de 2017, 11:00

Por

Jens Weidmann à frente do BCE?

Quando o euro foi criado, França e Alemanha “acordaram” que a sede do Banco Central Europeu ficasse em Frankfurt, sob a condição de que seria presidido por um francês. Embora o BCE fosse um banco central que conduziria a política monetária de forma independente, à imagem do Bundesbank, o Presidente Chirac pretendia dar o sinal político de que, em última instância, estaria sob o controlo político dos líderes eleitos da Europa, segundo John Van Oudenaren. Foi encontrada uma solução de… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

17 de Maio de 2017, 19:29

Por

Outras opções

É interessante constatar a diferença de atitude de países da União Europeia e da zona euro em relação à sua banca. Apenas dois exemplos: Em Inglaterra, o Governo foi privatizando aos poucos a sua participação accionista no Lloyds Banking Group, banco que tinha parcialmente nacionalizado através de várias recapitalizações públicas durante a crise financeira internacional de 2007-2009. A venda da totalidade da participação gerou proveitos financeiros 900 milhões de libras superiores, em termos nominais, ao montante da recapitalização pelo erário… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

14 de Maio de 2017, 19:38

Por

Bons ventos da Europa

Na semana que passou, duas importantes intervenções abrem boas perspectivas para o desenvolvimento económico da zona euro, no curto e médio prazo. Primeiro, Mario Draghi. Numa intervenção e sessão de perguntas e respostas com membros do Parlamento Holandês em Haia, defendeu vigorosamente a política monetária do BCE, nomeadamente o programa de expansão quantitativa. Nessa intervenção foi  muito criticado por diversos membros do parlamento holandês precisamente por causa dessa política. O tom confrontacional dos deputados holandeses, face a um dos decisores mais… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

8 de Maio de 2017, 09:02

Por

A França “macaron”

Em França ganhou o jovem Emmanuel Macron. Venceu por defeito, como agora se diz amiúde. A direita, a esquerda e o centro conformados e resignados perante a ameaça da extrema-direita. Já se disse tudo sobre as eleições gaulesas. Neste texto, prefiro falar de França, esse país-sol de muitas gerações e o ícone republicano que, desde a Revolução jacobina de 1789, influenciou fortemente a ideologia política, a cultura e artes, a literatura e o cinema, os tiques e taques sociais e… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

7 de Maio de 2017, 18:08

Por

Um divórcio que se avizinha difícil?

Como interpretar o jantar no nº 10 da Downing Street, entre Theresa May e Jean-Claude Juncker, que este deixou saber, para desagrado de Angela Merkel e de Theresa May, que correu muito mal, dizendo que ficou “dez vezes mais céptico” sobre os resultados da negociação da saída do Reino Unido da União Europeia? Theresa May já respondeu acusando a União Europeia de tentar influenciar os resultados das eleições inglesas. Claro que há demasiada demagogia à mistura. Theresa May, a caminho… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

5 de Maio de 2017, 08:36

Por

O centro assanhado

Dizia Hölderlin que “onde há perigo cresce o que nos salva”. Mas pode ser falso e paralisante, não há redenção na 25ª hora, nada cresce espontaneamente sem nós, sem a capacidade democrática de mobilizar as energias da sociedade. Ninguém nos dispensa do esforço e do risco de enfrentar os perigos. Por isso, é trivial que a esquerda aceite um candidato de centro ou de centro-direita contra uma fascista na segunda volta de uma eleição presidencial. Por uma razão evidente: não… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo