Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Economia

Ricardo Cabral

17 de Setembro de 2017, 12:19

Por

Portugal já não é “lixo” para a S&P

A subida do rating da República pela S&P de “lixo” (BB+) para a classe mais baixa de “investimento” (BBB-) surpreendeu. A dívida pública nunca atingiu níveis tão elevados – estava em 132,4% do PIB em Junho de 2017 –, embora o Governo argumente que irá cair para cerca de 128% do PIB, após as amortizações de dívida previstas para a segunda metade de 2017. Mas é um facto que a dívida pública, líquida de depósitos da Administração Central, estabilizou desde… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

14 de Setembro de 2017, 08:33

Por

Há mais vida para além de geringonçar

Não há partido que resista à tentação eleitoral. Ou de abrir a bolsa em tempos de conjunturas mais fáceis. E, por consequência, de apresentar um sedutor Orçamento do Estado. Como dizia Oscar Wilde – aqui aplicado à política – resiste-se a tudo menos às tentações! Refiro-me a essa prática muito selectiva de se ir deixando cair as boas novidades orçamentais em regime de gota-a-gota. Sobretudo no domínio da fiscalidade, assim se esfarelando ainda mais a coerência e a congruência do… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

13 de Setembro de 2017, 16:24

Por

Somos todos iguais, mas uns são mais iguais que outros

O Secretário de Estado do Tesouro anunciou uma medida para proteger depósitos acima de 100 mil euros, ou seja, proteger cerca de 1,5% dos depositantes, os quais detinham cerca de 65 mil milhões de euros de depósitos em Junho de 2016 (37,8% do total de depósitos), sendo que, desse montante, cerca de 23 mil milhões de euros já estará protegido pela garantia de depósitos, porque inferiores a 100 mil euros. O objectivo da medida seria “proteger um conjunto de empresas,… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

6 de Setembro de 2017, 13:38

Por

A queda da despesa pública com juros

É surpreendente que, nas actuais condições de instabilidade geopolítica, as taxas de juro da dívida pública da zona euro andem ”pelas ruas da amargura” (para os credores, claro!), a ponto da dívida pública dos países membros da zona euro, Portugal em particular, ser a menos má de entre as (dispendiosas) alternativas. Analistas do Bank of America antecipam que o programa de expansão quantitativa (EQ) do BCE será prolongado durante os primeiros seis meses de 2018, com o nível de compras… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

3 de Setembro de 2017, 11:57

Por

Um significativo obstáculo à venda do Novo Banco

A solução do anterior Governo para recapitalizar o Novo Banco – uma nacionalização encapotada da parte boa do BES, com a promessa de que seriam os bancos a pagar a factura – criou enormes problemas e foi “um presente envenenado” ao actual Governo. Mas a decisão da venda do Novo Banco à Lone Star pôs a nu, novamente, esta forma criativa de fazer política económica, tão típica em Portugal. O actual Governo deparava-se com uma equação política impossível. Por um… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

30 de Agosto de 2017, 12:24

Por

Os fundos soberanos e seus investimentos (Parte II)

Uma proporção crescente da poupança externa é detida ou por fundos soberanos (que se estima detêm 7,4 biliões de dólares de activos financeiros) ou por bancos centrais (que, segundo o Banco Mundial, detêm cerca de 11,5 biliões de dólares de reservas internacionais)[1].   Note-se que, em 2016: o PIB mundial é estimado em 75,6 biliões de dólares; o stock de dívida externa bruta em 76 biliões de dólares; a capitalização dos mercados bolsistas, a nível mundial, em 65 biliões de… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo