Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

Francisco Louçã

Francisco Louçã, nascido em Lisboa, economista. Foi deputado (1999-2012) e é professor de economia na Universidade de Lisboa. Os últimos livros que publicou foram "A Dividadura" e "Isto é um Assalto" (Bertrand, 2012 e 2013), ambos com Mariana Mortágua, "Os Burgueses" (Bertrand, 2014, com J. Teixeira Lopes e J. Costa) e “A Solução Novo Escudo” (Lua de Papel, 2014, com João Ferreira do Amaral). Também se dedica agora a este Tudo Menos Economia e ao que mais se verá.

15 de Agosto de 2017, 16:17

Dez anos de irresponsabilidade e outra vez na mesma

Disse-se a semana passada que foi a 9 de agosto de 2007 – portanto há dez anos – que se teria iniciado essa confusa sequência de acidentes e pânicos que viria a ser chamada a “crise do subprime”, primeiro, e Grande Recessão, depois. Não é exacto. De facto, em fevereiro desse ano já tinha havido avisos: o HSBC, um dos maiores bancos do mundo, tinha subitamente aumentado as provisões para créditos em risco, precisamente por causa das hipotecas subprime nos… Continuar a ler ›

11 de Agosto de 2017, 00:45

Por favor, não nos envergonhem mais

Os sucessivos episódios em torno da decisão judicial quanto à candidatura de Isaltino de Morais são um tristíssimo folhetim de verão mas também mais uma chicotada de degradação da justiça. O que o PÚBLICO já apurou é um inventário de malfeitorias: um juiz de Sintra pede para ficar de plantão à certificação das candidaturas autárquicas de Oeiras (já tinha sido ele a decidir sobre o assunto em 2013, que afastou Morais por outro motivo) e, no último dia em que… Continuar a ler ›

8 de Agosto de 2017, 07:20

Ida e volta no 727

Escrever num jornal e na internet sobre um assunto, qualquer que seja, sujeita-nos ao imprevisível. Mesmo não estando convencido de que os clubes de fanáticos que pululam nos comentários, a cloaca de insultos tantas vezes a coberto do anonimato ou outras patologias da hipercomunicação sejam assim tão diferentes dos modos de violência verbal que outros regimes de expressão anteriormente albergavam, reconheço que hoje são mais anunciados e portanto mais visíveis. No caso do testemunho que aqui publiquei sobre a carreira… Continuar a ler ›

4 de Agosto de 2017, 08:44

Aventuras no 727

Vai-me perdoar que lhe conte um segredo. E que lhe apresente queixa de como isto está difícil, nunca mais há resultados, prometeram muito e não acontece nada. É que eu apanho o 727 para ir para o trabalho e é sempre uma aventura. Há muitos anos que uso este autocarro. É o que me leva de casa à faculdade, era também o que me levava ao parlamento, são um ao lado da outra. Já deve estar a ver, é o… Continuar a ler ›

1 de Agosto de 2017, 11:15

A chave da política

Imagine que esteve uns dias sem ler jornais nem saber nada do nosso país, nem internet nem televisão. Chega hoje a sua casa, liga o mundo e fica a saber que Marcelo deu uma longa entrevista. Tem então duas possibilidades: ou lê o que se diz sobre a entrevista, ou lê a entrevista. O problema é que nenhuma delas lhe vai assegurar uma interpretação tranquila e consensual. Se ler a entrevista, vai-lhe parecer a recapitulação do que o presidente disse… Continuar a ler ›

27 de Julho de 2017, 23:16

Segura-me depressa se não eu bato-lhe

Se o leitor ou a leitora tem estado com atenção, estes dias recentes têm demonstrado uma das características mais divertidas do discurso político em Portugal: essa curiosa mistura de presunção e pesporrência, que tem erguido brilhantes carreiras pelo menos desde o Conde de Abranhos. Se para mais tivermos alguém que precise de se afirmar neste campeonato do peito feito, então a receita é certa, vai haver superlativos. Hugo Soares, novel líder parlamentar do PSD, logo que Montenegro decidiu antecipar a… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo