Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

Francisco Louçã

Francisco Louçã, nascido em Lisboa, economista. Foi deputado (1999-2012) e é professor de economia na Universidade de Lisboa. Os últimos livros que publicou foram "A Dividadura" e "Isto é um Assalto" (Bertrand, 2012 e 2013), ambos com Mariana Mortágua, "Os Burgueses" (Bertrand, 2014, com J. Teixeira Lopes e J. Costa) e “A Solução Novo Escudo” (Lua de Papel, 2014, com João Ferreira do Amaral). Também se dedica agora a este Tudo Menos Economia e ao que mais se verá.

20 de Outubro de 2017, 15:29

Que tal seguir exemplos espanhóis (nos fogos)?

O Conselho de Ministros discute no sábado uma prometida reforma da protecção civil. É importante mas, se for só o caso, será pouco. O desleixo das queimadas, conjugada com a vaga de terrorismo incendiário na noite de 15 de outubro, agravada pela desorientação dos mandos da protecção civil perante crises extremas, indica que precisamos de mais do que respostas circunstanciais. Ora, apesar de seguro da vitória confortável na moção de censura do CDS – que Costa só pode agradecer, veio… Continuar a ler ›

16 de Outubro de 2017, 19:00

Venha um superministério para combater o fogo

Em guerra não se limpam as espingardas e em tempo de combate ao fogo o que é preciso é apagá-lo. As jogadas para aproveitar a catástrofe são por isso prova de ruindade, como antes o fora a invenção dos “suicidados” de Pedrógrão Grande. A ministra tem de concluir as operações contra os fogos em mais esta semana trágica e não tem sentido mudar de responsável no meio do rescaldo. Mas mal vai o governo se pensa que a questão se… Continuar a ler ›

13 de Outubro de 2017, 13:18

Conhecidos desconhecidos na Operação Marquês

Donald Rumsfeld, um assanhado falcão que foi ministro dos EUA durante as suas recentes guerras mesopotâmicas, celebrizou-se por poucas coisas. Era um homem de negócios, a sua empresa foi das grandes beneficiárias da guerra, a ocupação do Iraque foi uma bênção para o terrorismo e uma maldição para os árabes, não é fácil encontrar alguma coisa que o recomende. Mas pelo menos dizia ao que vinha. Talvez por isso os participantes na cimeira da NATO de 2002 possam ter sido… Continuar a ler ›

10 de Outubro de 2017, 12:13

Despojos laranja depois da enxurrada autárquica

Cá temos então Santana vs Rio. É a principal consequência da eleição autárquica: colapsando para cerca de 10% nas duas principais cidades, todo o projecto do PSD passista falhou. Nem houve eleições legislativas antecipadas, o famoso diabo, nem o governo se desgastou, antes aproveitou o contraste que lhe foi oferecido entre a crispação ressentida e o alívio na bolsa e na vida das pessoas. Portanto, o governo ganhou, venha o senhor laranja que se segue. E aqui é que está… Continuar a ler ›

6 de Outubro de 2017, 20:00

O sectarismo é uma consumição

“Lumière! L’Aventure Commence”, filme composto por Thierry Frémaux, abriu esta semana a Festa do Cinema Francês. É “composto” porque é uma selecção dos geniais filmes dos irmãos Lumière, explicados e comentados por Frémaux, o organizador do festival de Cannes. Os originais, restaurados com notável qualidade, têm todos até 50 segundos e são cenas do trabalho, de festas, de comemorações, de paisagens urbanas, algumas encenações cómicas, outras documentais. São filmes espantosos pelo enquadramento, pela figuração, pela representação do movimento naquele virar… Continuar a ler ›

3 de Outubro de 2017, 11:09

Como não perder depois de ganhar

O vencedor da noite eleitoral, o PS, é o partido que arrisca mais nas próximas semanas. Explico-me: o PSD iniciará o seu processo de congresso, muitas reuniões – que delicioso que a primeira congregação se reúna numa quinta em Azeitão, em ambiente bucólico tão propício às facas longas – e muita zaragata. Mas, até ver, tudo o que o PSD fará é não fazer nada. Entrará desbaratado no processo orçamental, penará até ao congresso e depois se vê. Ora, ao… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo