Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

António Bagão Félix

António Bagão Félix

Nasci em 1948, em Ílhavo. Vim para Lisboa em 1965, hesitando entre as Economias e as Agronomias. Fiquei-me pelas primeiras, mas o gosto pela natureza e pela botânica continua a ser uma das minhas vitaminas de alma. Andei quase sempre pela actividade seguradora. Em 1980, entrei na política para Secretário de Estado da Segurança Social. Fui Vice-Governador do Banco de Portugal e em diferentes Governos estive nas Finanças, Segurança Social, Trabalho e Formação Profissional. Costumo dizer que sou independente, por convicção e dependente por liberdade. Sou católico e benfiquista, admitindo a heresia de juntar as duas palavras. Gosto de dar aulas e de trabalhar em instituições de solidariedade. Tenho vários livros publicados. Actualmente, sou membro do Conselho de Estado. O que nunca farei? Buscar razões para nada fazer. O tempo perfeito? A paz dentro de mim.

17 de Agosto de 2017, 08:22

Topos de gama e gamas de topo

Gama, terceira letra do alfabeto grego, mas também expressando uma série de coisas da mesma categoria, ordenadas segundo o seu valor. Topo, entre outras significações, quer dizer o grau mais elevado que se pode alcançar. Topo de gama, uma expressão recentemente lexicalizada de carácter qualificativo, que atribui a um dado objecto um lugar preferencial numa determinada escala. O tempo de agora convive bem com esta desengonçada expressão. A obsessão topo-gamista invade tudo e enevoa cabeças. Topo de gama para automóveis,… Continuar a ler ›

14 de Agosto de 2017, 09:17

Desemprego a descer e a política a desmerecer

Há dias, foram conhecidos os resultados do inquérito trimestral ao emprego do INE, relativo ao 2º trimestre de 2017. Verifica-se uma sensível melhoria no mercado de trabalho, em praticamente todos os índices. Em termos homólogos comparando o 2º trimestre de 2017 face ao 2º trimestre de 2016 (assim se evitando desvios de sazonalidade), podemos constatar que: – A população empregada cresceu 3,4% (+158 mil), o que permitiu diminuir a taxa de desemprego em 2 pontos percentuais (de 10,8% para 8,8%)… Continuar a ler ›

10 de Agosto de 2017, 09:43

Penúria televisiva em maioria absoluta

“Porque é que veio à praia?” pergunta a jornalista – entusiasmada com tão excitante pergunta, que se lhe assaltou brilhantemente – a um banhista a atoalhar-se depois de um banho no oceano. “Acha que está calor?” questiona o jornalista pressuroso diante de duas veraneantes a apanhar banhos de sol prenhes de ultravioletas. “Está calor, sim”. E, de seguida, remata “e usa protector solar?“ ao que uma delas responde com o grau do dito, adequado para a hora da canícula em… Continuar a ler ›

7 de Agosto de 2017, 08:50

O forrobodó na Casa Branca

Escrevo em Casa Branca sobre a Casa Branca. Na generosa e serena Casa Branca do Alto Alentejo, sobre a Casa Branca de Washington, que agora tem como inquilino (ou senhorio?) Donald Trump. Eleito com surpresa, depois de se ter negligenciado a sua candidatura e vencendo uma opositora que fez uma campanha baseada até à exaustão na “correcção política” e na ilusão de que se ganha uma eleição somando todas as preferências de minorias da nação americana. Sete meses foram suficientes… Continuar a ler ›

3 de Agosto de 2017, 08:59

Gentilmente gentílico

Sento-me para escrever a minha crónica de sexta-feira. Manhã cedo, entre uma ligeira, mas refrescante brisa que me consola antes da canícula, ouvindo as aves indiferentes ao barulho do teclado e junto das minhas árvores que me convidam a abraçá-las. Neste contexto, não me apraz escrever sobre economia ou política. De economia, fazendo jus ao título do blogue. De política, por posologia terapêutica. Escrevo, antes, sobre um tema mais prosaico. Refiro-me aos gentílicos. Os substantivos gentílicos (se adjectivos igualmente conhecidos… Continuar a ler ›

31 de Julho de 2017, 09:56

A gosto

Há enormes atrasos provocados pelas filas, que chegam a quatro horas, nos controlos dos aeroportos como Madrid, Palma de Maiorca, Lisboa, Lyon, Paris-Orly, Milão e Bruxelas, assim diz uma notícia de há dias. Certamente essas filas aumentarão ainda, agora que começa Agosto, o oitavo mês do calendário gregoriano, cujo nome foi dado em honra do imperador César Augusto. Agosto é, naturalmente, o mês da hipérbole turística. Entre os que chegam e os que saem, os aeroportos transformam-se em locais de… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo