Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

5 de Setembro de 2017, 00:21

Por

Agradecimento ao Professor Cavaco Silva

A intervenção de Cavaco Silva na universidade de verão dos jovens do PSD é um triplo erro para ele e uma tripla vantagem para a esquerda.

Em primeiro lugar, o contexto. O ex-presidente esteve quase sempre discreto durante o mandato do seu sucessor, ao longo de ano e meio. Apresentou um controverso livro de memórias, mas a reacção da opinião pública já o devia ter feito perceber que as suas quezílias com Sócrates não aquecem nem arrefecem o país. Assim, ao escolher fazer pela primeira vez um discurso político de fundo, poderia ter optado por um cenário nacional mais abrangente, que evocasse o seu tempo em Belém. Não, escolheu voltar ao partido para perorar perante uma centena de jovens laranja. Quis portanto fazer-se pequeno.

Em segundo lugar, o tema. Cavaco escolheu abdicar de um tema. Para ser justo, supõe-se que falou da importância do euro, dos maus líderes da União Europeia, de um tal “senhor Trump” e de outras minudências. Mas isso tornou-se irrelevante porque decidiu apimentar o seus discurso com remoques evidentemente dirigidos a António Costa e a Marcelo, num estilo que nunca tinha usado no passado. Os “pios” e a “verborreia frenética” tinham obviamente alvos marcados, e mesmo o facto de só os ter insinuado ainda entusiasmou mais os jornalistas. Por isso, da sua intervenção de fundo, a tal que só fez depois de profundo silêncio e augusta ponderação, só restarão os “pios”.

Em terceiro lugar, a posição. Ao confirmar o rancor de Passos Coelho e a estratégia do azedume, Cavaco fez-se simpático para a matula que vitupera ter sido arredada do poder pelas malfadas eleições de 2015. Mas isso também é prejudicial para Passos e até ele se aperceberá que Cavaco, insinuando, é ainda mais violento do que o ex-primeiro ministro e portanto mobiliza melhor os corações do PSD. Desse modo, ao fazer de Passos, Cavaco só mostra que Passos é poucochinho.

A consequência de tudo isto é que fica tudo na mesma. O PSD empolga-se e Marco António Costa pede mais, Paulo Rangel vê o sangue a correr nas estradas provocado pela perfídia do governo, Passos defende todos e pronto. O quartel general do PSD esgotou-se no “pio” de Cavaco e na defesa do “pio”, foi a semana toda nesta piadeira.

Ainda pode vir, em recurso do desespero, um Bannonzinho caseiro deslumbrar-se com o grande Homem que falou e espantar-se pelo facto de as suas palavras sábias terem alimentado a pilhéria, ou um cavaquista de última hora garantir que, por um vislumbre, Portugal voltou a ter um Presidente porque o actual desertou, ou a brigada neoconservadora chorar porque o Homem falou da “realidade” e a plebe lhe virou as costas, encantada com a sarabanda que o Presidente não perdeu a oportunidade de passar ao conferencista.

Por tudo isto, só posso agradecer a Cavaco Silva. Ao levar o PSD para onde a maioria o quer bem quietinho, faz um serviço à esquerda: quanto mais ressentimento dos ex-governantes, maior o alívio da maioria da população. Quanto mais a política da direita estiver exclusivamente concentrada em lembrar o passado – e Cavaco só é passado –, mais confortável para o governo. Ao radicalizar o PSD no discurso do ódio, Cavaco ajuda a que a descompressão continue o seu caminho. Ao atacar um presidente popular que tem apoiado institucionalmente o governo, Cavaco pode pensar que se ergue em anti-Marcelo, mas só torna mais fácil que Marcelo lembre que foi eleito porque ninguém suportava mais o estilo Cavaco.

É tudo esplêndido e dificilmente poderia ser melhor. O regresso de Cavaco lembra a Portugal o que andamos desde que o anterior presidente e a sua coligação de direita foram afastados do poder e torna tudo mais previsível e mais fácil. Nem o governo merece tanta ajuda da direita, mas, enfim, é o que temos e quem oferece o que tem a mais não é obrigado.

Comentários

  1. Caro amigo
    Também foi militante no psd antes do Prof.Cavaco aparecer, depois desisti perdeu-se uma classe politica de ideias, cada nova fornada de políticos é pior que a anterior. Costumo ler Francisco Louçã como contraditório, mas surgem artigos como este que são de uma azedume, vingativo e daí que que se tenha chegado a este estado das coisas. É triste.

  2. “Quis portanto fazer-se pequeno.” Bela frase para terminar uma biografia de Cavaco Silva.

    Cavaco Silva e Passos Coelho. Continuem a fazer o trabalho que têm feito. É um favor que fazem ao país. Afundar a direita.

  3. “Quis portanto fazer-se pequeno.” Bela frase para terminar uma biografia de Cavaco Silva.

    Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho. Só espero que continuem o trabalho que têm feito. É um favor que fazem ao país, afundar a direita.

  4. No ano em que fiz 18 anos filiei-me por idealismo…dever cívico achava a política um nobre exercício individual, uma entrega pela causa publica, pensava que deveria ter que fazer algo mais do que depositar um voto numa urna…estávamos em 1987 em plena euforia Europeia, Cavaquista…fui um apoiante do Prof. Cavaco até à conclusão da sua 1a maioria parlamentar/governo. Fez alguns erros mas o saldo foi claramente positivo para o país, ao nível economico, político, reformas que tinham de ser feitas, posicionsmento geopolitico (aproximação à europa) etc…a historia é do conhecimento de todos…

    Se se tivesse reformado no final desse mandato ainda hoje teriamos a sua aurea, mítica do grande político, estadista…etc

    Mas não.

    Tudo o que aconteceu depois disso 2° Mandato desastroso rodeado de personalidades implicadas em tanta falcatrua, recabiamento pela perca das presidenciais contra Jorge Sampaio…gestão ardilosa da sua influência no partido…em bastidores…numa suposta década sabática de afastamento da política ativa que culminou com o linchamento publico de Santana Lopes, o único que ousou antecipar décadas antes ainda no seu govermo a verdadeira natureza do professor.

    Finalmente a Presidência…tanta experiência política, economia (estudou na mesma escola que eu ISEG), e não nos livrou de duas catastrofes seguidas? o governo do desvario demagogo e populista de Socrates…e a emenda do governo incompetente, e até de certa forma infantil de Passos Coelho, provavelmente o político mais impreparado da historia portuguesa para poder governar o país numa situação normal, quanto mais no período que todos tivemos que enfrentar.

    Relativamente a mim insignificante cidadão anónimo…
    felizmente que a minha demanda idealista de filiação partidaria terminou…fui expulso! com a limpesa dos cadernos de filiação do prof. Marcelo…fiquei até aliviado porque a realidade partidária do PSD e de outros partidos é a da preversa e pouco estudada aproproação das estruturas concelhias, distritais e depois nacionais por 1/2 duzia de gatos pingados e seus descendentes que gerem o partido como se de uma coutada se tratasse à custa de beneces a distribuir pela malta uma vez chegados ao poder…

    Senão vejamos…

    Como é possível por exemplo um partido político propor a presidente de Câmara uma mesma pessoa durante 5 mandatos seguidos(27 anos) e não contente com isso o partido volta a propo-lo para Loures, e novamente escala-o este ano para outra câmara?

    Dizem…ah e tal ganhou n mandatos o povo votou nele é o Mourinho das presidências de Câmara…errado, é o resultado de um fenómeno inexplicável do exercicio da cidadania e atividade política com uma simples ida às urnas depositar um voto num partido como se um de clube se tratasse, uma validação de um candidato apresentado pelo clube…de membros restritos sem vagas para novas admissões.

    Então…não existem nas cidades regiões novas gerações de cidadãos que possam exercer cargos de serviço público com iguais capacidades políticas, de gestão….honestidade…para se sucederem às antigas gerações da chamada obra feita das retundas, piscinas e vias de comunicaçao…entre outras…

    Sou um social democrata inspirado na minha infância pela social democracia nórdica…e felizmente já não sou monopartidario…já votei em quase todos…e era aí que gostaria que o país se posicionasse, intervenção cívica forte à esquerda direita em cima em baixo…

    Voltando ao Prof. Cavaco…p.f. professor reformemo-nos todos com dignidade, os desafios do Sec XXI exigem outra coisa que não é isto que o sr está a fazer…

    Por favor refundemos a democracia pelas bases sem inventarem mais partidos políticos, os que existem são suficientes, abram as janelas das sedes partidarias para deixar entrar o at fresco, sejam criativos angariem filiados militantes aos milhares….sejam criativos, ousafos, pensem p.f. tenham consciência do mal que edte modelo já causou a tofos nós…o desperdicio de revursos, redundancia de gastos e endividamento criminoso do país que nos vai condicionar por decadas…e deixem-se destas universidadrs de verão de perpetuação de linhagens para os descendentes, filhos, sobrinhos,…da classe política que sai.

    Reinventem a angariação de militantes indo às verdadeiras raízes no povo, nos empreendedores do sec XXI, nos melhores de nós que estejamos dispostos a dar um pouco da sua experiência e vida pessoal pelo nobre e exercício do serviço da causa publica.

    Fechem as academias e universidades de elites estéreis e tragam de novo as pesdoas normais para a politica.

    Sejam criativos Portugal merece muito mais do que isto.

    Prof Cavado, tenha paciência…como diz o ditado popular: “Não me tragam os que já o foram nem os que ainda o irão ser”

    Im abraço para todos os Portugueses idealistas que teimam em remar contra o situacionismo.

    Bem hajam

    1. Caro amigo
      Também foi militante no psad antes do Prof.Cavaco aparecer, depois desisti perdeu-se uma classe politica de ideias, cada nova fornada de políticos é pior que a anterior. Costumo ler Franscisco Louçã como contraditório, mas surgem artigos como este que são de uma azedume, vingativo e daí que que se tenha chegado a este estado das coisas. É triste.

    2. A geringonça como lhe chamaram é a prova de que é possível uma convivência à esquerda sem dogmas, pragmática e com políticas embora condicionadas pelo monstro da dívida, que façam bem ao país.

      Há mais social democracia nórdica na geringonça que no PSD, CDS…
      Gerónimo de Sousa é um patriota disso não ha dúvida…Catarina Martins com o seu estilo ideológico e de comunicação muito próprio, também tem muito de social democracia nórdica…ninguém mais neste planeta se revê no comunismo como forma de organização dos povos…mas então porque é que não nos entendemos todos no que é fundamental?

      O partifo socialista deu-nos o populismo de Sócrates, mad o seu eleitorado não o é…o PSD deu-nos a incompetência e infantilidade de Passos Coelho mas o seu eleitorado é social democrata…não é de direita extremista e vergada a tudo o que vem de fora.

      No médio e longo prazo…tenham paciência! Já não se aguenta mais tanto azedume de um partido que se diz social democrata…p.f. olhem para o norte da europa, ser político não é uma profissão é um serviço, entrega pessoal em prol do bem comum.

      Estou cansado de esperar pelas lideranças…pela mudança de rumo, mas continuo disponível para ajudar a formar algo de novo dentro do quadro partidário existente….não vale a pena inventar mais partidos estes chegam…

      Construam mais pontes entre a esquerda centro e a direita e menos muros…como estes artigos incendiários…os governos têm a obrigação de governar para todos os portugueses uma vez eleitos e as oposições de fazerem contraditório mas construtivo…

      Já chega de tanto fazer e desfazer…em cada ciclo de 4 anos…basta! Basta! Basta!

      Portugal merece muito mais do que isto…esta forma palaciana e elitista da capital de fazer política: políticos, comentadores, tricas e tretas faidivers estéreis….

      Sejamos idealistas, e pragmáticos nós povo já nao aguentamos mais tanta falta de liderança…

      Façamos um Portugal summit da política…la mesmo no parque das Nações onde todos possam apresentar os seeus partidos, angariar militantes ou simples simpatizantes, evento de dias vom conferências, de ideias novas, onde artistas possam participar com o que de mais nobre tem a sociedade contemporânea, arte, pensadores…
      A Websummit junta 60.000 todos com um objetivo comum…a Portugal summit tambem pode juntar tantos para fazer algo de novo…

      Abraço para todos os que ainda acreditam ema Abril, Maio, Junho e todos os restantes meses do ano…

      Há muitas ideias novas que andam po aí nos melhores de nós, nos empreendedores do sec XXI que nem sequer chegam às concelhias dos partidos quanto mais aos centros de decisão.

      Ideias em blogs e artigos de opiniao leva as o vento…é urgente aproximar os cidadãos novamente à política, ao exercício cívico ativo, colocar a criatividade ao serviço das políticas…as novas gerações à esquerda centro e direita têm que ser chamadas à política…

      Há muitos portugueses na diáspora que podem também ser chamados às novas ideias, soluções…

      Portugal Summit 2018 uma ideia pro futuro.
      Eu estou disponivel…

      Vamos todos temar num rumo certo como os nossos antepassados das caravelas…utopia? Ou talvez não!

      É urgente reinventar Portugal!
      Agostinho da Silva fartou-se de nos dar boas pistas…

      Abraço pra todos portugueses não resignados.

  5. Parece que já se esqueceram… O homem tem mérito e muito, ele deve ser o único no mundo que nunca se engana e raramente tem dúvidas.

  6. Como primeiro ministro foi muito bom?
    Uma altura em que mais fundos comunitários entraram e que foram usados para destruir o tecido produtivo nacional. Acabou-se com pescas, agricultura, siderurgia, etc.
    Contruiram-se auto-estradas para entregar a privados para explorar e fez-se a ppp mais ruinosa de sempre.
    Colocou-se uma geração a trabalhar a recibos verdes, a descontar como se fosse empresário, sem ter quaisquer direitos, para dizer que havia muitos empresários e empreendedorismo ( que ele não sabe pronunciar e diz empreendorismo ).
    Deu-se “porrada” às pessoas na ponte e até dentro de camaras municipais. Cheguei a ver a polícia de choque bater numa grávida no terreiro do passo.
    Fez-se o maior roubo de sempre (BPN), perpretado por ministros dele a que Passos chama empresários exemplares, e que a “malta” ainda tenta culpar o Sócrates.
    Foi realmente muito bom.

  7. Lembro-me bem do respeito que 20% do eleitores que votaram nas eleições de 2015 tiveram da parte do Sr.Prof.Dr. Aníbal Cavaco Silva, assim que surgiu a gerigonça…

    Venha agora piar o que quiser, se piar assim. Agradecemos

  8. Vergonhosa figura que um ex-estadista fez. Era isto que o homem valia ? Intrigas de meia tigela, pius e mais pius ?
    Do que nós nos livrámos…que mediocridade !

  9. Como afirmou ao Guardian numa entrevista, o PM grego ao querer sair do euro, não encontrava outra galáxia para onde ir senão aquela onde está a Venezuela.
    Como seu grande admirador e compagnon de route, FL quer partilhar da mesma opinião mas como tem medo de o dizer abertamente, esconde-se na critica a quem sabe mais de política a dormir do que este fanático acordado vinte e quatro horas por dia. É mais um a piar fininho!

    1. Oh homem, não se amofine, eu escrevi um texto a elogiar o ex-Presidente, não me escondo nada. Quanto aos pios, mais valia não insistir, não saiu bem da primeira vez, olhe que não vai melhorar.

  10. Há muitos anos havia um programa do Jô Soares onde aparecia um homem alto magro vestido de preto e com a palidez da morte no rosto.
    Era designado por múmia paralítica. Acordava ao som de um sino e balbuciava algumas palavras e depois voltava a hibernar.
    Para quem durante os seus mandatos ora hibernava ora piava como uma múmia confundida no tempo e na hora e também movida por ódios de outros tempos…está tudo visto!!!!!

    1. Espantoso é o “equivoco”, a que o dito Povo deste País foi submetido directamente, durante vinte anos de jugo deste senhor tão sério ( honesto ?), que se teria de nascer duas vezes, para ser tão sério quanto ele ( ele próprio dixit).

  11. Boa tarde,
    A prova de que o que diz não corresponde, de facto, à realidade, é exatamente o facto de o dizer.
    Na verdade o pio do Prof. Cavaco Silva incomodou muita gente.
    O homem piou e disse com frontalidade e até com uma certa ironia, que nem lhe é costumeira, talvez por agora não ter sobre os ombros o peso de nenhum cargo político, como ia dizendo, o homem disse umas quantas verdades que incomodaram as hostes à esquerda.
    Claro que o eco dessas verdades não será muito, nós temos consciência disso, pois a malta anda embalada em abraços, sorrisos, uns euritos, poucos, na carteira e, como se tivesse sido anestesiada, não dá por nada do que se passa à sua volta,.
    Bem, na verdade, nem lhe interessa dar por nada.
    O bom mesmo é que “eles” resolvem e tratem da vida do país. Se correr mal serão “eles” que vão levar com a culpa. Se correr bem, ninguém dará verdadeiramente por nada, pois é como se fosse um dado adquirido.
    Não esquecendo que “eles” são uma entidade indeterminada, de poder incomensurável, que são, à vez, os culpados de tudo o que corre mal ou os que descobrem e fazem tudo, conforme a situação em causa.
    Assim vamos caminhando para um Admirável Mundo Novo, comandado por um qualquer Big Brother, perante a sonolência e a indiferença da “malta”, massa ou povo, conforme preferir chamar-lhes.

    1. Francisco Louça, por mais que estejamos em pólos opostos, nunca conseguirei, verdadeiramente, deixar de lhe achar piada
      Talvez por que é um homem inteligente. Que pena….

  12. A direita é uma coisa de pobres, entre pobres.

    Um rico é um pobre com meios para expressar a sua miséria comportamental.

    Não há nada mais “à pobre” do que querer ser rico, para ser a vez dele expressar essa miséria medieval. “Nunca peças a quem pediu, nem sirvas a quem serviu” é o provérbio que explica toda a narrativa da direita.

    O caro Louçã em vez de estar preocupado com a miséria cultural que existe no país, em que a direita é o exemplo medieval mais flagrante e triste, está a regozijar-se com essa miséria.

    Obviamente que a esquerda não está longe da miséria cultural da direita, como a postura do caro Louçã, e a “retórica dos trabalhadores” da ideologia industrial”, revelam.

    O facto de ter nascido com a revolução industrial e ser uma ideologia da produção industrial, não torna a esquerda menos ignara, atrasada e disfuncional que a direita. Apenas apresenta o mesmo atraso e ignorância de forma diferente.

    Ficamos assim todos a observar este espectáculo feirante, onde o roto se ri do esfarrapado por ter uma ideologia feirante diferente, embora pertençam os dois à mesma miséria cultural. Enfim…

  13. Cavaco Silva foi um carreirista.
    Como qualquer filho de pequeno burguês da época tomou o elevador social do ensino, cumpriu os rituais salazaristas, corrigiu a trajetória académica, fêz a guerra colonial com a sua mulher ao lado, inscreveu-se na PIDE, instalou-se na carreira pública e foi subindo com a idade.
    Transformou o transtorno do 25 de Abril numa oportunidade, como tantos outros, e continuou a carreira no governo e no PPD.
    Sem ser nunca deputado chegou a 1º ministro minoritário e à maioria absoluta com a ajuda de Mário Soares que dissolveu a AR em vez de indigitar Vítor Constâncio 1º Ministro.
    Boiou na onda de bem-estar que resultou, conforme às leis da economia, da integração na CEE assinada por Mário Soares, sem condições.
    Fêz o “monstro”, preparou a co-fundação do Euro e foi derrotado por impopularidade a favor de António Guterres.
    Voltou para ser PR graças a Mário Soares contra Alegre e foi assim que Portugal se entregou à tal “realidade” que faz das eleições o nada que valeram as eleições e o referendo na Grécia em 2015.

  14. O Cavaco ao levantar-se do sarcófago e fazer uma aparição publica veio mostrar o que são as ideias da direita para o país. 1ª ideia: Implementar os despedimentos liberais. 2ª ideia: surripiar 600 milhões ao que a direita chama “peste grisalha. 3ª ideia: Esterilizar os ciganos porque como eles dizem “vivem dos subsídios do estado.
    Uma palavra sobre as PPP que são ruinosas para o estado não há.
    Querem ainda implementar as empresas rendistas como as escolas particulares ou a saúde privada para alguns… isto a expensas dos pobres.

    1. Ditosa Pátria que tais filhos tens! E não, não me estou a referir ao Cavaco, mas a este povo. Coitados…

  15. O homem está em obsolescência patente.

    De cada vez que abre o bico é isto. Agora vem com esta do pio. Como é que a Tugalhada dá maiorias a personagens assim e a quarenta e quatros é que atesta bem a natureza desta gente.

  16. Não sou admirador do Prof. Cavaco Silva, mas este fará as intervenções que quiser, quando quiser e onde quiser.
    O Sr.Prof. Cavaco Silva não podia voltar a ser eleito pois já tinha cumprido dois mandatos e, “ninguem suportava mais o estilo Cavaco ” (essa é para rir).
    “Ao radicalizar o PSD no discurso do ódio” também está em consonância com a sua maneira de ver as coisas…..
    Não sou P.S.D.
    Desejo-lhe felicidades sem ódio nem rancor, mas relembro-lhe que estamos e estaremos num país livre e o Prof. Cavaco Silva pode opinar quando lhe aprouver…..

    1. O Louçã, portantos, que tire o chicote lá para trás…
      O Prof. Cavaco Silva pode opinar, diz o Zepinto. E o Louçã, pergunto eu, não pode opinar também?
      Portantos…

  17. Admira-me Carlos Coelho, um homem que tinha como inteligente, convidar o chefe de estado mais odiado e impopular de Portugal, ultrapassando a própria Rainha Louca.
    Poderá não ter sido ideia sua, mas a nódoa fica.

    Toda a gente sabe que Cavaco do BPN piorou e continua a piorar com a idade, e que iria fazer um discurso como se estivesse numa casa de petiscos da velha AD, e a jogar à bisca de 7, falando de assuntos recalcados e a cheirar a mofo, e tratando um país amigo como a Venezuela (e tem sido amigo dos portugueses como governos de esquerda ou direita), como se ele não tivesse sido Presidente de Portugal, e compatriota de milhares de emigrantes naquele país (esquecendo entretanto de perguntar ao Reino Unido a que galáxia eles pertencem agora que estão fora da UE, já que nos livramos por um triz de pertencer à galáxia do Bangladesh com o governo que ele apoiava do PSD-CDS)

    É vergonhoso para o PSD-CDS, e um maná de paletes de votos, transferidos do PàF directamente para a Geringonça.

  18. O Prof Cavaco Silva (CV) é uma figura incontornável da política Portuguesa. Como 1º ministro acho que foi muito bom, sobretudo em comparação com os que o antecederam e sucederam. Os militantes do PSD gostaram imenso da intervenção do Prof. CV, e isso foi importante para eles e para o PSD. Uniu mais os militantes do PSD. A esquerda não gostou do que CS disse, o que é natural. O PS e o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa (MRS) também não gostaram, o que é natural. No conteúdo, CS tem toda a razão. O PSD não subiu nas sondagens com a intervenção de CS, mas também não desceu. Ficou como estava, mas mais unido. Eu acho que o Prof CS deve falar quando entender, só não deve apelar ao povo para destituir o Prof. MRS, como o fez o Dr. Mário Soares com o Prof. CS. De resto acho que a intervenção do Prof. CS foi normalíssima. Estou é intrigado sobre o motivo por que o Dr Francisco Louçã lhe dedica um artigo. Está a avisar as hostes do PSD e o Prof CS para não incorrerem num erro de que o partido de Francisco Louçã beneficia? Não me parece muito lógico. Ou é apenas revolta por ainda existirem muitos Portuguese que houvem o Prof. CS? Os Portuguese são como são e, todos, devem ser respeitados. A forma como o Dr Francisco Louçã fala com cerca de 30% do eleitorado Português é um pouco arrogante, parece-me.

    1. Que nada, só espero que esse partido continue na mesma senda e que ouça sempre as palavras avisadas do professor Cavaco Silva.

Responder a António Silva. Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Tópicos

Pesquisa

Arquivo