Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Agosto 2016

Francisco Louçã

31 de Agosto de 2016, 14:38

Por

Perceber Passos Coelho

“É porque acreditamos nas pessoas que faremos o que é difícil, que faremos o que é preciso e esperemos que o que é preciso e é difícil seja menos do que aquilo que nós podemos fazer porque podemos fazer mais do que aquilo que é difícil, podemos também fazer aquilo que é necessário para que Portugal possa ser como a Espanha tem vindo a mostrar, como a Irlanda mostrou também, um país em que no futuro todos querem apostar, um… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

30 de Agosto de 2016, 11:34

Por

O jornalismo panegírico e a economia dos factos

Li com interesse o artigo do PÚBLICO do passado fim de semana sobre os segredos da formação do governo actual. O texto promete muito: “O PÚBLICO revela as razões e os passos que tornaram possível o entendimento”. As “razões” e os “passos”, tudo “revelado”. A jornalista São José Almeida (SJA), a autora desta “revelação”, dedica três densas páginas ao que na capa se chama “os bastidores do acordo que afastou a direita do poder”. Esperava portanto uma investigação cuidada sobre… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

29 de Agosto de 2016, 23:24

Por

OE 2017 entre sinestesias

Consistindo a sinestesia na associação neurológica de percepções relativas a diferentes sentidos (do grego syn, “união” ou “junção” e esthesia, “sensação”, antónimo de anestesia, ausência de sensação), chegou à literatura como um instrumento de estilo metafórico que combina sensações, sentimentos e estados anímicos, por via da fusão de impressões sensoriais (visuais, auditivas, olfactivas, gustativas e tácteis). Ao que se diz, foi o poeta Charles Baudelaire (1821-1867), o primeiro a usar, com mais relevância, a sinestesia literária. Gosto particularmente desta figura… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

29 de Agosto de 2016, 10:54

Por

Silly Season 3: Os combates nevróticos contra o burquini

O burkini foi proibido por várias câmaras municipais francesas, o tribunal interditou a proibição, os presidentes das câmaras insistem. Esta tragicomédia lembra o que Sartre escreveu no seu prefácio aos Damnés de la Terre: “A França, outrora, foi um grande país, tenhamos em atenção que não se torne em 1961 o nome de uma nevrose”. Foi há mais de cinquenta anos. Mas, mesmo agora, será só uma nevrose? Parece que não, é também uma política. Valls, primeiro-ministro socialista, bem como… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

26 de Agosto de 2016, 09:05

Por

Silly Season 2: A “devassa” do segredo bancário

Diz a Comissão Nacional de Proteção de Dados: é “claramente inconstitucional”. Diz o CDS: é uma “devassa”. Diz-se no Jornal de Negócios: é “coscuvilhice” ou mesmo, nas palavras de um jornalista mais indignado, um “big brother nacional”. Explica um tal Pedro Vital Matos, advogado de um dos grandes consórcios jurídicos que representam empresas e empresários, que os especialistas não aceitam esta indignidade. Se uma Comissão, um partido, um naipe de editorialistas dizem, e mesmo os reputados advogados de negócios saem… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

25 de Agosto de 2016, 19:31

Por

“Panamá Papers”: 5 meses depois, anda tudo aos papéis?

Dois dias depois do “dia das mentiras”, em 3 de Abril, rebentou uma “bomba atómica” no mundo político, empresarial e financeiro: a revelação dos chamados “Panamá papers”. 11,5 milhões de documentos confidenciais da Mossack Fonseca, com informações sobre mais de 214 000 empresas em paraísos fiscais, envolvendo ainda chefes de Estado e governantes e influentes pessoas na generalidade dos países. Sobre o assunto escrevi, então, o texto “Colapso ético num inferno paradisíaco”. Foram dias de avalanche informativa, houve debates inflamados… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo