Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

8 de Fevereiro de 2016, 08:28

Por

Social democracia sempre

A direita portuguesa é um fado triste, para mais cantado com voz vinda do além (ou de fora).

Passos Coelho chama-lhe “social-democracia sempre” na sua esforçada recandidatura à continuidade em que promete renovação. Ora, o nome da candidatura, esta “social democracia sempre”, é uma floresta de enganos. O PSD, está bom de ver, não é um partido social-democrata, é de há muito um partido liberal pragmático que dá muito mais importância à venda da EDP ao capital internacional, mesmo que seja ao Partido Comunista Chinês, e ao corte das pensões, que festeja, do que a qualquer política distributiva, que abomina. Social-democracia não existe em Portugal, talvez excepto num partido meritório que vale 0,7%.

Chamar à aventura de austeridade e de liberalização, que a direita protagonizou, uma “social-democracia sempre” é por isso uma graça. Em homenagem do vício à virtude, Passos Coelho devia chamar-lhe somente pelas iniciais, SDS, pois com o nome PàF a artimanha resultou e é bem melhor que ninguém se lembre de perguntar pela tal da social-democracia.

Acresce ainda que a SDS se oferece simplesmente como uma voz de Berlim (ou de Bruxelas, que nesta geografia é a mesmíssima coisa). Diz Bruxelas ou Berlim: a consolidação orçamental é insuficiente, repete o PSD que é insuficiente (e o CDS acrescenta, muito insuficiente). Diz Berlim ou Bruxelas: as regras são para cumprir, repete o PSD que é para cumprir (e o CDS que é para cumprir muito).

Esta estratégia é arriscada. Primeiro, porque lembra demasiado os tempos da troika e os seus mandantes e não percebo porque é que o PSD pensa conseguir fichas eleitorais ao evocar o seu papel nesse passado recente, com o custo redobrado de mostrar a cara de Passos Coelho como cartaz. Segundo, é arriscada porque só resulta se o povo português mantiver uma atitude temerosa perante os deuses dos trovões e se, desse modo, for convidativo manter os partidos de direita nesta lógica de submissão a Berlim. Assim, esses partidos apostam a sua identidade ao apresentar-se como arreatas de Merkel. É muito arriscado, o vento pode mudar.

Mas, sobretudo, que é esta SDS, social-democracia sempre, que se reduz a uma voz emprestada? Ao colocar-se nesta posição impossível, quererá mesmo Passos Coelho que olhemos para ele como alternativa de futuro, se se exibe como uma sombra do passado?

Comentários

  1. O Louçã, coitado, ainda não percebeu que a social-democracia está muito bem representada em Portugal, pelo PS. Quem mais?

  2. Não se vislumbra um movimento politico e social ascendente e estimulante em prol do impeto positivo da revolução permanente, conceito dinâmico e proficuo tão caro a Trotski e Gramsci? Que se pode traduzir, generalizando, da inflexão: ultra-liberalismo cruel e sem limites gera e renova capacidade de autonomia e combate das classes exploradas. Muito mais do que a estafada legenda da virtuosidade dos ciclos e contra-circulos de efeitos contraditórios e paradoxais sem ruptura com a lógica do “sistema”

  3. o Sr. Manuel Gonçalves disse e bem direita e esquerda portuguesa e un fado e entao aqueles politicos Portugueses que estao no parlamento europeus estao présentes nao para defender Portugal, mas sim pelos salarios de 20.000€ os outros portugueses contentem-se com 500€ e nem todos os ganhem . aos imigrantes nao mandem mais dinheiro para Portugal porque os Bancos nao sao fiaveis esperem pela proxima crise e depois chorem

  4. PRESUNÇÃO, FICÇÃO E ENGANO DE CERTOS GUIAS…
    Sabia que uma célula do seu ADN é um milhão de vezes mais pequena que a unha do polegar mas tem informações para 600 livros de mil páginas? Puxa! Ainda há gente sem perceber que a inteligência é eterna e omnipotente. Quem a podia criar? Deus é a realidade suprema porque só o espírito é inteligente! Se a massa cinzenta gerasse o raciocínio, o leite derramado na mesa formava o mapa do mundo. Alguém usar a inteligência para refutar a sua supremacia é como contestar a faculdade de comer enquanto se alimenta O cérebro, pois, faz somente a ligação entre espírito e corpo porque a inteligência o criou e tudo dirige para o bem ou para o mal consoante a nossa vontade. Ninguém está excluído da inspiração divina nem isento da perversão diabólica. O que possuímos sem ter recebido? Nada! Contrariamente ao que julgam certos sábios, nós somos apenas criaturas e não senhores do universo…
    *
    Quem não cuida do que pensa, sente, ouve, vê, diz e faz, ignora o essencial: o pensamento representa força, energia, sensação, convicção, hábito, forma de ser e mutação genética: a negatividade e a ilusão corrompem células e genes e geram doenças; a positividade e a oração tudo regeneram. A própria ciência não é senão conhecimento adquirido primeiramente no mundo do espírito. Ela nada alcança de consistente e definitivo se não tiver a fé como suporte. Nós estamos inseridos no infinito , assim, é pura ficção supor que a ciência consegue abarcar a vida ou limitar a realidade ao olhar exterior e a um tubo de ensaio. O homem nada cria ou inventa: apenas descobre e partilha aquilo que já existe. Do nada também nada se tira. Ter em conta somente o corpo é entregar o leme da navegação ao próprio Maligno. Quanto mais alguém permanece nesse rumo, tanto mais irá de mal a pior. Por isso a própria implosão nuclear já aí está à distância de um dedo. Quem impedirá um louco de ceder à tentação e acionar o botão?…
    *
    (Rac One)

  5. Os donos disto tudo, se não inventaram, pelo menos usaram, a Social Democracia, para lutar contra o comunismo, (simbolizado pela União Soviética), com progresso social. Da mesma forma, os donos disto tudo, inventaram a dupla PPCoelho/PPortas e usam hoje, o Partido Popular Europeu, para sobreviver à crise global financeira/económica/social/ambiental/civilizacional que geraram, e para sobreviver à sua incapacidade de produzir mais progresso. PPCoelho foi neste cantinho, o responsável pelo regresso à barbárie, da desigualdade extremada, da privação moral e material generalizadas, da miséria e da fome, da corrupção, e do compadrio. Foi também o responsável pelo triunfo da incompetencia e da ilegalidade. À sua sombra os mais ricos enriqueceram mais, e os apaniguados ficaram ricos. À ordem de PPCoelho os bancos foram salvos com os impostos da nação, para depois serem vendidos a pataco aos amigos do Relvas e agora ao próprio Relvas. Como se não chegasse, ainda despachou a alta velocidade para o estrangeiro, todas as joias da coroa, de modo que a nação, não possuindo já nada de seu, está sujeita ao que os estrangeiros resolverem fazer cá na terra: seja esvaziar o aeroporto F Sá Carneiro no Porto, seja acabar com os correios, seja simplesmente, um dia, apagar a luz, de vez. PPCoelho precisa de ter topete, para se apresentar este Carnaval, travestido de Social Democrata

  6. Os donos disto tudo, se não inventaram, pelo menos usaram, a Social Democracia, para lutar contra o comunismo, (simbolizado pela União Soviética), com progresso social. Da mesma forma, os donos disto tudo, inventaram a dupla PPCoelho/PPortas e usam hoje, o Partido Popular Europeu, para sobreviver à crise global financeira/económica/social/ambiental/civilizacional que geraram, e para sobreviver à sua incapacidade de produzir mais progresso. PPCoelho foi neste cantinho, o responsável pelo regresso à barbárie, da desigualdade extremada, da privação moral e material generalizadas, da miséria e da fome, da corrupção, e do compadrio. Foi também o responsável pelo triunfo da incompetencia e da ilegalidade. À sua sombra os mais ricos enriqueceram mais, e os apaniguados ficaram ricos. À ordem de PPCoelho os bancos foram salvos com os impostos da nação, para depois serem vendidos a pataco aos amigos do Relvas e agora ao próprio Relvas. Como se não chegasse, ainda despachou a alta velocidade para o estrangeiro, todas as jóias da coroa, de modo que a nação, não possuindo já nada de seu, está sujeita ao que os estrangeiros resolvam fazer cá na terra: seja esvaziar o aeroporto F Sá Carneiro no Porto, seja acabar com os correios, seja simplesmente, um dia, apagar a luz, de vez. PPCoelho precisa de ter topete para se apresentar este Carnaval, travestido de Social Democrata

  7. A direita portuguesa é um fado triste. A esquerda…..humm…isto dava uma canção:
    “Lá à direita está o tiro liro liro
    Cá à esquerda está o tiro liro ló
    juntaram-se os dois à esquina
    a tocar a concertina e a dançar o solidó “

  8. Discutir sobre a identidade especifica dos partidos não traz nada de novo: é evidente que as ideologias se devem adaptar à realidade económica e financeira porque o contrário não é possível. Assim podemos perguntar: o BE ficará fiel ao anterior programa ideológico da Syriza que tanto aplaudiu ou seguira também os seus correligionários gregos no caminho doloroso com ainda mais austeridade?
    A mim me parece que em apenas 2 meses já engoliram bastante sapos.

  9. Por outro lado, a estratégia da geringonça não tem nada de arriscado. Já sabemos no que vai dar. Basta olhar para o que o Syriza fez à Grécia para ver o que a geringonça está a fazer em Portugal. Em 6 meses, o Syriza conduziu a Grécia para mais um resgate, mais troika, mais cortes de pensões, mais privatizações. E tudo em doses tão reforçadas que fariam corar de vergonha o governo de Sócrates que assinou o resgate português e o governo de Coelho que o geriu.

  10. Concordo com o artigo grosso modo. Discordo naquela parte que diz que o único partido social-democrata teve 0,7%. Que eu saiba não foi esta a votação do bloco de esquerda que à luz das definições correctas é sem duvida o partido mais social-democrata que Portugal tem. É certo que a orgânica interna do bloco lembra aromas de esquerda (um autoritarismo moral, o modo como se combatem internamente, etc) mas sejamos honestos, a política que sai do bloco é social-democrata. também me parece que o PSD é bastante mais à direita que o CDs. Não digo mais à direita que o Portas digo mais à direita que certas franjas do CDs. Pode-se mesmo colocar os católicos progressistas bem à esquerda da social democracia do bloco.
    O PS não é nada. É mais uma maneira de fazer carreira. Tem de tudo e a maior parte é absolutamente apolitica. O pcp é esquerda mas das antigas sem actualização. O PAN parece-me perigosamente fascista, a ver vamos.

    1. Acho que o Louçã tem razão. O único partido 100% social-democrata, no programa e na alma, é o Livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Tópicos

Pesquisa

Arquivo