Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Novembro 2015

Ricardo Cabral

30 de Novembro de 2015, 14:30

Por

Reflexões sobre o “Grande Irmão”

Utilizo muito a informática mas, de modo algum, sou especialista. Há uns dias procurei configurar novas contas locais num computador com o Windows 10. Isto porque gosto de configurar uma segunda conta local no meu computador, que passa a ser a minha conta principal e que utilizo no meu dia-a-dia, mas que não é uma conta com privilégios de administrador. Ou seja, sempre que alguma aplicação procura fazer algo de mais crítico esbarra com o pedido de autorização de administrador… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

30 de Novembro de 2015, 12:13

Por

Quando entra em vigor a redução da sobretaxa do IRS?

Foi apresentado o Programa do XXI Governo Constitucional. Diz a tradição que estes documentos são sempre um arrolamento de intenções e uma nem sempre bem conseguida montagem de partes distintas de autores diferentes. Este Programa não foge à regra e, em boa verdade, já era praticamente conhecido em função de documentos anteriores produzidos pelo PS. Mais importante será a apresentação do Orçamento do Estado (OE) para 2016. Um OE é sempre a tradução económica e financeira de uma política, em… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

30 de Novembro de 2015, 08:30

Por

Dois erros na história da publicidade

Na semana passada fiz referência a um artigo do The Guardian sobre os piores momentos da história da publicidade, ilustrando-o com imagens de racismo ou de insinuação sexista. Aqui tem mais dois exemplos, desta vez de cartazes que induzem o consumo do tabaco (garantido e recomendado por mais de vinte mil médicos) ou a compra de um revólver (totalmente seguro nas mãos de uma criança). Não se trata de empresas de vão de escada para as quais tudo seria permitido:… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

27 de Novembro de 2015, 08:46

Por

O primeiro dia é feliz, mas as dificuldades chegam depois

Argumentei ontem que agora tudo corre bem a Costa e tudo corre mal a Passos Coelho e a Portas. O engenho de primeiro e o ressentimento dos outros, combinado com as ameaças fortuitas do Presidente, asseguram um primeiro dia tranquilo ao novo governo. De facto, tudo o que ontem era vantajoso para Costa só encorpou. Dizem alguns comentadores que entenderam do discurso de Cavaco Silva que este ameaça demitir o governo. Depois de 53 dias de empastelamento da política, alegar… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

26 de Novembro de 2015, 13:00

Por

O novo governo

Muitos portugueses, em que incluo o Presidente da República, passaram uma boa parte dos últimos 53 dias por um processo similar ao das sete fases da dor (choque ou descrença, negação, negociação, culpa, raiva, depressão e aceitação / esperança). Mas parece-me que, particularmente nas últimas semanas, um número crescente dos cidadãos que se opunham à coligação à esquerda e que apoiavam um governo liderado pela coligação PàF tinham chegado já à última fase desse processo: aceitação; cepticismo com certeza, mas… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

26 de Novembro de 2015, 10:29

Por

Um governo para gerir riscos ou para governar? O dilema do poucochinho e da responsabilidade

Tudo o que podia correr mal a António Costa na campanha eleitoral correu mal. Os cartazes, o cenário macroeconómico, as companhias, os comícios, o almoço da Trindade. Faltou convicção na política e, onde havia programa, assustava uma parte dos seus eleitores populares. O PS perdeu porque não sabia disputar as eleições e a esquerda ganhou porque as quis disputar. Ficou um sarilho, uma relação de forças desequilibrada. Tudo o que podia correr bem a Passos e a Portas na campanha… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo