Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Setembro 2014

Ricardo Cabral

30 de Setembro de 2014, 23:01

Por

Exactamente erradas

  “É melhor estar vagamente certo do que exactamente errado”, Carveth Read, 1898[1] Em disciplinas de finanças por esse mundo fora, formam-se jovens brilhantes e trabalhadores, futuros economistas e gestores, em metodologias de avaliação do valor accionista de empresas. Mas a avaliação do valor accionista de empresas não é, ao contrário do que se possa pensar, uma ciência exacta. Empresários que intuitivamente sabem fazer “excelentes aquisições”, embora prestando atenção a essas estimativas de valor accionista, são capazes de ir para além… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

30 de Setembro de 2014, 11:30

Por

Afinal quem manda aqui (na Europa)?

Enquanto Moedas vai a exame, vamos ouvindo a ideia de que a nova Comissão vai mudar alguma coisa na Europa. A “narrativa”, excelente expressão para misturar o que antes se chamava “fábula” ou “discurso”, diz que será sempre a mais política das Comissões. Com predomínio dos pequenos países. Com um Presidente empenhado no investimento. Um aliado possível para um governo António Costa. Boas notícias para Portugal. Boas notícias para a Europa. Será verdade? Infelizmente, nada disso é verdade (nem podia… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

30 de Setembro de 2014, 09:49

Por

Desporto e desportos

Portugal sagrou-se campeão europeu por equipas em ténis de mesa, derrotando na final a hexacampeã Alemanha. Um feito que nem um qualquer optimista sonho profetizara, mesmo realizando-se o torneio em Lisboa. Entalado no meio da politics e do futebol, este título não teve abertura de telejornais ou de parangonas nos jornais. Ontem, olhando as primeiras páginas dos jornais diários, constatei: dos cinco generalistas, só dois incluíram uma pequena notícia sobre os novos campeões. O jornal de maior circulação ignorou o… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

29 de Setembro de 2014, 14:26

Por

São tostões ou são milhões? São offshores, senhor

Perguntado sobre o caso, o advogado da Tecnoforma esclareceu na 6ªf que a empresa doava 5 mil euros por mês, ou 60 mil por ano, ao CPPC, uma “ONG” presidida por Passos Coelho entre 1997 e 1999. Perguntado sobre o mesmo caso, Luís de Brito, ex-director geral da Tecnoforma,  esclareceu no sábado que a empresa doava antes um milhão de euros por ano ao CPPC, uma “ONG” presidida por Passos Coelho entre 1997 e 1999. A Tecnoforma, segundo o mesmo… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

28 de Setembro de 2014, 22:38

Por

Esmagadora …

a vitória de António Costa. O resultado relembra-nos as virtudes dos actos eleitorais e da democracia: as primárias de Seguro, com todas as suas vicissitudes, afinal vieram para ficar. O PS, nos últimos anos, foi um partido controlado pela agora ex-liderança partidária. Para o exterior e até recentemente, havia um aparente unanimismo no PS com as posições da liderança de António José Seguro. Aliás, é o que ocorre em qualquer dos grandes partidos. O núcleo duro à volta do líder… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

28 de Setembro de 2014, 21:30

Por

A matemática de Costa

Um vencedor absolutamente claro e um vencido digno e credor de uma iniciativa que fez emergir uma inovadora expressão de cidadania. Acabadas as primárias, seguem-se as secundárias via Congresso e as terciárias com as eleições legislativas. Terminada a “guerra” aberta, não creio que haja o perigo de uma “guerrilha” encoberta. A possibilidade de ser poder une, mais tarde ou mais cedo, o que está desunido. Em jeito “matemático” eis alguns dos desafios de António Costa, a partir de agora sujeito… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo