Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

Francisco Louçã

23 de Maio de 2017, 11:45

Por

Parabéns a você nesta data querida

Com a sua cara de pau, Dombrovskis lá anunciou que a Comissão propõe que Portugal será retirado do Procedimento por Défice Excessivo, sendo a questão submetida como mandam as regras a quem de direito, na valsa lenta que é a burocracia europeia. Afoito, ainda acrescentou que a Comissão espera que as autoridades portuguesas “garantam a durabilidade da correcção do défice excessivo” e que “prossigam uma política orçamental em linha com os requisitos do braço preventivo do Pacto de Estabilidade e… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

22 de Maio de 2017, 10:07

Por

Sobre o financiamento da S. Social

A lei-quadro da Segurança Social (SS) define dois princípios básicos: a “adequação selectiva das fontes de financiamento” e “a diversificação do financiamento” (do sistema previdencial). O primeiro está concretizado. Todas as prestações não contributivas e a parte não contributiva das pensões para se atingir a pensão mínima são financiadas pelos impostos gerais (leia-se, transferências do OE) através de um esforço de todos os tipos de rendimento e património. Já quanto ao segundo princípio, há muitos estudos (por cá e pela… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

21 de Maio de 2017, 16:16

Por

Qual a folga orçamental do Governo em 2017?

  “It is better to be vaguely right than exactly wrong”, Carveth Read (1898). Logic, deductive and inductive, p.351.   O Governo preparou o Orçamento de Estado de 2017 (OE2017) assumindo uma taxa de crescimento económico real de 1,5% (e crescimento nominal de 3,0%). O OE2017 previa o efeito nas contas públicas das principais medidas de política económica (p. 37 do relatório do OE2017) e uma melhoria do défice de cerca de 1,5 mil milhões de euros. Deste montante, cerca… Continuar a ler ›

Francisco Louçã

19 de Maio de 2017, 08:00

Por

Para quê cantar em português?

Da maré de entusiasmo já se disse tudo: que ocupou os palcos de massas, que são, como toda a gente sabe, Fátima, o Marquês de Pombal e a televisão; que encheu o país de cores para todos os gosto; que é uma série perfeita de sucessos imprevistos, do golo de Éder até ao derreter do gelo na Eurovisão; que se percorreram caminhos de transgressão mas tudo devidamente consentido, como o paganismo da exibição dos milagres sobreposto ao suave politeísmo da… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

18 de Maio de 2017, 10:41

Por

Cores e fragrâncias nesta Lisboa que eu amo

Sempre gostei de árvores. De todas. Com a delícia do gosto sem condições prévias e a magia da descoberta da biodiversidade sempre infinitiva. Junto delas, a mistura de tempo físico e de tempo mental torna-se mais harmonicamente cadenciada. É igualmente na beleza de cada estação que reside o meu encantamento proporcionado pelas cores que se miscigenam entre o verde aberto e o verde fosco, o amarelo e o ocre, o avermelhado e o laranja, o carmim e o anil. Como… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

17 de Maio de 2017, 19:29

Por

Outras opções

É interessante constatar a diferença de atitude de países da União Europeia e da zona euro em relação à sua banca. Apenas dois exemplos: Em Inglaterra, o Governo foi privatizando aos poucos a sua participação accionista no Lloyds Banking Group, banco que tinha parcialmente nacionalizado através de várias recapitalizações públicas durante a crise financeira internacional de 2007-2009. A venda da totalidade da participação gerou proveitos financeiros 900 milhões de libras superiores, em termos nominais, ao montante da recapitalização pelo erário… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo