Tudo Menos Economia

Por

Bagão Félix, Francisco Louçã e Ricardo Cabral

António Bagão Félix

22 de Janeiro de 2018, 08:54

Por

Silêncio: direito e dever (I)

É melhor ficar em silêncio e ser […], do que dizer e não ser (Santo Inácio de Antioquia, Carta aos Efésios) Acabei de ler um notável livro no qual é entrevistado o cardeal guineense Robert Sarah, e que muito me fez reflectir. O seu título é bem sugestivo: “A força do silêncio contra a ditadura do barulho” (Princípia Ed., Abril 2017). Há dias, estive num estádio de futebol. Antes do jogo, um escasso minuto para homenagear simbolicamente um jovem atleta… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

21 de Janeiro de 2018, 21:20

Por

Mais uma proposta de reformas para a Zona Euro que não convence

Um grupo de especialistas franceses e alemães, sobretudo académicos, acaba de publicar um relatório onde são propostas reformas para a zona euro, nomeadamente sobre: União Bancária; dívida soberana dos países membros e regras e instrumentos da política orçamental; e governo da zona euro. Destacam-se seis medidas concretas: (i) aprofundamento da União Bancária com o objectivo de reduzir o “nexo causal” entre banca e soberanos, i.e., assegurar que uma crise de dívida soberana não afecte o sistema bancário doméstico e vice-versa; (ii)… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

18 de Janeiro de 2018, 09:48

Por

O maior dos défices: o de nascimentos

  Toda a gente admira a obra de um grande artista e ergue-lhe mesmo às vezes o monumento a confirmar. Mas nunca ninguém ergueu um monumento a um homem e a sua mulher por terem gerado um filho, que é obra infinitamente maior (Vergílio Ferreira, Pensar, 1992)   Não é demais falar no défice de nascimentos. Até porque o assunto dificilmente sobrevive a umas somíticas notícias, embora seja fundamental para o nosso futuro colectivo e para a sustentação geracional do… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

17 de Janeiro de 2018, 20:33

Por

Preparar o debate europeu

Uma das questões chave abordadas no pré-acordo da coligação na Alemanha, como aqui já antes se referiu, assentou nos contornos sobre o futuro da Zona Euro e da União Europeia. Wolfgang Münchau faz apreciação positiva, mas com ressalvas, do acordo. Realça o facto do tema Europa aparecer em primeiro lugar e sublinha as alterações que entende significativas, nomeadamente a disponibilidade da Alemanha para aumentar a contribuição para o orçamento comunitário e o que Münchau interpreta como a aceitação, pela Alemanha, que… Continuar a ler ›

Ricardo Cabral

14 de Janeiro de 2018, 16:36

Por

Alemanha: Sinais de esperança ou mais do mesmo?

O acordo de grande coligação entre SPD, CDU e CSU era esperado e desejado por muitos. Mas será mesmo a melhor opção para a Alemanha e para a União Europeia? O medo das alternativas radicais de direita – Trump nos EUA, Le Pen em França, a aliança com a extrema direita na Áustria e o AfD na Alemanha –, faz com que a grande coligação na Alemanha pareça o mal menor. O acordo de 28 páginas ainda tem de ser… Continuar a ler ›

António Bagão Félix

14 de Janeiro de 2018, 08:33

Por

No não poupar é que está o endividamento

A poupança é a grande enjeitada da macroeconomia. Aliás, é recorrentemente subestimada porque não faz parte da agenda político-mediática. Nem faz parte directamente das bitolas europeias. Mas é de senso comum perceber-se a sua importância para o progresso de um país. A poupança – embora sempre elogiada, mas na prática considerada como adjectiva – sofre tratos de polé recorrentes. Poupar significa, acima de tudo, renunciar a gastar hoje para consumir amanhã. Isto é, usar o tempo para prevenir e acautelar… Continuar a ler ›

Tópicos

Pesquisa

Arquivo