Um museu-teatro vivo para o Portugal contemporâneo

Um Museu Vivo… é o país dos anónimos, dos que não sabiam que a política se pode fazer numa decisão simples como abrir a porta de uma casa para uma reunião, comprar um disco que se tornará senha da revolução, publicar um livro apenas para que não se esqueça, o país dos que aprenderam a dizer que não várias vezes, tantas quantas foram preciso para aprender a resistir um bocadinho mais, mesmo que nada disso fosse fazer política, porque era só viver todos os dias um bocadinho mais mesmo que todos os dias se vivesse um bocadinho menos, até aos dias em que se viveu tudo ao mesmo tempo e depois se ficou com a sensação de que alguma coisa ficou por viver.






Mónica Garnel, teatro em fuga

Mónica Garnel é uma encenadora que se faz rara [com excepção de projectos de formação, apenas duas encenações: Entretanto, 2006; Sem título – carvão sobre tela, 2013] mas, a cada vez que emerge, alarga o centro de um teatro que tem no fragmento, no encontro e no risco a sua força. Drive-in, que concebeu para o […]






Ana Bola sem filtro: O que nos sobra servido numa bandeja de prata

O que dá a Ana Bola sem filtro uma estrutura que se aproxima da auto-ficção, tem mais a ver com um aproveitamento tácito da cumplicidade evidente com o público e como a actriz vai deixando de lado as personagens que vai fazendo na televisão para traçar a fronteira que a separa da efemeridade humorística dessas mesmas personagens. A possibilidade de fazer humor a partir de situações reais é o modo encontrado para denunciar uma sociedade transformada em programa de televisão, com risos controlados, banalidades transformadas em grandes feitos, e dramas (económicos, sociais, políticos) em narrativas que nos parecem ficcionais.











As minhas escolhas de 2014 (espectáculos apresentados em Portugal)

Há sempre vários espectáculos que não chegam aos 10 mais, do mesmo modo que há outros tantos que não entram nas nossas listas individuais. Eis as minhas escolhas nas áreas do teatro e da dança.











Robin Williams: A máscara do actor

Robin Williams, cómico para os tempos cínicos, morreu. O seu percurso, feito pelas nossas gargalhas, é um exercício de disfarce e metamorfose à beira do precipício. Uma biografia fílmica que é, afinal, um imenso desejo de pertença   No primeiro episódio da série The Crazy Ones, a última que interpretou, Robin Williams olhava para a parede […]






Da vida, dos textos, dos espectáculos e da ética que nos deveria unir

Texto lido no agradecimento pelo Prémio Internacional de Jornalismo Carlos Porto 31º Festival de Almada, 18 Julho 2014   As relações entre artistas e críticos são tensas. Não tem de o ser, mas são-o, invariavelmente. Temos diferentes noções sobre o que são as competências de cada um. Temos objectivos a cumprir que são, necessariamente, diferentes. […]






Teatro Fora de Sítio

No PÚBLICO tiramos os actores do teatro e levamo-los para fora de sítio. É uma série, imaginada pela Kathleen Gomes, e concebida pela Joana Bourgard, que acompanha os textos que vamos publicando no ÍPSILON.   #1 Ana Guiomar diz Vénus de Vison, de David Ives, no Animatógrafo   #2: João Pedro Mamede diz Punk Rock, de Simon Stephens, […]






Notas de ensaio: Tropa-Fandanga, pelo Teatro Praga

  A páginas 10227 do livro “Who needs realism when you have fakism?”, volume Iº de um diário de observação sobre o Teatro Praga, a companhia escreve o seguinte relativamente ao verbete “Guerra”: “A: Nós agora já nos conhecemos melhor. Temos uma maior cumplicidade e conseguimos discutir mais. Há muitas coisas em comum, conseguimos dizer […]






Dia Mundial do Teatro: duas sugestões

Hoje é Dia Mundial do Teatro, são mais que muitas as iniciativas que querem levar as pessoas às salas, com entrada livre, debates e encontros. Aqui ficam duas propostas:   1. Às 18h30 são entregues, no Jardim de Inverno do teatro São Luiz os Prémios da Crítica, atribuídos pela Associação Portuguesa de Críticos de Teatro. […]