Pedro Marinho

Desde pequenino frequentei os escuteiros e fui sensibilizado nas questões ambientais. No que respeita a esta matéria, durante anos o consumo de energia foi ignorado. Os tempos actuais ensinaram o Homem a preocupar-se com o ambiente. É possível proteger o nosso meio ambiente e poupar energia com lâmpadas de baixo consumo, bem como poupar dinheiro e energia, duas boas notícias! Eu na minha casa mudei todas as lâmpadas que não eram de baixo consumo, uma mudança significativa na conduta económica e familiar. Pertenço à associação ambiental “ Amigos do Rio Vez” e defendo sempre o meio ambiente, que é um lema de vida para mim e para a minha família, respeitar e preservar o meio ambiente.
Felizmente, graças à sociedade em mudança, tenho a clara noção dos riscos ambientais e preocupo-me bastante com esta questão sendo fundamental mudar comportamentos de risco que protejam a sociedade e o nosso futuro. Na loja do meu pai existem resíduos de óleos, pneus e materiais estragados, que requerem um tratamento muito próprio e acho muito importante haver um controlo. Se não acontecesse seria um crime contra a humanidade. Daí o facto de o meu pai me ter sensibilizado e educado nesta matéria tão demagógica para muitos que não respeitam as regras ambientais. Os resultados da reciclagem são expressivos a nível ambiental, económico e social. No meio ambiente a reciclagem pode reduzir a acumulação progressiva de lixos, contribuindo para a utilização mais racional dos recursos naturais e proporcionando melhor qualidade de vida. Em férias produzem-se mais resíduos e nem sempre existem ecopontos por perto. Por isso, convém não esquecer as regras básicas de uma reciclagem correcta (Cartão, papel; ecoponto azul, plástico e metal; ecoponto amarelo, e vidro; ecoponto verde) é necessário estar preparado para um esforço acrescido em prol do ambiente. Existe uma empresa que recolhe óleos e resíduos resultantes das reparações. Estes resíduos vão para reciclagem, no sentido de poupar o ambiente.
Todos sabemos que a tecnologia e os avanços científicos nos permitem reciclar, por exemplo: óleo, papel, borracha, vidro, em que muitas substâncias destas voltam à ribalta da circulação. Esta tendência é fundamental no combate aos riscos iminentes para o ambiente e a ciência respondeu em tempo útil a esta epidemia da poluição. O óleo é reciclado e usado no alcatrão, o papel é triado e reciclado novamente e posto em circulação no mercado. O ferro é fundido e novamente utilizado, a valorização dos resíduos é excelente.
Os equipamentos actuais gastam menos energia. A racionalização dos equipamentos é fundamental para o meio ambiente e para a economia familiar, graças à ciência que nos permite perceber a importância de utilizar equipamentos que nos ajudem a economizar e a proteger o nosso meio ambiente. Como eu que adquiri equipamentos que são amigos do meio ambiente. Há vários anos que apoio e protejo o Ambiente, em especial o Rio Vez, valorizando a sua importância protegendo o Rio menos poluído da Europa.
Participei em colóquios (colóquios escolares organizados pela Associação Amigos do Rio Vez), ajudo jovens estudantes a realizar trabalhos na defesa do ambiente, contesto atentados ao rio e ao ambiente. Sempre que detecto um atentado (Ambiental) participo à GNR e às entidades competentes, sobretudo para o número telefónico SOS Ambiente (808200520). Denuncio qualquer acto que seja matéria crime, fazendo-o com sentido de responsabilidade e de civismo. No meu BLOG escrevi um artigo sobre as consequências dos incêndios como (Aumento de monóxido de carbono, diminuição de oxigénio, desflorestação, alterações climáticas e geográficas) e realizei um vídeo onde abordo o tema (.http://videos.sapo.pt). Procuro sempre escrever e falar sobre o ambiente, como por exemplo sobre as alterações climáticas, nos jornais, rádios, televisão (opinião pública), sempre no sentido de dar a minha opinião e informar o impacto que estas têm na vida humana, na vida animal quer fauna e flora.
No meu trabalho tento sensibilizar os meus colegas para uma política correcta de reciclagem do papel. Já publiquei no meu Blogue um artigo sobre as pilhas “ Pilhas de Doença” e já o distribui no meu trabalho, no sentido de incutir uma boa conduta ambiental e alertar para os riscos inerentes do cádmio e mercúrio que as pilhas contêm. UMA PILHA-BOTÃO CONTÉM MERCÚRIO SUFICIENTE PARA CONTAMINAR 20000 LITROS DE ÁGUA RESIDUAIS OU 200000 DE ÁGUAS CONTINENTAIS OU MARÍTIMAS. A IGNORÂNCIA E A HIPOCRISIA SÃO AS PIORES INIMIGAS DO PATRIMÓNIO NATURAL. Enquanto voluntário e sócio da Associação “ Amigos do Rio Vez”, tendo sido eu o “pai” do logótipo da mesma, e realizado inúmeras actividades em programas de sensibilização para a “Despoluição do Rio Vez”, considero que hoje os jovens, apesar da sua ambiguidade, conhecem-nas consequências dos seus actos e não respeitam o “Planeta Azul”, depois da realização dos trabalhos na recolhas de lixo denominado “ Limpar o Mundo”. Sempre colaborei na realização de trabalhos escolares a pedido dos alunos.
Como mergulhador falei aos jovens sobre esta problemática e a poluição dos rios pelo facto de visualizar a realidade dos atentados à Natureza, claro que os jovens, depois de serem sensibilizados mudaram a sua conduta poluidora, em detrimento de uma atitude mais racional face à problemática ambiental que tanto se fala nos tempos actuais. Os jovens realizaram várias actividades como recolhas de lixo no Parque Nacional Peneda Gerês, no Rio Vez, trabalhos de escola e um concurso de fotografia “ A Natureza”.
O Painel Internacional sobre as Alterações Climáticas, organismo da ONU que, juntamente com Al Gore, recebeu o Prémio Nobel da Paz deste ano, prevê que a temperatura global média aumentará entre 1,8 a 4°C – no pior cenário, 6,4°C – até 2100, a não ser que se tomem medidas para limitar as emissões dos gases com efeito de estufa. Parece pouco? Há apenas 11.500 anos, a temperatura média global era só 5°C mais baixa do que a actual, numa altura em que grande parte da Europa estava coberta de gelo. Contas feitas, as alterações têm sido mais rápidas do que o tempo necessário para a adaptação das espécies, comprometendo, assim, a biodiversidade. Apontando um exemplo concreto, em 2050 75% dos glaciares dos Alpes terão, provavelmente, desaparecido. Num ano em que se fez praia em Portugal até ao final de Outubro, vamos saber que contributo podemos dar para não “queimar” o planeta. A questão das Alterações Climáticas só existe porque o ser humano não respeita e, principalmente, porque a Humanidade, em especial as sociedades mais modernas e industriais, se focam muito na superficialidade do dinheiro, do ter e do consumir, provocando uma super exploração dos recursos naturais, poluição a todos os níveis. Eu e a minha família andamos de bicicleta, vou para o meu trabalho a pé, porque tenho noção e conhecimento dos riscos para o ambiente.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>