A partilhar experiências com O Globo

A duas semanas do lançamento do novo site, o PÚBLICO recebeu em Lisboa o editor de imagens multiplataformas de O Globo. Ricardo Mello esteve à conversa com mais de 20 jornalistas e fotojornalistas  – e partilhou a experiência acumulada ao longo do último ano e meio na transformação de um dos maiores jornais brasileiros numa plataforma de informação multimédia.

Ricardo Mello tem a seu cargo a coordenação da equipa multimédia de O Globo, que inclui os profissionais do vídeo e da fotografia. Desde que foi chamado para o cargo, em Março do ano passado, que tem conseguido aliciar parte da equipa de fotojornalistas para colaborarem também com o vídeo. “Seis deles estão mesmo comprometidos”, afirmou. “Investem muito nisso. Eles me dizem: ‘Ricardo, estou viciado nisso.’”

Há mais a gravar. Ao todo, o jornal tem cerca de 60 fotojornalistas e muitos deles já fazem vídeo, às vezes no mesmo serviço em que também estão a fotografar. “Outras vezes saem para fazer só vídeo, ou vão para fotografar e acabam por fazer vídeo também”, contou. Ricardo Mello percebe bem por que o fazem. É que também ele, fotógrafo de formação e declarado seguidor da escola Cartier-Bresson (fotógrafo de referência e um dos fundadores da agência Magnum), se confessa “viciado” nas narrativas que consegue construir com o vídeo.

Com os fotógrafos a fazer vídeos, as transformações no Globo não se prendem apenas com o site, mas com o modo de funcionamento de toda a redacção. Os fotojornalistas deixaram de fazer “bonecos” (retratos de protagonistas de pequenas histórias) e fachadas de edifícios. Ricardo Mello explicou que, com o novo projecto multimédia, os fotojornalistas passaram a andar cada vez mais à procura de expressões, de ambiente, de contexto.

Mais: há “uma tendência” para que os fotojornalistas mais novos tenham já no seu portefólio trabalhos em vídeo. É essa a experiência do editor brasileiro, que continua a trabalhar com quem prefere continuar a fazer só fotografia. “Respeitamos os que querem manter-se apenas como fotógrafos. Alguns dos melhores fotógrafos do Globo não fazem vídeo. Mas isso está a mudar”, disse. Para Ricardo Mello, não se trata de uma resistência à mudança, é só uma questão de tempo até que o “vício” do vídeo se propague.

Esta troca de experiências aconteceu nas vésperas do lançamento do novo site do PÚBLICO, que dará aos leitores um acesso mais directo aos trabalhos multimédia. A navegação por vídeos, fotogalerias e infografias – que terão uma presença transversal no site, com destaque idêntico ao de qualquer outro artigo – poderá ser feita a partir da homepage, das páginas de secção e do interior das notícias, assim como de todas as páginas do site. Na página da secção multimédia, será possível “apagar a luz” para ver os vídeos em “modo cinema”.

Ricardo Mello interrompeu as férias para conversar com os jornalistas e fotojornalistas do PÚBLICO (foto: Enric Vives-Rubio)

Texto alterado às 10h26 de 21 de Setembro: corrigido o segundo parágrafo

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>