A economia do artista

O crítico enquanto agente comercial* Os críticos podem tomar o partido que quiserem, dando estrelas, recomendando espectáculos, programando salas, comissariando exposições, julgando candidaturas, atribuindo subsídios, discutindo as obras. Beneficiam sempre alguém. O crítico é sempre parte do espectáculo do poder. Na maior parte das vezes, age, ainda que involuntariamente, como um agente comercial ou um […]

As escolhas dos dramaturgos anónimos

Eis a segunda edição da «selecção de enófilos» de teatro visto no Porto e no Norte do País em 2009, com as mesmas regras do ano passado (aqui). Algumas das escolhas até estrearam em anos anteriores, mas foi destes espectáculos que os dramaturgos gostaram mais este ano – quando os viram. Clique nos títulos para […]

Balanço de 2009

As escolhas do Ípsilon deste ano (minhas, do Rui e da Rita): 1. Esta noite improvisa-se 2. Arquitectar 3. O som e a fúria 4. Jardim zoológico de cristal de Tennessee Williams Nesta encenação de Nuno Cardoso, as figuras inventadas por Tennessee Williams são tratadas como seres encarcerados, paralisados pela fragilidade do desejo, com medo de […]