Aquilino Ribeiro chora Jean Jaurès

“Pouco se fala em Jaurès, ídolo da multidão. Em tempo ordinário o seu assassínio teria provocado o massacre dos extremistas da Action Française; a revolta, talvez, do Paris popular”. É com esta constatação que Aquilino Ribeiro inicia, há exactamente cem anos, um comentário à dramática ocorrência do dia anterior. O escritor encontra-se em Paris e […]