“Artistas como elementos catalisadores”

EJM

EJM

Uma interpeladora exibição paroxística da falta de privacidade é o que se encontra em algumas obras apresentadas em “Controle e manipulação”, uma das secções da exposição “Artists as Catalysts”, que, até domingo, se pode visitar na Alhóndiga Municipal de Bilbao. Duas delas justificam uma particular atenção.

Paolo Cirio – Street Ghosts

Paolo Cirio – Street Ghosts

Street Ghosts” mostra o trabalho de Paolo Cirio, que foi ao Google Streets View retirar imagens de transeuntes, involuntariamente fotografados quando circulavam no espaço público e apresentados no recurso do Google Maps e do Google Earth que disponibiliza vistas panorâmicas de ruas, avenidas ou praças de diversas cidades portuguesas e estrangeiras. A seguir, imprimiu-as em tamanho real. Depois, sem qualquer autorização, foi afixá-las no mesmo lugar onde as imagens foram capturadas. As silhuetas recortadas e coladas em todo o género de espaços, como refere a documentação que acompanha a mostra, testemunham que “embora a nossa presença num lugar se desvaneça, há uma evidência física que perdura”.

Paolo Cirio e Alessandro Ludovico – Face to Facebook

Paolo Cirio e Alessandro Ludovico – Face to Facebook

Outro trabalho, “Face to Facebook”, apresenta-se como “uma experiência social”. Paolo Cirio e Alessandro Ludovico começaram por roubar um milhão de perfis de Facebook. Filtraram-nos, depois, com um software de reconhecimento facial e, em seguida, colocaram-nos na Internet, num site de encontros sociais criado para o efeito (www.lovely-faces.com), classificando as personalidades pelas expressões faciais. “Pretendia-se atribuir-lhes uma identidade virtual e um novo lugar para os expor livremente rompendo com as aborrecidas regras sociais”.
No site de “Face to Facebook”, além de textos, fotografias e vídeos apresentando a acção, classificada como uma Global Mass Media Hack Performance, e de notícias e reportagens que testemunham a sua ampla repercussão mediática, encontram-se os documentos da disputa legal com o Facebook, cujos advogados intimaram Paolo Cirio e Alessandro Ludovico a cessarem a iniciativa.
Na exposição “Artistas como elementos  catalisadores”, “sobre o papel do artista enquanto catalisador de ideias, através da arte e das novas tecnologias”, os criadores, tal como diz o texto de apresentação, vão além do contexto artístico, eles reflectem sobre problemas mais globais como, por exemplo, “a manipulação da realidade mediatizada” e tornam mais compreensível o mundo digital.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>