“Morreu Aquilino Ribeiro”

P23 Aquilino1
P23 Aquilino2

Calhou também à segunda-feira o dia 27 de Maio de há cinquenta anos, data de uma triste notícia: “Morreu Aquilino Ribeiro”. O Diário de Lisboa foi um dos jornais que assinalou devidamente a grandeza do escritor: “Não chegou a completar 78 anos, nem chegou a assistir ao termo do seu ano jubilar, em que o país inteiro celebrava as suas bodas de oiro literárias, aquele que foi um dos maiores escritores portugueses de todos os tempos, émulo de Vieira e Bernardes, que poderia tratar por tu Alexandre Herculano, Frei Luís de Sousa, o seu querido Camilo Castelo Branco. Neste século em que decorre toda a sua vida literária ninguém o igualou e quase todos ficaram a grande distância; no passado só os muito grandes se lhe podem comparar”.
O jornal referiu também, com detalhe, a actividade jornalística de Aquilino Ribeiro, iniciada sessenta anos antes, no jornal Cruzeiro do Sul, de Olhão. No final do texto principal, ficavam expressos os sentimentos: “O Diário de Lisboa, que se honrou desde o primeiro número com a colaboração de Aquilino Ribeiro, sente particularmente a morte do grande escritor e acompanha a esposa e filhos na sua dor”.

[O Diário de Lisboa de 27 de Maio de 1953 pode ser lido no site da Fundação Mário Soares]

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>