Big Data uma conjugação de volume, variedade e velocidade

P23 minute
O Big Data, explica a revista brasileira Veja, na extensa reportagem que dedicou ao conceito, diz respeito a “um conjunto de informações digitais tão grande que ultrapassa a capacidade de armazenamento e processamento de qualquer ferramenta tecnológica isoladamente”. Para mostrar a dimensão do volume, da variedade e da velocidade, que “formam a unidade trina do Big Data”, a Veja apresenta um quadro esclarecedor, idêntico aos que, por exemplo, já foram publicados no jornal Libération (“Données le vertige”. 3 de Dezembro de 2012), em que se diz que a humanidade produz, hoje, em dois dias, uma quantidade de informação idêntica à que foi produzida durante dois milhões de anos, e na revista The Economist (“The data deluge”. 27 de Fevereiro de 2010).

Volume
Bit – abreviatura de dígito binário, a linguagem dos computadores: sequência de números 0 e 1 que guarda informações codificadas no HD do computador.
Byte – equivale a 8 bits e é o suficiente para armazenar um carácter de texto no computador.
Kilobyte (1 000 bytes) – a informação contida numa página de um livro.
Megabyte (1 000 000 de bytes) – armazena um quinto de toda a obra de William Shakespeare.
Gigabyte (1 000 000 000 de bytes) – uma hora de vídeo em baixa resolução.
Terabyte (1 000 000 000 000 de bytes) – 385 terabytes guardam todo o catálogo da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos da América. Se, em vez da Veja, usarmos um exemplo do diário francês Libération (“Données le vertige”), poderemos dizer que um terabyte permite armazenar 6 milhões de livros, o que corresponde a quase metade do catálogo da Biblioteca Nacional de França.
Petabyte (1 000 000 000 000 000 de bytes) – 1,5 petabyte armazena todas as músicas já criadas pela humanidade.
Exabyte (1 000 000 000 000 000 000 de bytes) – 3 exabytes é tudo o que a humanidade conseguia guardar em 1986. Hoje produzimos quase o dobro disso em dois dias. O Libération, para dar outro exemplo, diz que 5 exabytes permitem guardar todas as informações produzidas até 2003.
Zettabyte (1 000 000 000 000 000 000 000 de bytes) – 48 mil milhões de iPads que formam um muro de17 metros de altura com 6 400 quilómetros de extensão (o raio da Terra). Se preferirem as contas do Libération, 1,8 zettabytes permitem armazenar todos os dados gravados em 2011.
Yottabyte (1 000 000 000 000 000 000 000 000 de bytes) – encheria a Grande Pirâmide de Gize com cartões de memória (minúsculos HD) de 64 gigabytes de capacidade. O diário francês diz que este ano, o maior data center será capaz de tratar simultaneamente 1 yottabyte de dados.

Variedade (De onde vem a informação)
Diariamente…
• Cada família acumula 375 megabytes de dados.
• São enviados 10 petabytes de e-mails.
• O Google processa 24 petabytes.
• São trocados através de smartphones e tablets 43 petabytes de dados.
• A humanidade produz 2,5 exabytes de informação.

Velocidade
Flops – unidade para calcular a velocidade de processamento de um computador: equivale à capacidade de realizar um cálculo matemático simples em um segundo.
Kiloflops (1 000 flops) – velocidade de processamento de um supercomputador em 1951.
Megaflops (1 000 000 de flops) – velocidade alcançada por computadores pessoais no início dos anos 90 do século XX.
Gigaflops (1 000 000 000 de flops) – é esta a velocidade em que operam os computadores pessoais mais comuns.
Teraflops (1 000 000 000 000 de flops) – capacidade da próxima geração de videojogos, o PlayStatiom 4 e o Xbox 720, que serão lançados este ano.
Petaflops (1 000 000 000 000 000 de flops) – apenas os supercomputadores chegam e este patamar. O mais potente, o americano Titan, tem uma velocidade de 27 petaflops.
Exaflops (1 000 000 000 000 000 000 de flops) – pelo mais conhecido parâmetro da computação, a Lei de Moore, que estima que a capacidade de processamento dobra a cada dois anos, um supercomputador deve alcançar esta velocidade em 2020.

[Imagem Thumbnail encontrada no Mashable, com a indicação de ter sido reproduzida por cortesia de iStockphoto, loops7. Clicando na infografia, é possível ler melhor]

Um comentário a Big Data uma conjugação de volume, variedade e velocidade

  1. Muito bom, eu li algumas coisas no bigdatabrasil.net e realmente estou muito interessado pelo assunto.

    O big data realmente é uma tendencia, e cada dia que passa, vai influenciar mais a vida das pessoas..

    Onde trabalho, no Road Solution, temos aplicado varias soluções de Big Data em nossos softwares.

    abs.

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>