Três conselhos simples para melhorar um jornal escolar

O …psssst?! é um exemplo do melhor jornalismo escolar

Em muitas escolas, há professores que, nesta altura do ano lectivo, para além da correcção dos últimos testes de avaliação e de outras tarefas, têm ainda de ultimar a primeira edição do jornal escolar. Como é habitual, o trabalho é muito e o tempo é pouco. Já não são possíveis grandes mexidas, mas há três regras que, no turbilhão de trabalhos, importa reter para melhorar o trabalho jornalístico.

Textos bem escritos, usando correctamente a língua portuguesa

Comecemos por uma recomendação para evitar um erro comum: não comecem as notícias por “no passado dia…” ou “no passado mês…”. É uma prática muito frequente, mas errada. A notícia deve começar pelo que possa ter sido mais surpreendente no que ocorreu.
Um bom domínio da língua portuguesa é imprescindível para fazer uma publicação de qualidade. Um erro gramatical de palmatória na primeira página é uma nódoa que não se apaga. Para um jornalista, escolar ou não, é importante, por isso, trabalhar com um dicionário e uma gramática por perto. Antes de o jornal ir para a reprografia ou para a gráfica, é preciso que vários olhos atentos perscrutem tudo para eliminar o maior número de gralhas possível.

Títulos apelativos

Um título não serve para indicar o género jornalístico. São, portanto, errados os títulos do género: “reportagem” ou “notícia”, como não raras vezes se encontram mesmo nas primeiras páginas dos jornais escolares. Um bom título é aquele que suscita de imediato o interesse pela leitura de um texto. O título, curto por regra, procura transmitir uma informação de forma apelativa e rigorosa. Deve também ser fiel ao texto a que corresponde. Para usar um acertado lugar comum, o título é como uma montra. Deve, por isso, estimular a leitura do que surge a seguir.

Uma boa primeira página e um bom grafismo

Se imaginarem um quiosque com muitas dezenas de publicações, perceberão o quanto é importante fazer uma primeira página que seja capaz de captar a atenção do leitor. Seja por causa da força de um título ou de uma imagem, o jornal escolar deve também ser muito atractivo. É, pois, fundamental escolher bem as imagens que nela se publicarão e pensar bastante nos títulos. Às vezes, é necessário fazer vários ensaios até que saia uma primeira página que seja de atracção irresistível.
Convém sublinhar que a primeira página apresenta uma hierarquia da informação (às vezes, há excepções à regra, como se pode ver na imagem…). A que for excepcional ou mais relevante para alunos e professores merece relevo, a que for previsível não requer destaque.
Há jornais que julgam que os textos se colocam nas páginas à medida que vão chegando. Quando procedem de acordo com essa perspectiva o resultado será invariavelmente fraco. A publicação e o seu conteúdo só serão valorizados se tudo (texto e imagens) for muito bem articulado. A arrumação deve conjugar, pelo menos, um mínimo de arte e de técnica. A paginação precisa de conjugar três elementos: a legibilidade, o equilíbrio e a unidade.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>