A vulnerabilidade dos e-mails


O facto de dois dos militares mais poderosos do planeta, o director da CIA, general David Petraeus, e o comandante das forças da NATO no Afeganistão, general John Allen, terem tido de abandonar os seus cargos depois de o FBI ter andado a ler os e-mails dos dois militares fez com que a revista francesa Les Inrockuptibles apresentasse uma sugestão: “chegou talvez a hora de desactivar a conta de e-mail e começar a usar pombos-correio”.
O trabalho não compensará, com certeza, mas é prudente ter em conta algo que tem sido muito repetido e que a revista sublinha: “o Google sabe tudo sobre nós” e “um e-mail deixa um rasto que não se apaga e que uma pessoa mal intencionada ou as autoridades podem sempre encontrar. Como conclui o chefe de redacção adjunto do Business Insider Nicholas Carlson, ‘toda a gente o sabe e toda a gente o esquece, os vossos e-mails não são tão privados como se pode pensar. Uma vez enviados, existem para sempre, até que sejam descobertos por quem não os deveria ler’”.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>