Discutir os trabalhos para casa

Foto: Robert Doisneau (1956)

A França, por iniciativa do Presidente da Republica, François Hollande, tem andado por estes dias a discutir o que fazer para melhorar a escola. As vantagens e os inconvenientes da realização dos trabalhos de casa são um dos tópicos da discussão.
Numa entrevista concedida ao diário Le Monde (“Quatre heures de devoirs encadrés par semaine seraient suffisantes”), Philippe Claus, inspector-geral da Educação Nacional e co-autor de um relatório apresentado em 2008, intitulado “O trabalho dos alunos fora das aulas. Ponto da situação e condições de eficácia”, explica que os alunos são instados a levar “trabalhos para casa” porque o tempo da aula é relativamente curto e porque as aprendizagens têm necessidade de ser consolidadas. Para tal, é necessário um tempo específico. Nos primeiros anos do ensino básico, continua Philippe Claus, como as crianças não têm ainda uma autonomia satisfatória, é necessário que um adulto as ajude a ultrapassar as dificuldades. Sucede, porém, que nem todas as crianças podem dispor de um adulto habilitado para a tarefa. Isto é um “factor de absoluta desigualdade”. Um serviço público deve, por isso, sustenta o inspector-geral da Educação Nacional, oferecer a todas as crianças um tempo específico para as ajudar a estudar. Só mais tarde, quando os jovens já se tornaram autónomos, é que devem poder levar “trabalhos para casa”.
No relatório de que Philippe Claus foi co-autor, reconhecia-se que as Tecnologias da Informação e Comunicação se encontravam cada vez mais presentes na vida quotidiana dos alunos e pais, preconizando-se que elas, no futuro, viessem a ser utilizadas mais sistematicamente “nos trabalhos para casa”.
Este uso, para ter resultados positivos, requeria, no entanto, três condições: haver um bom domínio das tecnologias nas aulas e uma prática pedagógica adaptada, sem o que não haveria proveito fora das aulas; preservar para o professor um papel central, o que implicaria uma formação de qualidade; e colocar à disposição do aluno os instrumentos tecnológicos e, sobretudo, um computador adaptado.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>