Alguns Nobel que mudaram o mundo da comunicação

foto: Nobel Prize

O nosso quotidiano, como se sabe, foi, muitas vezes, radicalmente transformado graças ao trabalho realizado por muitos cientistas que receberam prémios Nobel. Em “Os Nobel que mudaram a nossa vida”, o jornal francês Le Figaro recorda alguns distinguidos e as suas descobertas, que mudaram as nossas vidas. O jornal lembra, por exemplo, que, em 1945, Alexander Fleming, Boris Chain e Howard Florey receberam o Nobel da Medicina pela descoberta dos efeitos da penicilina nas doenças infecciosas, o que abriu as portas ao nascimento dos antibióticos, salvadores de milhões de vidas (no início do séc. XX, a pneumonia, a tuberculose, a gastroenterite e a difteria eram, por si só, a causa de um terço da mortalidade humana). Uma boa parte das investigações premiadas com o Nobel da Física revolucionou o mundo das comunicações. Os exemplos recordados pelo Le Fígaro são eloquentes:
• Sem Ferdinand Braun (na foto), que recebeu em 1909 o prémio Nobel da Física, não teríamos televisão, nem ecrã de computador. O cientista é o inventor do tubo catódico, que permitiu, depois, fabricar televisores e os primeiros ecrãs de computadores.
• William Shocley, John Bardeen e Walter Brattain mereceram em 1956 o prémio Nobel de Física por desenvolverem os transístores, que deram origem aos aparelhos de rádio e, mais tarde, aos computadores e a toda a electrónica que conhecemos.
• Graças aos trabalhos de Pierre Gilles de Gennes sobre cristais líquidos, é possível olhar uma imagem num ecrã de computador ou numa máquina fotográfica digital. O labor valeu-lhe, em 1991, o Nobel da Física.
• Três investigadores, Jack Kilby, Zhores Alferov e Herbert Kroemer, receberam o Nobel da Física em 2000 por descobrirem o que permitiu desenvolver o circuito integrado. Sem eles, não teríamos telecomandos, telefones portáteis ou cartões bancários.
• O prémio Nobel da Física de 2007 distinguiu a descoberta de um efeito magnético – chamado magneto-resistência gigante – que permitiu o aumento fulgurante da densidade de armazenamento dos discos duros. A invenção de Albert Fert e Peter Grünberg possibilitou a existência do e-book, do mp3 e do iPhone.
• Os trabalhos sobre a transmissão da luz através das fibras para comunicação óptica valeram em 2009 o Nobel da Física a Charles Kao. Sendo o pai da fibra óptica, a ele se deve a conexão à Internet de banda larga.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>