Miguel Castro e Silva regressa à alta cozinha uma vez por mês no DeCastro Flores

A primeira vez que ouvi falar de Miguel Castro e Silva foi há muitos anos durante uma ida ao Porto. Os amigos com quem estava insistiram que tínhamos que ir jantar ao Bull & Bear (que abriu em 1997), na altura restaurante incontornável da cidade.

ovo

Na foto: Parmentier trufado com gema, espargo verde e parmesão

Foi uma excelente ideia e só podíamos lamentar não podemos repetir mais vezes, dado que vivíamos em Lisboa e, apesar de tudo, ainda são uns 300 quilómetros.

Agora, há já alguns anos (desde 2009) que temos o privilégio de ter Miguel Castro e Silva em Lisboa, onde abriu vários restaurantes, sendo aquele que melhor o representa o De Castro Flores, situado na Praça das Flores, um dos sítios mais agradáveis da cidade, sobretudo se for Verão e pudermos ficar na esplanada. E é precisamente no De Castro Flores que, respondendo a um desafio que lhe foi feito, Miguel Castro e Silva está agora a apresentar, uma vez por mês, as Notes de Gastronomia. A ideia é regressar, pontualmente, à alta cozinha que fazia no Bull & Bear.

Habitualmente, o DeCastro Flores é, sobretudo, um restaurante de excelentes petiscos, e, segundo diz o próprio chefe, a cozinha não está preparada para um trabalho, por vezes muito técnico, de alta gastronomia. Mas mesmo assim deixou-se tentar por esta viagem ao passado e está a reviver alguns dos seus pratos mais marcantes, recordando como foi pioneiro em muita coisa que hoje já é familiar nos restaurantes portugueses mas que na época representou rupturas que fizeram crescer e evoluir a cozinha portuguesa.

DSC_0281

Na foto: Borrego salteado com ervas e molho de vinho

O primeiro jantar aconteceu a 9 de Abril (o próximo será já em Maio e está já previsto outro em Junho) e começou com uma saladinha de favas e cenoura, à qual se seguiu uma excelente terrina de polvo prensada. Estava delicioso o arroz de robalo com amêijoas, depois do qual foi servido um puré trufado com gema, espargo verde e parmesão, para terminarmos com borrego salteado com ervas e molho de vinho. Para sobremesa houve tarte de framboesa e mascarpone. E, a acompanhar, os óptimos vinhos feitos pelo próprio Miguel Castro e Silva – e vale  pena ouvi-lo explicar cada vinho porque se percebe que são realmente vinhos de autor, pensados de forma apaixonada e não apenas assinados. Para quem quiser comprar os vinhos, ou outros produtos do chef, Castro e Silva abriu uma pequena loja mesmo em frente do restaurante do outro lado da rua.

Será portanto um menu de degustação único, uma vez por mês, 38 euros e a oportunidade para conhecer melhor a alta cozinha – e os vinhos – de Miguel Castro e Silva.

Um comentário a Miguel Castro e Silva regressa à alta cozinha uma vez por mês no DeCastro Flores

  1. Estou com agua na boca so de ler o menu degustação do DeCastroFlores, não me tarda poder saborear todas essas maravilhas hummmmmmmmmmm
    assim q chegar a Lisboa será o primeiro prgrama

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>