Sushi em Idanha

Tenho vontade de contar esta história só com imagens. Depois hei-de contá-la com todos os pormenores num texto no P2, mas aqui no blogue vou-me socorrer das fotos para partilhar com vocês o que foi o meu dia hoje: um almoço em Idanha-a-Nova, numa sala linda da Escola Superior de Gestão (num antigo palacete de uma família rica da região), cozinhado por uma senhora japonesa especialista em shojin ryori, ou cozinha do templo zen.

E o que estava Mari Fujii, do templo Zen de Fushikian, a fazer numa cozinha tradicional de uma casa senhorial de Idanha?

A história é longa. Mas posso dizer-vos que ela foi convidada para cozinhar (sushi, tempura, e outras iguarias) com legumes da região, e que teve como ajudantes os alunos do curso de Gestão Hoteleira.

E ainda que toda esta história envolve Hiroko Kageyama, uma decoradora japonesa a viver em Paris que tem uma organização de solidariedade e que já tem terrenos na Incubadora de Empresas de Base Rural de Idanha para onde pretende trazer camponeses afectados pelas catástrofes naturais e o desastre nuclear no Japão.

Aí, Hiroko pensa, com o apoio de uma empresa de inspiração japonesa baseada no Brasil, cultivar legumes japoneses e exportá-los para países europeus. Mari veio, a convite dela, mostrar como a cozinha japonesa e os legumes de Idanha se harmonizam na perfeição. Há mais pormenores na história, mas ficam para o jornal, está bem? Deixo-vos com as fotos.

A mesa foi posta com especial cuidado, porque tudo, da comida ao ambiente, segue os princípios de respeito pela natureza e pelo belo. Seja sushi, seja couve ou alho francês.

Ou o raminho de oliveira para pousar os pauzinhos.

 

 

15 comentários a Sushi em Idanha

  1. Changer votre alimentation pour incude divers aliments nutritifs fera une énorme différent sur votre vie .Il ya un certain nombre de façons que les diététistes professionnels utilisent pour faire manger un événement de vie sain .

    Responder
  2. Pingback: sushi em Idanha? chocolate com queijo de Castelo Branco? « perfeita perda de tempo

  3. é fantástico ler este artigo sobre a região em que vivo e onde, ao contrário do que muitos pensam, acontecem estes “fenómenos” extraordinários, como ter uma cozinheira do Japão a preparar sushi com legumes do concelho da Beira Interior :)…é motivo para dizer, que me orgulho de viver por aqui, eu que nem nasci cá

    Responder
    • Um grande abraço para vocês, Tina. Foi (mais uma vez) um prazer enorme visitar-vos, e gostei imenso de conhecer a Rosa e o Manu. Espero voltar em breve para outras histórias, como prometido. (darei os parabéns ao Rui, que vai ficar muito contente)

      Responder

Responder a Antonio galante Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>