Adilson

 

 

Nome   Adilson Gonçalves

Idade   25 anos

Naturalidade/Residência   Cabo Verde / Monte da Caparica

Formação   recém formado, com mestrado em engenharia electrotécnica

Última profissão   operador de call center

Há quanto tempo desempregado   janeiro de 2011

Agregado familiar   vive sozinho em apartamento partilhado com outros colegas

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “mudou tudo,já não tenho dinheiro, poder de compra. mudei hábitos de consumo e de vida, menos saídas e viagens também”

Perspectivas de futuro  “espero encontrar trabalho na minha área, que seja viável. mas também estou disposto a trabalhar em qualquer área, do modo como o país esta… (…) participei na feira do emprego em que pedem experiência profissional mas quem sai de uma faculdade não tem experiência profissional. se não aparecer nada tenho de viajar para fora do país, talvez Brasil ou Angola”

Isa

 

Nome   Isa Casimiro

Idade   22 anos

Naturalidade/Residência   Beja / Sintra

Formação   9º ano auxiliar de educação

Última profissão   operadora de caixa

Há quanto tempo desempregado   outubro de 2010

Agregado familiar   6 pessoas, tem filha recém-nascida, com a qual vive

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “não consegui trabalho quando fiquei gravida. foi muito difícil . fiz cortes nas despesas do dia-a-dia, sobretudo em relação a mim. deixei de comprar muita coisa para mim por causa dela…”

Perspectivas de futuro  “espero encontrar um emprego. já pensei emigrar, para trabalhar em qualquer área. mas a vida é muito complicada. espero que a situação do pais melhore”

Miguel

 

Nome   Miguel Nunes Gonçalves

Idade   44 anos

Naturalidade/Residência   moçambique sintra

Formação   licenciado em ciências da comunicação ramo audiovisuais

Última profissão   gestor

Há quanto tempo desempregado   situação de precariedade desde junho de 2011

Agregado familiar   3 pessoas. casado, tem um filho dependente

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “mudou tudo. desde a estabilidade familiar, à forma como vais às compras. a forma como geres o pouco dinheiro que tens. tal como as tuas emoções e ansiedades, com as pessoas que te são próximas. é triste, supostamente a “meio” da nossa vida não ter uma vida estabilizada, estar dependente da ajuda e boa vontade  dos pais, se é que eles podem ajudar (…) estar licenciado, com vinte anos de experiência na área profissional, e sem conseguir arranjar emprego em lado nenhum é muito complicado. muito difícil ”

Perspectivas de futuro  “perspectivas de futuro em Portugal não são nenhumas. já estive fora, não correu bem. quando esgotar aqui as possibilidades todas, obviamente vou-me embora outra vez. perpectivas aqui são zero. o pais está emperrado. está parado. as empresas não investem. é todo o dia uma luta para receber. se não recebes como é que pagas, se não pagas como é que investes, se não investes como é que fazes novos projectos?  e o país está fechado nele próprio. não sai disto “

Mário

 

Nome   Mário Ventura

Idade   21 anos

Naturalidade/Residência   Cascais / Sintra

Formação   curso de design gráfico

Última profissão   restaurante

Há quanto tempo desempregado   desde junho de 2011

Agregado familiar   vive com os pais

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “a monotonia, a revolta, o manifesto. principalmente a revolta e a vontade de sair de Portugal. emigrar. dizem que lá fora está melhor. supostamente”

Perspectivas de futuro  “sair daqui, ter o meu próprio estudio de design, viajar pelo mundo. trabalhar com que gosto. fazer exposiçoes, mostrar o meu trabalho. tive de pagar a escola. ainda estou a pagar. não tenho trabalho para pagar. e a minha divida aumenta. a divida do pais aumenta. é apenas isso”

Sílvia

 

Nome   Sílvia Norberto

Idade   24 anos

Naturalidade/Residência   Barcarena / São Marcos

Formação   a concluir o 12º ano

Última profissão   empregada de papelaria

Há quanto tempo desempregado   setembro de 2011

Agregado familiar   solteira, vive com os pais

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “não há muitas mudanças. namora há dois anos. gostaria de fazer vida em comum mas com a situação do país e da nossa vida em particular é praticamente impossível. ponho  também a hipótese de emigrar. mas esta crise não é só de Portugal. a União Europeia esta toda mal. não sei propriamente em que país se poderá fugir à regra”

Perspectivas de futuro  “mudou a perspectiva. voltamos um pouquinho à época dos nossos pais em que era mais complicado obter-se crédito para comprar casa, e mais complicada a sobrevivência como família. isso muda um pouco o nosso animo em relação a um futuro próximo. acredito que isto vai melhorar mas não acredito que seja tão rápido quanto isso. vamos demorar pelo menos 19 anos até sair da cepa torta”

António

 

Nome   António Luís

Idade   31 anos

Naturalidade/Residência   Lisboa / Dona Maria (Sintra)

Formação   12º ano

Última profissão   militar

Há quanto tempo desempregado   junho de 2012

Agregado familiar   vive com os país

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “mudou sobretudo a minha perspectiva. não dei conta de que isto estava tão mau. enquanto trabalhava as coisas corriam bem. quando se está desempregado começam-se a ver as coisas de outra maneira, começa se a correr as instituições, segurança social, o centro de emprego, começamos cada vez mais a ser tratados como um numero e não uma pessoa. é difícil”

Perspectivas de futuro  “não tenho nada a dizer. o país vai melhorar. penso que vai melhorar mas não num futuro imediato. isto é por ciclos. estamos numa fase má mas há-de melhorar.

estou a pensar sair, talvez Inglaterra, de qualquer maneira será sempre Europa”

Maldini

 

Nome   Maldini Ribeiro

Idade   20 anos

Naturalidade/Residência   Cabo Verde / Cacém

Formação   medidor e orçamentista

Última profissão   nunca chegou a exercer

Há quanto tempo desempregado   desde agosto de 2011

Agregado familiar   vive sozinho

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “tudo mudou. aprendi com a vida. tudo mudou. estar desempregado é muito difícil e complicado. nada de saídas,. muito menos gastos. só fico em casa à procura de trabalho na net ”

Perspectivas de futuro  “encontrar um trabalho. na minha área não sei pois está difícil na construção civil. estou disposto a trabalhar em qualquer área. o que aparecer dará sempre jeito. não sei onde isto vai parar”

Mário

 

Nome   Mário Cláudio

Idade   50 anos

Naturalidade/Residência   Lisboa / Rio de Mouro

Formação   9º ano unificado

Última profissão   camionista durante quase 30 anos

Há quanto tempo desempregado   “estive de baixa durante quase 4 anos. há dois anos houve um despedimento colectivo no qual fui incluído”

Agregado familiar   5 pessoas

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “trabalhei numa empresa muito boa, a bp portugal, durante 21 anos como camionista, ganhava mais ou menos, mas desde então para cá tem sido gastar as migalhas que tinha conseguido poupar em que consegui trabalhar”

Perspectivas de futuro  “a minha mulher está desempregada como eu, também. infelizmente a minha baixa é psiquiátrica devido a uma depressão por motivo profissional. não sei por quanto tempo vou conseguir aguentar, daqui a pouco está a acabar o dinheiro do subsidio de desemprego, e não sei o que vai ser da minha vida.  e a minha cabeça não está em condições de retomar uma vida normal. isto é como uma bola de neve que vai crescendo”

Maria

 

Nome   Maria Clara Amaral

Idade   53 anos

Naturalidade/Residência   Lisboa / Mem Martins

Formação   bacharelato em gestão comercial e marketing

Última profissão   secretária do presidente da assembleia da republica, dr. Jaime Gama

Há quanto tempo desempregado   desde há 1 ano

Agregado familiar   3 pessoas

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “mudou a rotina. a gestão familiar, dado que se recebe muito menos. fiquei com uma vida muito menos confortável, tenho de contar o dinheiro e fazer muitas contas. mudou bastante”

Perspectivas de futuro  “não vejo muitas. ou pedem uma secretário e querem pagar “galinha gorda por pouco dinheiro” ou nem sequer me respondem por causa da minha idade. não consigo ver uma luz ao fundo do túnel para o futuro deste país”

Pedro

 

Nome   Pedro Bragança

Idade   56 anos

Naturalidade/Residência   Lisboa / Lisboa

Formação   antigo 7º ano dos liceus e frequência universitária em gestão de empresas

Última profissão   gestor comercial em leiloeira de automóveis

Há quanto tempo desempregado   desde novembro de 2011

Agregado familiar   4 pessoas, casado, tem dois filhos

O que mudou na sua vida desde que ficou desempregado   “trabalho desde os 18 anos, tenho 36 anos de descontos para a segurança social. e estar em casa sem fazer nada, a olhar para o computador, a ver anúncios, não é vida para ninguém. isso reflecte-se em tudo, sobretudo no bem estar mental (…) mudou tudo na minha vida em termos monetários. em termos de falta de ocupação. este pais está uma desgraça para arranjar emprego, sobretudo para uma pessoa de 54 anos. no fundo de emprego pedem-me que me candidate a empregos mas as empresas, olham logo para a idade e e sou o primeiro a ser excluido (…) os desempregados estão a ser chamados para obrigatoriamente frequentar cursos. o estado está a gastar dinheiro e recursos  nisso quando as pessoas precisam de oportunidade de emprego e não de cursos. no meu caso tive de frequentar um curso de inglês, quando sei falar inglês. estive 3 semanas das 17h00 às 20h00 a fazer um curso de inglês, aí saí da estatística do fundo de desemprego, quando ia ao centro de emprego estava dado como estando ocupado, era e é uma coisa para inglês ver. estive perto de um mês dado como empregado quando isso é pura mentira”

Perspectivas de futuro  “vou ter de me aguentar assim, até aparecer alguma coisa que seja compatível com a minha antiga profissão o que eu acho muito difícil. no meu caso o que penso que vai acontecer é que dada a minha idade, ao fim de três anos de fundo de desemprego vou equacionar a questão da pré-reforma, visto que, a se manterem as actuais condições e regras da segurança social, tenho uma penalização mais pequena na reforma, isto se a segurança social ainda tiver dinheiro na altura”