Duzentos mil milhões de emails por dia

Diapositivo1Quando liguei o computador, já havia 33 mensagens. Só uma interessava. Duas davam o resultado de lotarias que eu não tinha jogado. Três vinham de sites de emprego que eu nunca subscrevi. Uma era da Easyjet a tentar impingir-me um seguro. Outro era da Vuelling, que sabia da minha passagem da Easyjet. Três eram da Booking.com, que estava a par da Easyjet e da Vuelling. Uma era de um rent-a-car, que conhecia as propostas da Booking.com.

Havia comunicados de imprensa, anúncios de coisas fantasticamente fantásticas, alertas das redes sociais. Tudo o que há de mais prescindível logo após o pequeno almoço. O primeiro encargo laboral do dia é apagar esse lixo todo. Mas desta vez, deixei como estava, em favor da produtividade no trabalho.

No dia seguinte, com a caixa do correio novamente inundada, decidi iniciar uma experiência. Coleccionei todos os emails durante uma semana e tabulei tudo numa planilha Excel. Lá se foi a produtividade no trabalho, mas pelo menos fiquei a conhecer melhor o inimigo.

Numericamente, é um exército expressivo. Em média, entraram 281 mensagens por dia na minha conta durante a semana e 87 no fim-de-semana. Ou seja, um terço do pelotão não descansa aos sábados e domingos. O ataque é mais forte no princípio da semana, com pico à terça-feira (332 emails). A partir daí é a descer, com as tropas já extenuadas e os generais a pensar no happy-hour da sexta-feira.

Apenas três em cada dez mensagens têm realmente a ver comigo. Provêm do trabalho, são de amigos ou referem-se a instituições que sigo ou serviços que solicitei.

A tralha mesmo está concentrada em 61% das mensagens. Muitas são comunicados das mais variadas instituições que, após desvendarem a minha profissão, julgaram razoável me atormentar. Se querem um conselho, prestem mais atenção aos títulos. Naquela semana, fui informado de que o CCISP participou num encontro na Polónia, que o HGO candidatou-se a centro de referência e que a ASPEA lançou o projecto CURTMAR. Também recebi as newsletters da APLOP e do GCCT e o boletim da EAW. Só nestes acrónimos, temos 58% do alfabeto. É pena não saber o que significam.

Saídas para a crise abundam na minha amostra. Há convites para formação de professores, acesso a bolsas de estágio e cursos de revenda de roupas importadas. Dizem-me que ganhei duas semanas de inglês e propõem-me ainda que “treine a mente”. Se calhar queriam dizer “treinamento” e alguém transcreveu mal.

Nessa análise, dei-me conta de que perdi eventos imperdíveis, como o Outono inoxidável, a iniciativa “Eu vou” e as festas de Verão de Sobral de Monte Agraço. Mas ainda vou a tempo de aproveitar as ofertas de uma limpeza dentária e de crisântemos comestíveis – não sei em que ordem. Ou então aquela que não diz o que é, mas custa apenas 90 cêntimos por dia. Irresistível.

Confesso que algumas mensagens aguçaram-me a curiosidade, como o “aviso de feriado religioso”, o “regresso às aulas…leve uma grátis” ou ainda um email assinado por alguém de apelido glúteo, a senhora Bottoms.

Numa semana, foram cerca de 1600 mensagens, das quais mil não eram bem-vindas. Extrapoladas para os cerca de 205 mil milhões de emails enviados por dia no mundo, temos 125 mil milhões de candidatos ao caixote do lixo. É isto a poluição digital, recém ingressa no vocabulário da socio-ecologia e que não tarda será legislada por Bruxelas.

O derradeiro resultado da minha investigação foi tudo menos intelectual: fiquei com a conta de email entupida e tive de me livrar dos objectos de estudo. Ponto final na minha carreira de cientista.

Um comentário a Duzentos mil milhões de emails por dia

  1. Li com interesse o seu artigo de hoje. No histograma que apresenta, verifica-se que há um aumento do total de resíduos recebidos ( exceção Valorsul ).
    Pergunto : esse total compreende o lixo triado ( plástico + vidro + papel ) e o lixo orgânico ?
    Faço esta pergunta porque, segundo constatei, houve muita gente que deixou de separar os lixos, sobrecarregando os contentores de lixo orgânico em detrimento dos outros.

    Responder

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>