O mar que se escuta nos búzios

Quem nunca encostou um búzio ao ouvido para ouvir o mar? Em Sopros do Mar Antigo, um velho conta a origem desse eco misterioso. Uma história escrita há mais de 30 anos, quando a autora, Emília Ferreira, andava pelos 20 e poucos. Nela se relata poeticamente a relação entre as marés e a Lua e se […]






Da orquestra à música electrónica

É difícil imaginar o mundo sem música. O álbum ilustrado A Orquestra mostra-nos isso mesmo. O ponto de partida é a orquestra sinfónica, mas lá mais para diante fica-se a conhecer compositores e salas de concertos, fala-se de ópera e tecnologia adaptada à música e ainda se revela a arte de compor para o cinema […]






Histórias que são canções

Formiga Duma Figa reúne 51 textos que são letras de canções. Nuno Markl “embaraça” o autor no início, Rita Redshoes canta-o no final. João Vaz de Carvalho ilustra-o do princípio ao fim. Será difícil encontrar alguém em Portugal que nunca tenha escutado, visto, lido ou cantado trabalhos e produções do autor de Formiga Duma Figa: […]






Depois do desvio, seguir em frente

Miguel escolheu ficar sozinho em casa durante parte das férias de Verão. Namoro interrompido, amigos num festival de música e família longe. Era mesmo isso que ele queria. Ou talvez não. Um livro que poderá conquistar leitores jovens, por se identificarem com o protagonista; mas também adultos, por lhes dar um breve vislumbre do que […]






Os livros não azedam

Sem prazo de validade, podemos consumir os livros muito tempo depois de terem sido criados e produzidos. Melhor ainda, podemos “devorá-los” uma e outra vez. Sem problemas para a saúde. Sugerimos pois que “espreitem com os ouvidos” as sugestões (de há algum tempo) em podcast do Letra pequena na Rádio Miúdos. Porque os livros não azedam. […]






Partir a janela com um poema

Para divulgar mais uma colectânea de poesia internacional, a Bruaá inspirou-se na frase de Daniil Harms: “Os versos devem ser escritos de tal modo que, se se atirar um poema pela janela fora, o vidro parte-se.”  Roubámos… a ideia e partimos um vidro. Escolham um poema deste livro e transformem a vossa janela em cacos. Alegremente. O […]






Destravar a(s) língua(s) no Dia da Europa

Para assinalar o Dia da Europa, que hoje se comemora (dia 9 de Maio), recuperamos um Livro para escutar que muito nos divertiu a realizar, com vários colegas da redacção do PÚBLICO. Foi em 2008 que ficámos a conhecer este livro. Trava-Línguas, Trabalenguas, Virelangues, Tonguetwisters, Scioglingua é (escreve-se na contracapa) “um livro para quem gosta de… trocar […]






O lobo não é mau como se diz

“Todos querem saber/ Da fama do lobo.// Ninguém quer saber/ Da fome do lobo”, pode ler-se na página 10. Antes, um poema, feito de perguntas e respostas, interpela-nos sem cerimónia: “O homem não brinca? O lobo brinca!/ O homem não ensina os filhos? O lobo ensina os filhotes!/ O homem não protege a família?/ O […]






Os dias passados à janela

“O que fazem as pessoas nos tempos livres?”, começa por perguntar uma menina que, ficamos a saber pouco depois, passa os dias à janela. Chama-se Graça e descreve assim as actividades dos seus pais: “A minha mãe passeia os cães dos velhinhos do bairro e o meu pai joga às cartas de fato de treino.” […]






É tão bom quando as peças se encaixam

“Era uma vez um menino que sentia o coração maior do que o resto do corpo. À noite, quando se deitava, sentia-o a aumentar, a aumentar… como se quisesse fugir do lugar e, quem sabe, voar!” É assim que Edna Ladeira nos apresenta o protagonista de Coração-Balão. O ilustrador, Helder Teixeira Peleja, começa por nos […]






A coragem de dar um grito à beira-mar

O protagonista desta história é um cavalo, mas podia ser um humano. Big Bang teve uma súbita vontade de ir até à beira-mar (quantos de nós não terão esse desejo?), depois de acordar “com um desassossego qualquer: ‘Será que me esqueci de alguma coisa importante? Se me esqueci, esqueci-me de que me esqueci…’” O cavalo […]






Afinal, andámos a correr para onde?

Numa altura em que grande parte de nós se encontra circunscrita ao espaço doméstico, talvez seja boa altura para reflectir sobre a pressa que norteava os nossos dias antes de sermos obrigados a parar. “Todas as manhãs, mal o Artur engole uma colherada dos seus cereais com chocolate, o papá diz-lhe: — Vá! Está na […]






Os fardos que Adjoa transportou à cabeça

Adjoa viveu a infância a escutar uma e outra vez o imperativo: “Endireita-te!” Pela voz da mãe, da avó, das tias. Logo no arranque do livro ficamos a saber porquê. “Aqui, em Djougou [Benim], para que uma menininha cresça, põem-lhe coisas na cabeça. Coisas que ela não pode deixar cair e que tem de erguer […]






O mundo não cabe numa folha de papel?

O mundo é demasiado grande, “não cabe nesta folha”, deu-se conta uma menina persistente. Ainda assim, tentou desenhá-lo. Começou como sempre se começa um desenho, com um risco. E o risco fez-se traço maior e iniciou caminho, ganhou asas e percorreu mundo. Sempre com a menina a segurá-lo, mas sem o prender, condicionar ou limitar. […]






A minha casa és tu

Um livro-acordeão ou livro-harmónio, “que aberto pode ser uma rua, fechado pode ser uma casa”. Descrição que os autores nos fizeram chegar a dar conta de um dos livros que o casal de ilustradores editou depois de criar, em 2019, A Casa Nic e Inês Edições. “A minha casa é a tua casa”, começa por […]