O Sr. Solitário empacotou tudo (menos o amor)

CapaSenhorSolitário (1)

“Na casa n.º 89 da pequena vila das 3 colinas vivia um senhor. Os vizinhos chamavam-lhe o ‘Sr. Solitário’.” Assim começa o livro A Incrível História do Sr. Solitário.

Como se depreende facilmente pelo nome, aquele homem morava sozinho. Em rigor, vivia com a sua paixão, “coleccionar coisas”. Das mais insignificantes às mais incríveis. Mas um dia sentiu-se “aprisionado na sua colecção” e resolveu empacotar tudo, por tamanhos. Apercebeu-se depois de que algo pequenino tinha ficado esquecido numa prateleira. Algo de que não se lembrava de quando teria usado pela última vez. Tentou empacotá-lo, mas ele cresceu, cresceu e expulsou-o de casa.

“Na manhã seguinte, o Sr. Solitário acordou a pensar no que tinha acontecido. Se não conseguia viver com um amor tão grande, tinha de fazer uma coisa: partilhar.” O autor, Elias Gato, disse ao PÚBLICO não saber ao certo como lhe surgiu este homem solitário: “Penso que na altura (na faculdade) me surgiu esta ideia de caixa como forma de empacotar coisas/memórias. Acontecia muito comigo, por ser um estudante deslocado e estar sempre a mudar de poiso.”

E acrescentou: “Uma noite, uma pessoa pediu-me que lhe contasse uma história antes de adormecer, e eu comecei a improvisar uma história que se tornaria mais tarde em A Incrível História do Sr. Solitário. Lembro-me de estar a contar a história e ao mesmo tempo sentir um êxtase tremendo por tudo aquilo estar a fazer sentido e poder sair dali algo em que poderia trabalhar. Nessa altura não sabia nada sobre ilustração infantil, paginação, impressão, etc. Na minha ingenuidade, comecei esta odisseia de criar o meu primeiro livro ilustrado.”

Fez bem. O livro tem graça.

ImagemSolitário

O autor explicou ainda que técnicas e materiais usou para dar vida ao Sr. Solitário: “As ilustrações foram feitas em técnica mista sobre papel, principalmente com recurso à colagem, ao frottage e aos materiais riscadores. Grande parte do material utilizado para a colagem já o tinha comigo: revistas, cadernos quadriculados e pautados, posters, etc; ao que acrescentei: guardanapos, papel de mesa e papel de rolo de máquina.”

O resultado pode ser adquirido por correio postal ou por entrega em mão (para quem estiver em Lisboa ou no Sotavento Algarvio), sendo as encomendas feitas através do email (eliasrngato@gmail.com) e da página de Facebook de Elias Gato.

O livro cabe numa caixa, mas também pode ser partilhado. Por isso o damos a conhecer na voz do autor, numa realização de Sibila Lind para o projecto Livros para Escutar do blogue Letra Pequena/ PÚBLICO, com o título “O Sr. Solitário descobriu o amor (e partilhou-o)”.

A Incrível História do Sr. Solitário
Texto e ilustração: Elias Gato
Revisão: Rui Bastos
Edição: de autor
44 págs., 10€+despesas de envio

PágSolitárioBoa

Aqui fica também a página Crianças divulgada no Público de 19 de Maio de 2018.

 

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>