Ser pianista à força

Piano Piano
Texto Davide Cali
Tradução Carolina Ventura
Ilustração Éric Heliot
Edição Gato na Lua
32 págs., 13,80 euros

Quando as mães têm planos demasiado bem traçados para os seus filhos, o mais comum é a coisa não funcionar lá muito bem. Em Piano Piano, a mãe de um miúdo quer transformá-lo num grande pianista, por isso, “todos os dias, às três horas em ponto, Marcolino ajeita o banquinho do piano e começa a praticar”. Mas, às três horas e 13 minutos, o rapaz acha que já chega. É quando liga a televisão. Um minuto depois, a mãe aparece: “O que estás aí a fazer? Volta imediatamente para o piano!” Zangam-se, conversam e a mãe diz que, quando tinha a idade dele, “tocava horas a fio”. Só não se tornou numa grande pianista porque entretanto ele nasceu e ela ficou sem tempo para tocar. Versão que o avô (pai da mãe) não subscreve. E até tem provas de que, afinal, a filha nem gostava assim tanto de tocar aquele instrumento. “Agora, Marcolino sabe a verdade”, escreve-se na página que antecede a ida de avô e neto a uma loja de instrumentos para comprar uma tuba. A partir daí, “todos os dias à três horas em ponto, Marcolino ajeita o seu banquinho e começa a praticar”. Às três horas e 13 minutos, ninguém liga a televisão, mas a mamã aparece: “Estás cansado? Queres lanchar?” Mas ele não quer lanchar logo, quer praticar “para ser um grande tocador de tuba”. O autor, Davide Cali, tem sempre uma forma sensível e divertida de nos fazer reflectir sobre a condução da nossa vida. E da dos outros. Aqui, é acompanhado por Éric Heliot, um ilustrador (baterista) com quem colabora regularmente. Imagens dinâmicas com figuras esguias são a sua marca. O absurdo também.

(Texto divulgado na página Crianças do Público de hoje.)

Estória Abensonhada

 

 

Uma das escolhas de Helena Melo (na mesma página) foi para o Sementes.

O que vê um cego? No primeiro fim-de-semana da 17.ª edição do Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público, o Teatro Extremo apresenta em Sesimbra a peça Estória Abensonhada, uma encenação de Isabel Leitão inspirada no conto O Cego Estrelinho, das Estórias Abensonhadas do autor moçambicano Mia Couto. E na Moita, uma cama móvel invade o centro da vila, num espectáculo clownesco criado pelo argentino Adrian Schvarzstein (às 21h30, na Praça da República). O Sementes decorre até 3 de Junho com programação que passa ainda por Almada, Alcochete, Barreiro, Cascais, Crato, Montemor-o-Novo e Seixal. Estória Abensonhada é para maiores de 4, A Cama para todas as idades. Toda a programação em www.teatroextremo.com.

Sesimbra
Cine-Teatro Municipal João Mota (R. João da Luz, 5). Tel.: 212234034
Amanhã às 16h. Bilhetes a 1,50 e 2,50 euros

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>