Cidade de papel

Abre-se o livro e saltam das páginas sete árvores e uma igreja de tijolo vermelho, num pop-up simples e até nostálgico. Será à volta deste cenário que se vai construindo a cidade, revelada a cada virar de página, num labirinto cada vez mais complexo e apertado. Uma mistura de encantamento (pela forma) e de dúvida (por tamanho crescimento) divide o leitor. O texto só surge no final, a dar conta do grande projecto daquela comunidade: “Construir.”

Popville
Ilustração: Anouck Boisrobert, Louis Rigaud
Texto: Joy Sorman
Tradução: Helder Guégés
Bruaá Editora, €16,50

(Texto divulgado na Pública de 7 de Novembro de 2010)

Para conhecer melhor o livro (que vale mesmo a pena), vá até ao blogue da Bruaá. Siga-nos.

Um comentário a Cidade de papel

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>