Lágrimas de Crocodilo

Se já alguma vez chorou lágrimas de crocodilo, este livro é para si. Se nunco chorou lágrimas de crocodilo, este livro também é para si. Este livro é para toda a gente. Aliás, como todos os que a Bruaá edita.

Um dia, Letra pequena perguntou ao editor Miguel Gouveia: “Como é que consegue ficar com os direitos de obras tão maravilhosas?” Resposta (citada de cor): “Sem problemas. Parece que em Portugal ninguém se interessa em comercializar livros com esta qualidade.”

Ainda bem para a Bruaá, para nós e para si.

– Lágrimas de crocodilo!
– O que é que são LÁGRIMAS DE CROCODILO?
– Tu estás a chorar lágrimas de crocodilo.
– Mas o que é que são LÁGRIMAS DE CROCODILO?
– Eu vou explicar-te o que são lágrimas de crocodilo.

Assim começa o livro escrito e ilustrado por André François e publicado em 1956 pelo seu grande amigo Robert Delpire, uma lenda viva da edição e da fotografia francesa. Lágrimas de Crocodilo é unanimemente considerada como uma obra que ainda hoje se destaca pela sua qualidade artística e indiscutível originalidade.

(Retirado do site da Bruaá.)

3 comentários a Lágrimas de Crocodilo

  1. Olá Rita Pimenta.Acompanhamos o seu blogue desde o 1º ano da Licenciatura de Ed. Básica, após termos tido a disciplina de literatura e formação de leitores. Um blogue completíssimo.E neste seguimento, aproveitamos para vos deixar a indicação do nosso blogue, enquanto estudantes da Universidade de Aveiro, no Curso de Ed. Básica, em que estamos a implementar um projecto de leitura. E agradeciamos que com a vossa experiencia, nos acompanhassem. Ainda temos pouquinhos seguidores.O blogue de promoção de leitura éhttp://leituraaocentimetro.blogspot.comAgradecemos a vossa visita.

    Responder
  2. Olá, Rita. Somente porque o "ninguém" pode soar um pouco excessivo, queria esclarecer que o "ninguém" não contempla muita gente que ainda cá anda, começa a andar ou andou nestas andanças: um saudoso Rogério de Moura, um José Oliveira e outros a quem o livro infanto-juvenil muito deve. O que interessa saber é que o "ninguém" começa lentamente a dar lugar ao "alguém" e muita coisa boa está a chegar até nós e a ser criada entre nós, no meio de muito lixo, é verdade, mas está.Abraço e obrigado por tudo que também tens feito nas tuas andanças.Miguel Gouveia

    Responder

Responder a Letra pequena Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>