Trabalhar, trabalhar, trabalhar

O pato trabalhava que se fartava, enquanto o camponês ficava na cama a engordar. Dentro e fora de casa, a vida do pato era só trabalhar, trabalhar, trabalhar.

Os outros animais cansaram-se de assistir àquela injustiça e reuniram-se ao luar para decidir o que fazer. “— Muu! — disse a vaca. — Méé! — disseram as ovelhas. — Cácárácá! — disseram as galinhas. E esse era o plano.” Um plano que não desvendamos mas que asseguramos que era bom. (Se a palavra “revolta” lhe disser alguma coisa…)


O Pato Camponês foi premiado com o Nestlé Smarties Booker Prize de 1991 e integra-se na colecção Borboletras, que reúne títulos de muito boa qualidade a baixo preço (€5,90). Para isso contribui o facto de a capa não ser cartonada (o que não faz mal nenhum). A Caminho já editou 11 livros da Borboletras desde Julho. São muito bons para utilização em sala de aula (e fora dela). Veja os outros títulos aqui.

Martin Waddell venceu o Prémio Hans Christian Andersen em 2004, pelo conjunto da sua obra. Pode conhecê-lo melhor nesta página.

Para conhecer a ilustradora Helen Oxenbury, siga-nos.

(Mas não deixe de trabalhar. Não é disso que se trata.)

Um comentário a Trabalhar, trabalhar, trabalhar

Responder a Lia Noronha Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>