Feriados políticos

O feriado de hoje deu pretexto a Letra pequena online para trazer aqui um livro muito eficaz na explicação aos mais jovens de noções como “poder”, “as opiniões políticas e os partidos”, “os jornais, a rádio, a televisão”, “a justiça”, “os direitos das crianças” e muitos outros. Tudo isto acompanhado das certeiras e irónicas visões do mundo desenhadas por Plantu (do jornal Le Monde) como a que se reproduz aqui. (Porque será que gostamos tanto desta?)

A Política Explicada às Crianças e… aos Outros é um livro que contraria a ideia de que a política só deve interessar em quem já tem idade para colocar o voto na urna. O autor, Denis Langlois, explica: “A verdade é que a política é de todas as idades, pois afecta-nos a todos, adultos e crianças. Quer queiramos quer não, ela invade as nossas casas, as nossas vidas, condicionando o nosso destino.” Dividido em pequenos temas, que vão do poder à acção política, passando pela justiça e pelas guerras, o livro lembra: “De qualquer forma, mesmo que não te metas em política, a política mete-se contigo.” É verdade, não é?

A Política Explicada às Crianças… e aos Outros; autor: Denis Langlois; tradutor: Manuela Torres; ilustrador: Plantu; editor: Terramar; 120 págs., 4,99 euros

Deixa-se aqui mais uma obra sobre o 25 de Abril.

Simbolicamente lançado no Quartel do Carmo, este livro centra-se em objectos também carregados de simbolismo a propósito do dia 25 de Abril de 1974. A autora começa por personificar um semáforo, que conta o seu sentimento naquele dia perante a coluna militar: “Nos olhos daquele capitão, senti que podia confiar. Senti que aqueles olhos não podiam trazer mais nada do que igualdade, justiça, respeito (…) O verde, o meu verde, ajudou-os então a avançar.” No conto seguinte, Margarida Fonseca Santos põe uma espingarda a falar: “Foi de repente que, bem no centro do meu cano, um cravo se veio alojar! Era a imagem que comoveu o mundo a usar-me como estandarte.” Sete contos bem contados e bem ilustrados invocam o lápis azul, o Rádio Clube Português, os documentos incriminatórios, os megafones e as RGA. No final, é a voz do portão de Caxias que se escuta: “E abro-me, comovido, com um ranger de alegria que talvez ninguém note.” Para ler em qualquer idade. Livremente.

7×25 Histórias de Liberdade; autor: Margarida Fonseca Santos; ilustrador: Inês do Carmo; editor: Gailivro; 40 págs., 8,90 euros

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>