Despereaux salta para o cinema

Está quase a chegar aos ecrãs portugueses o rato que não sabe ser rato, que pensa na música como mel e que quebra uma regra jamais posta em causa pelos da sua espécie: a proibição de se apaixonar por um humano. No caso, a princesa Ervilha. Que toca piano.

Despereaux tem uma outra característica que o faz parecer-se consigo, caro leitor (sim, consigo, que de vez em quando aparece desse lado do ecrã). Despereaux jamais resiste à expressão “era uma vez”. Por isso, não rói os livros, lê-os. O que desespera toda a comunidade de roedores.
Como seria de esperar, os seus semelhantes acham-no “esquisito”. E nada dão por ele. Algo que nunca aconteceria se o protagonista pertencesse ao universo esclarecido, aberto e solidário dos humanos cultos, que gostam de música e literatura…

A autora de A Lenda de Despereaux, Kate DiCamillo, acredita que um destino interessante aguarda todos aqueles que não se conformam. Homens ou ratos. Letra pequena online também.

Com estreia marcada para o próximo dia 18 nas salas portuguesas (já com dobragem), aqui se deixa a ficha técnica original:

The Tale of Despereaux
De: Sam Fell, Robert Stevenhagen
Com vozes de: Emma Watson, Matthew Broderick, Dustin Hoffman, Kevin Klein
Universal Pictures


“O amor é ridículo” foi o título que se deu ao texto divulgado na página do Mil Folhas (onde Letra pequena morava), em 2 de Setembro de 2006, quando o livro saiu em Portugal, editado pela Gailivro.

Se tiver curiosidade em ler/ver, faça o favor de entrar

 

 

Se quiser espreitar o filme (em inglês), siga-nos por aqui

Um comentário a

Responder a Anonymous Cancelar resposta

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>