A corrupção no poder não é de agora


Laurentino Gomes criou uma versão juvenil ilustrada da sua obra 1808, que venceu o Prémio de Ensaio, Crítica e História Literária da Academia Brasileira de Letras relativo ao ano passado. Com a ajuda de Denise Ortiz (jornalista, tal como o autor), fez uma adaptação para jovens, com a preocupação de preservar “todos os pormenores fundamentais que compõem a história da corte no Brasil, excluindo apenas algumas personagens e situações consideradas acessórias”.
Aqui se conta como a 29 de Novembro de 1807 a corte portuguesa fugiu para o Brasil e tudo o que se passou em seguida (lá e cá), até ao seu regresso a 3 de Julho de 1821. Na capa, através de um longo subtítulo, o jovem leitor é logo informado do conteúdo do livro: “Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil.”

Além do esforço de condensar informação, tornando a leitura mais facilitada (mas não menos rigorosa), houve uma reordenação dos acontecimentos para ajudar à compreensão. A narrativa é viva e revela um sentido de humor inteligente, mostrando o talento de quem sabe contar uma história sobre a História, sem se obrigar à solenidade comum de quem olha o passado.
O autor atribui o sucesso da obra (para adultos) “à linguagem acessível e à necessidade de se conhecer a história do Brasil” para se entender o presente. Em Portugal já vendeu 320 mil exemplares e Laurentino Gomes disse à Lusa estar surpreendido: “Os resultados foram muito além do que eu imaginava e esperava. Sinal de que os leitores estão adorando o que escrevi. O que mais eu poderia desejar?”

Laurentino Gomes trabalhou como jornalista e editor no jornal Estado de São Paulo e na revista Veja e esteve em Portugal a reformular a revista Visão.
A edição para jovens de 1808 é ilustrada por Rita Bromberg Brugger, professora e ilustradora com formação em Artes Plásticas pelo Instituto de Belas-Artes do Rio Grande do Sul. As imagens que Brugger criou para o livro ajudam os miúdos a mergulhar num cenário com 200 anos, difícil de imaginar por quem nasceu há tão pouco tempo.

1808 ; autor: Laurentino Gomes; ilustrador: Rita Bromberg Brugger; editor: Livros D’Hoje (Dom Quixote); 148 págs., 15 euros

Este texto foi divulgado na revista Pública de 3 de Agosto de 2008 (com outro título). O PDF da página que saiu pode ser visitado aqui.
Se desejar ouvir uma explicação do autor sobre a fuga da corte, vá aqui à barra lateral e clique na capa do livro.

Deixar um comentário

O seu email nunca será publicado ou partilhado.Os campos obrigatórios estão assinalados *

Podes usar estas tags e atributos de HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>