Salve Cristo Rei da Madeira

Sabem aquela do via­jante que já visi­tou cape­las e cape­li­nhas no outro lado do mundo mas que nunca entrou na igreja ao lado de casa? Pois. Somos mui­tos. Pelo meu lado, quase não há dia em que não tenha nos olhos o Cristo Rei que abre os bra­ços a Lis­boa (para além do Tejo e […]

Bateu-me a beleza nos olhos. Depois mergulhei

Há altu­ras em que a beleza em redor é tão natu­ral­mente avas­sa­la­dora que as pala­vras não encon­tram forma de emer­gir. Um pas­seio pela praia do Porto Santo pode garan­tir esse silên­cio inte­rior que, só a muito custo, agora (pro­fis­são oblige), é escul­pido em pala­vras. A praia prolonga-se por uns 9km de sul. Uma lín­gua longa […]

Sem sombra de burrice

Já nos tinham falado dos bur­ros e da sua impor­tân­cia, nou­tros tem­pos, para a sobre­vi­vên­cia na nunca fácil ilha do Porto Santo. Como é natu­ral, car­re­ga­vam o que lhes era man­dado e esmeravam-se pelos tri­lhos — alguns até tra­ça­dos espe­ci­al­mente para eles tri­lha­rem. Nos tem­pos moder­nos, o burro, como acon­tece por todo o lado, vai […]

Vem, vambora, você tem meia-hora para praiar a minha vida

Tens meia-hora para ir à praia” Parece soar bem, não? Claro. Afi­nal, sem­pre é a pos­si­bi­li­dade de um inter­valo bal­near. Mas, como sabe­mos, tudo na vida depende muito do con­texto e da geo­gra­fia. No caso em apreço, rap­tar 30 minu­tos — no meio da agenda de uma visita rápida em tra­ba­lho — como tempo pos­sí­vel para […]

Uma carta de amor à Ucrânia escrita a luz e estrelas

A Ave­nida do Mar, na cidade do Fun­chal, trans­bor­dava de gente quando os mega­no­fes invo­ca­ram o momento solene:”E agora, vamos ouvir o hino naci­o­nal da Ucrâ­nia”. Ainda que esti­ves­sem de pé e de olhos pos­tos no ceú, não era a reve­rên­cia, mas antes a expec­ta­tiva que moti­vava as pes­soas — ou não se sou­besse o […]

Um “ai jesus” ao aterrar pela primeira vez na pista que acaba onde o mar começa

Seria de espe­rar que uma aço­ri­ana tivesse nove vezes menos pro­ba­bi­li­da­des de pes­ta­ne­jar diante de uma ater­ra­gem difí­cil. Ainda assim, o aero­porto do Fun­chal sur­pre­ende. Depois das escar­pas da encosta leste da ilha da Madeira vemos as casas cres­ce­rem em número e em altura (mui­tas delas acom­pa­nha­das pelo res­pec­tivo qua­drado azul pis­cina) pela janela do avião. […]